Jornalismo-Arte: Luciano Matos

jornalismo-arte-05-luciano-matos

Em mais um programa dedicado à dissecar as idas e vindas do jornalismo que cobre música no Brasil, faço a conexão com Salvador para falar de um jornalistas mais influentes em cenas locais dos últimos anos, embora seu baixo perfil pareça colocá-lo alheio à cena. Luciano Matos cobre a cena soteropolitana há décadas em seu Elcabong e vem mexendo com a autoestima da cena da capital baiana para além do texto de seu site, em outras encarnações que vão para outros formatos, como festa, programa de rádio, festival e agora livro, uma novidade que ele conta em primeira mão.

Spotify Talks na Sim São Paulo

Spotify-Talks-sim-sao-paulo

A última edição do ano do Spotify Talks, ciclo de discussões que concebi ao lado do Spotify, acontece nesta quinta no CCSP, dentro da programação da Sim São Paulo. O tema da edição é Um Gênero Chamado Bahia e joga foco na produção musical atual do estado baiano, com as participações de Baco Exu do Blues, Larissa Luz e Giovani Cidreira e mediação feita pelo jornalista Luciano Matos, idealizador e produtor do programa Radioca e do festival de mesmo nome. O evento acontece no jardim suspenso do CCSP a partir das 13h e é gratuito para o público. A apresentação da discussão é minha. Eis a sinopse da discussão:

A música produzida na Bahia sempre foi fundamental em todos momentos de nossa história. Samba, bossa nova, tropicália, axé e até o rock nacional tiveram dedo de baianos – e muitas vezes as duas mãos. Nos últimos anos, um novo cenário de artistas, produtores e festivais vem ganhando força. Ofuscado por muito tempo pela indústria do axé, finalmente, esse universo fértil e criativo ganha atenção fora do estado. Diversos nomes mostram que novamente a Bahia tem algo novo e forte a dizer. Mais uma vez, a música baiana aparece tendo a diversidade e o diálogo como marcas. pop, samba reggae, mpb, rock, eletrônica, reggae, funk, dub, pagode, afro se frequentando e misturando. A tradição sendo visitada, mas não como algo intocável e imutável, muito menos apenas como uma revisita. Um olhar para o passado, mas apontando para o futuro. Espontaneamente, nos guetos, nas ruas e nos palcos. Os ritmos afros assumidos sem pudor, jazz com toques afros, rap com candomblé, rock com atabaques, eletrônica com samba reggae, orquestra com quebradeira, tudo junto de forma natural e autêntica. Samba de roda virando pagode e avançando ainda mais com trap, beats e sintetizadores. Uma Bahia meio misteriosa, meio sedutora, sempre cantada, mas pouco compreendida, que andava carregada de estereótipos e se mostra novamente viva, criativa e ativa. Um estado ainda muito pobre e muito desigual. Negro por essência, mas totalmente aberto e receptivo. Marcado por festas populares, pelo sincretismo, mas historicamente vanguardista. É um pouco dessa Bahia que artistas como BaianaSystem, Orquestra Rumpilezz, OQuadro, ÀttooxxÁ, Luedji Luna, Lívia Nery, IFÁ, Africania, Josyara, Opanijé, Maglore, Vivendo do Ócio e também Baco Exu do Blues, Larissa Luz e Giovani Cidreira, que participam deste último Spotify Talks do ano, que terá a mediação feita por Luciano Matos, do festival baiano Radioca.

Como sempre, apresento o painel, que faz parte da série de debates que concebi junto ao Spotify desde o ano passado.

A invisibilidade revelada pelo BaianaSystem

invisiveis

Muito bom esse artigo do Jailton Andrade que o Luciano Matos publicou em seu site, o El Cabong, sobre como o BaianaSystem segue sendo ignorado pela grande mídia baiana justamente por estar cantando sobre o lado da população ignorado por esta mesma mídia:

O que tentam fazer com a BaianaSystem é o que fazem com nosso povo: esquecem, ignoram, sabotam, quando não esculacham com os cassetetes e tapas na cara, e quando convidam para cima do trio é para puxar aplausos, abraçar e se debruçar na virtude alheia por falta de uma, nada mais.

Mesmo que as mídias (ainda) hegemônicas finjam ignorar a existência do Invisível e que seus jornalistas se abaixem para o coito da concupiscência mercadológica das “máquinas de lucro”, a BaianaSystem não se submeterá aos caprichos e dengos da indústria baiana da exploração musical porque “cada palavra que tu guarda na boca vira baba”

Vale a pena ler a íntegra do texto lá no El Cabong.

