Quino (1932-2020)

O traço precioso e o senso crítico aguçado do maior quadrinhista argentino resumem-se em sua maior criação: Mafalda. Quino, nascido Joaquín Salvador Lavado Tejón, morreu nesta quarta-feira, aos 88 anos, de causas naturais, e sempre será lembrado por sua principal protagonista, a curiosa e desafiadora Mafalda, que resumia suas preocupações políticas e humanas durante os nove anos em que foi publicada em tiras diárias, entre 1962 e 1973. Mas seu humor, sua visão crítica e seu traço precioso expandem-se para além de sua turma clássica de personagens e podem ser encontrados em cartuns épicos e delicados, em que vasculha os horizontes questionados por sua principal criação. A notícia de sua morte é um bom motivo para descobrir seu trabalho para além da querida fã de Beatles.

Você pode gostar...