Por Alexandre Matias - Jornalismo arte desde 1995.

NTS: Você tem vergonha de gostar de certas músicas?

Mais uma vez me reúno com meus compadres de Noites Trabalho Sujo – Luiz Pattoli e Danilo Cabral – para conversar sobre música. E desta vez puxamos papo sobre um tema que muitos se sentem desconfortáveis, mas que resolvemos atacar de frente: a vergonha de gostar de certos artistas ou músicas. Os chamados “guilty pleasures” não existem se você realmente gosta de música – e é sobre isso que conversamos nesta edição do programa.

Assista aqui.  

Tudo Tanto #096: Maurício Pereira

Em mais uma entrevista sobre música brasileira da série Tudo Tanto, tenho o enorme prazer de conversar com o mestre e chapa Maurício Pereira, que espanta a pandemia e a quarentena pra lá (como assunto) para focar em seus projetos para o ano 2021: três discos em parceria com três músicos de primeira, dois deles, seus filhos, Chico e Tim, e o velho comparsa Tonho Penhasco – e passa parte do papo explicando como este último mudou sua forma de cantar e de compor. E, claro, viajamos em sua trajetória, desde os Mulheres Negras até o clássico instantâneo Outono no Sudeste, seu disco mais recente.

Assista aqui.  

Bom Saber #052: Amanda Miranda

No Bom Saber desta semana puxo um papo com a querida Amanda Miranda, quadrinista e ilustradora em ascensão que está lançando seu quarto título, A Aparição, pela Ugra Press. No papo, conversamos sobre sua trajetória, suas influências e referências, além de falar sobre se reconhecer como artista, da máquina de moer carne das redes sociais e do estágio atual dos quadrinhos no Brasil.

Assista aqui.  

Polimatias: A pandemia e a cultura

No começo do ano, eu e Polly Sjobon comentamos que a pandemia ainda não havia entrado na ficção, porque boa parte do que lemos, ouvimos e assistimos em 2020 foi produzido antes da chegada do coronavírus. Já em 2021 temos livros, novela, séries e filmes que abordam este tema – e aproveitamos esse tema para cogitar como ficará a cultura depois que sairmos desta fase tétrica.

Assista aqui.  

DM: Como o Big Brother Brasil antecipou o fim da era Bolsonaro

Finalmente Dodô fala do Big Brother Brasil 2021 – mas como estamos juntos, puxo pro lado da política e temos, portanto, um programa que contempla o futuro próximo do Brasil a partir das pistas deixadas pelo maior reality show do mundo. E as notícias deste DM, vou te dizer, são boas…

Assista aqui.  

Climatiers: Bruna Malta e Lucas Surjus

Um programa para conversar com os meus espectadores! Assim é o Climatiers, mais um novo programa criado no meu canal, este de forma praticamente improvisada e que testa a minha capacidade de improviso bem como a dos meus convidados. Começo com um casal de alguma forma me inspirou neste projeto, Bruna Malta e Lucas Surjus, que participaram do último Trabalho Sujo ao vivo falando sobre arte e magia e a partir daí os convidei para continuar o papo.

Assista aqui.  

Aparelho: Governo derretendo

Em mais um programa dedicado à cobertura da CPI da Covid, eu, Vladimir Cunha e Emerson “Tomate” Gasperin dissecamos os depoimentos que abalaram as estruturas do atual governo, fazendo-o derreter cada vez mais a olhos vistos – em revelações que mostram as entranhas infantis desta gestão da morte. E sabemos que isso é só o começo – por isso comentamos também o que podemos esperar esta semana…

Assista aqui.  

Vida Fodona #725: Let’s rock

Aquela dose de energia…

Ouça aqui.  

Tudo Tanto #095: Rodrigo Gorky

Conheço Rodrigo Gorky desde os tempos em que ele era só um jovem indie em Curitiba fazendo projetos pela internet e por todos estes anos pude acompanhar sua evolução como produtor musical pilotando projetos tão diferentes quanto o Bonde do Rolê, a Banda Uó e a carreira de Pabllo Vittar. Aproveito o Tudo Tanto da vez para conversar sobre esta trajetória e mostrar como ser um nerd de música pode lhe transformar num gênio do pop.

Assista aqui.  

Sambas do Absurdo em modo remoto

O segundo volume dos Sambas do Absurdo que reuniu Juçara Marçal, Rodrigo Campos e Gui Amabis num trio tão preciso já estava em processo de composição de forma remota mesmo antes da pandemia começar. “Rodrigo apresentou os sambas no início de 2019. Via whatsapp!”, ri Juçara. “Estávamos os três com agenda muito corrida e, durante o ano, nas brechas de tempo, Gui foi armando com Rodrigo os arranjos, que a gente só conseguiu sentar pra ouvir juntos em fevereiro de 2020.” Mas a partir da quarentena eterna que começou em março do ano passado, o trio seguiu o trabalho de forma ainda mais remota e finalmente começa a mostrar o novo disco, que deve ser lançado ainda neste ano, com o belo single “Ladeira”, que ainda conta com o baixo do Regis Damasceno.

Ouça aqui.