O lado político do BaianaSystem está diretamente ligado ao seu lado musical e o lento – ê Baêa… – trabalho de formiguinha que o grupo vem fazendo torna sua importância social tão grande quanto seu peso artístico. E uma hora isso vai transbordar. Ah vai.

Rumo a Salvador

radioca-2015

Embarco neste sábado mais uma vez rumo à capital baiana para conferir de perto o festival que o compadre Luciano Matos comanda a partir do certeiro programa de rádio que toca há anos em Salvador ao lado dos feras Beto Barreto e Ronei Jorge. Voltado para a música independente brasileira, o Radioca virou um festival que vai reunir bambas como Siba, Cidadão Instigado, Mulheres Q Dizem Sim, Anelis Assumpção e Apanhador Só a nomes locais em ascensão, como Pitombeira, Oquadro e Ifá. Participo também de uma mesa sobre a cultura independente brasileira neste domingo ao lado de bambas como Bruno Nogueira, Marcelo Costa, Marcelo Monteiro (do Amplificador) e o trio do Radioca. A programação completa do festival pode ser conferida lá no site deles.

Back in Bahia

Há um mês estava com tudo pronto pra comemorar o primeiro aniversário da festa soteropolitana A Bolha, do compadre Luciano Matos e da querida Carol Morena, quando uma greve da polícia militar tirou o sono da cidade e nos fez preferir adiar a celebração. Por isso, lá vou eu nesse sábado pra Salvador, comemorar um ano da festa e matar a saudade da noite da capital baiana. Segurem as pontas que eu tou chegando! As coordenadas seguem no site da festa ou na página do evento no Facebook.

A “volta” do Brincando de Deus

Luciano conversou com Messias sobre a “volta” da banda em que é vocalista e letrista, a baiana Brincando de Deus, uma das bandas mais importantes do cenário independente brasileiro. O “retorno” (entre aspas mesmo, porque a banda não chegou a acabar de fato, apenas parou em 2005) acontece a princípio em um show nesta sexta, em Salvador, mas o próprio Messias já anunciou que em 2010 devem rolar mais novidades…

Aliás, tudo indica que ano que vem será fodaço.

Leitura Aleatória 233


Foto: Pink Lemonade <3

1) Feliz natal, Luciano e Bia (comercial de agência de publicidade)
2) Feliz natal, Babee e Danilo (top 45 discos de 2008)
3) Feliz natal, Flávia (Madonna no Brasil), Hec (projeto novo de HQ) e povo da Goma (especial Roberto Carlos especial de natal)
4) Feliz natal, Nogueira (RIAA não vai mais processar as pessoas por download ilegal)
5) Feliz natal, Fab e Mutli (um bate papo com Rogério Flausino)
6) Feliz natal, Pablo (quais os melhores games de 2008?)
7) Feliz natal, Nana Neri (Dezembrite)
8) Feliz natal, Bernardo e Bruno (Sobremúsica no Multishow)
9) Feliz natal, Luciano (novidades sobre o Vanguart e Ronei Jorge)
10) Feliz natal, Cardoso (a diferença entre um gênio e um pulha)

Sorria, você está na Bahia

Chegando em Salvador pra um show e umas palestras do Trama Universitário, mas vou aproveitar pra tocar em duas feshteenhas:

Show de lançamento do Phodcast do Rock loco

theatro_berlinda_vestidopreto[1].jpg

com as bandas: Theatro de Séraphin, Berlinda e o vestido preto de Valentina
DJs: Luciano Elcabong, Brahminha, Chicão, Alexandre Matias e Mario Jorge (entre outros rockloquistas)
Dia: 09/06 (Sexta-feira)
Horário: 23:00
Local: Calypso (Travessa Prudente de Morais – Rio Vermelho)
Ingresso: R$ 7,00

Festa no Mangue, Bicho – com os DJs el Cabong, Ruy Santana, Alexandre Matias, Clayton Barros (Cordel) e Bac Simpson (Mundo Livre)

festa_3_zauber.jpg

Aonde: Zauber Multiculticura, ladeira da Misericórdia, comércio – tel. 3326-2964
Quando: sábado, 10 de junho, às 2eh
Quanto: R$ 10
Obs: A casa aceita todos os cartões