Por Alexandre Matias - Jornalismo arte desde 1995.

Vida Fodona #750: O primeiro programa de 2022

Começando tranquilo… (E a partir deste programa, o Vida Fodona está no Spotify – vou subindo os programas velhos bem aos poucos)

Ouça aqui.  

Vida Fodona #749: Feliz 2022!

Encerrando 2021 com muita música brasileira e muita reflexão sobre esses dias.

Ouça aqui.  

20 anos sem Cássia Eller

Em mais uma colaboração para o site da CNN Brasil, desta vez falo sobre o aniversário de duas décadas da morte de Cássia Eller, que inspirou um musical que estreia no ano que vem. Também falei com seu eterno parceiro, Nando Reis, sobre o vínculo criativo e emocional com a intérprete carioca.  

Minha participação no Dois Mil e Depois

A Pérola me chamou pra participar da última edição do ano do podcast Dois Mil e Depois, que ela está tocando a partir do Centro Cultural da Penha, e puxou jornalismo musical como assunto – e além de mim, ela também chamou o Felipe Andrade, do site Polvo Manco, para comentar não apenas este cenário no país mas também para falar sobre a música neste ano que se encerra. Ouça abaixo.

 

A música brasileira de 2021 é mulher

Outra matéria que faço para a CNN Brasil, desta vez destacando dez artistas mulheres que fizeram a cabeça do Brasil em 2021, com Marina Sena, Juçara Marçal, Jadsa, Linn da Quebrada, Duda Beat, Badsista, Tasha & Tracie, Mariá Portugal, Bebé Salvego e In Venus.  

Como a Coreia do Sul dominou a cultura pop

Outra colaboração para o site da CNN Brasil em clima de clima de retrospectiva, desta vez falo sobre como a Coreia do Sul está dominando a cultura pop e exemplos como o filme Parasita, o grupo BTS e a série Round 6 são só a ponta do iceberg.  

2021 consolida que a música pop é feminina

Em mais uma colaboração para o site da CNN Brasil, contei como as mulheres dominaram a música pop nas últimas décadas, culminando num 2021 completamente feminino, dominado por Adele, Billie Eilish, Lorde, Lana Del Rey, Taylor Swift, Olivia Rodrigo, entre outras.  

Os 50 melhores discos de 2021, segundo a APCA

É sempre assim: dezembro chega e com ele as listas de melhores do ano, mas a lista com os melhores de 2021, feita pelo júri de música popular da Associação Paulista de Críticas de Arte (APCA, da qual faço parte ao lado da Adriana de Barros, José Norberto Flesch Marcelo Costa, Pedro Antunes e Roberta Martinelli) só será revelada no início de 2022. Por enquanto, antecipamos os 50 indicados à categoria Melhor Disco, mostrando como, mesmo com todas adversidades do caminho, foi intensa a produção de música neste ano que chega ao fim. Confira os indicados a seguir.  

Um Corpo Expandido pelo violão

No cair do ano, descobri que o trabalho que a baiana Paula Holanda Cavalcante mostrava ao violão em sua conta no Instagram se materializaria num EP lançado quase no fim do ano, quando ela o lançaria com o nome de Corpo Expandido. Canções melancólicas e solitárias que faziam o ar desértico do interior ganhar ares introspectivos longe dos clichês da música do sertão, ecoando brasileiros como Dorival Caymmi, Baden Powell e Kiko Dinucci e gringos como John Fahey, Nick Drake e o lado folk de Jimmy Page, misturando o clima de isolamento destes dias de pandemia com a esperança quase palpável que a espera de um novo ano carrega. Conversei com ela sobre o disco e ela antecipou as quatro faixas de seu Entre Ruínas e Devaneios, que chega às plataformas digitais no antepenúltimo dia do ano, em primeira mão aqui para o Trabalho Sujo, ouça abaixo.  

O reality show dos Beatles

Alguém ainda aguenta me ler escrevendo sobre o Get Back dos Beatles? Então toma o texto que fiz para o Observatório do Cinema sobre a série que Peter Jackson fez para o canal de streaming da Disney, em que defendo que Get Back é tudo isso porque os Beatles cresceram num reality show avant-la-lettre.