A orelha do Nino

O querido Bruno Capelas me chamou para fazer a apresentação de seu livro sobre o Castelo Rá-Tim-Bum, Raios e Trovões (Ed. Summus) e é claro que escrevi mais do que precisava – portanto, abaixo, segue a íntegra do texto que foi parar editado na orelha do livro.

raios-trovoes

Mais do que um sucesso comercial ou um bom sucedido programa infantil para as massas, “Castelo Rá-Tim-Bum” é um fenômeno cultural. Nasceu da experimentações que a contracultura paulistana passou uma década curtindo, dos laboratório de TVs de baixo alcance à performance e à dança, passando pelo Lira Paulistano, pelo cinema da boca do lixo, pela literatura marginal e pelo Teatro Oficina, de onde buscaram inspiração, corações e mentes para compor um programa ao mesmo tempo acolhedor e transgressor, ousado e divertido, metalingüíistico e direto.

“Raios e trovões – A história do fenômeno Castelo Rá‑Tim‑Bum” é um microcosmo de algo que sempre presente na história da cultura brasileira: o momento em que experimentações artísticas provam-se populares, acertando o coração do espectador ao mesmo tempo em que fisga sua inteligência. Sem menosprezar nem ser condescendente com seu público, “Castelo Rá-Tim-Bum” traz sua audiência para a tela, propondo uma cumplicidade inédita que só poderia ser obtida através da metalinguagem que o programa transpirava.

Como Oz, o País das Maravilhas, a Terra do Nunca, o Sítio do Picapau Amarelo e Hogwarts, o Castelo teoricamente é um lugar fictício e fantasioso, em que apenas crianças conseguem entrar por portais mágicos. Este portal é justamente a imaginação e a criatividade, que são colocados em xeque a cada aparição de novo personagem, novo cenário, nova canção. Para isso, foi preciso que uma geração inteira de artistas experimentasse os receosos anos pós-ditadura militar, em que a censura, o autoritarismo e o conservadorismo brasileiro escondiam as garras para fingir que estava tudo bem.

Castelo Rá-Tim-Bum também é mais um dos ingredientes da paulistanização da cultura brasileira, ao lado de fenômenos tão diferentes quanto o futebol paulista, a ida de Fausto Silva para a TV Globo, a ascensão dos Racionais MCs e a criação da MTV – todos estes, diga-se de passagem, umbilicalmente ligados ao espaço de liberdade aberto pelas vanguardas paulistanas dos anos 80.

É essa história que o jornalista Bruno Capelas conta em seu trabalho de conclusão de curso que agora materializa-se livro. Percorre das origens da criação de um programa infantil em uma rede pública de televisão (um ato por si só heroico – e há toda uma tradição nisso) à consolidação de uma linguagem moderna e ousada em grande escala. É o equilíbrio entre ser família e ser vanguarda que tornou Castelo Rá-Tim-Bum tão central no inconsciente coletivo brasileiro no final do século passado e é essa história que Capelas, um dos caçulas da geração do jornalismo pop da internet brasileira, conta tão bem em “Raios e Trovões”.

Noites Trabalho Sujo 7.12.2018 | A última do ano!

nts-122018

Vamos lá para o último experimento deste turbulento 2018, encerrando as atividades do ano ao mesmo tempo em que celebramos o sétimo aniversário deste acondicionamento de boas vibrações que realizamos mensalmente no centro da maior cidade do hemisfério sul do lado ocidental do planeta. E para friccionar átomos e células subcutâneas, novamente chamamos o centro holístico de pesquisa musical Scream & Yell, capitaneado pelo novo-pai Marcelo Costa, que convida os suspeitos de sempre (Bruno Capelas, Bruno Dias e Renato Moikano), além de novos aliados (Mike, o inglês Kalli Ma e Renan Guerra), para mexer com corações, mentes e quadris ao mesmo tempo que desfilam pérolas de épocas e gêneros musicais diferentes no auditório preto de nosso simpósio. No lado azul, eu e – diz a lenda, caso sobreviva a uma discotecagem anterior – o mestre Danilo Cabral recebemos a maestra psicodélica Gabriela Deptulski, do My Magical Glowing Lens, e o garoto prodígio JP, ambos mostrando facetas menos indie na pista de dança. Não custa lembrar que só entra na festa quem enviar o nome para o email [email protected] até às 21h desta sexta-feira.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
7 anos de Noites Trabalho Sujo!
Sexta-feira, 8 de dezembro de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Gabriela Depultski (My Magical Glowing Lens), JP (Live PA), Marcelo Costa, Kalli Ma, Renan Guerra, Bruno Dias, Bruno Capelas, Renato Moikano e Mike (Scream & Yell)
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor), bem como os 20 primeiros a chegar na festa.

Noites Trabalho Sujo | 8.9.2018

nts-092018

Enquanto o frio polar teima e se estender até o fim do inverno, a primavera surge no horizonte com esquentando nossa perspectiva de dias melhores – e as máquinas de boas vibrações das Noites Trabalho Sujo seguem quentes para espalhar alto astral usando frequências sonoras. Mais uma vez dividimos a noite com a equipe do laboratório de bons sons do Scream & Yell, liderada pelo doutor Marcelo Costa, que chamou Bruno Dias, Bruno Capelas, Janaína Azevedo, Tiago Trigo e Tiago Aguiar para mexer com corações e quadris na pista preta da Trackers. Já do outro lado, na pista azul, vamos de formação completa de Noites Trabalho Sujo, comigo, Danilo Cabral e Luiz Pattoli estremecendo pernas e mentes com canções tatuadas em nosso imaginário coletivo. Tudo para disseminar os bons ventos e espantar o frio da alma que assola o planeta. Vamos lá? Só não esqueça de que a entrada na festa só acontece mediante o envio dos nomes dos convivas para o email [email protected] até às 20h deste sábado. Vai ser épico!

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 8 de setembro de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Marcelo Costa, Bruno Dias, Bruno Capelas, Janaína Azevedo, Tiago Trigo e Tiago Aguiar (Scream & Yell)
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor), bem como os 30 primeiros a chegar na festa.

Noites Trabalho Sujo na Trackers | 14.4.2018: Como foi

Noites Trabalho Sujo na Trackers | 14.4.2018

NTS_abril_2018

Chega o outono e com ele a sensação de que tudo está em seu lugar – mas, como quase tudo em 2018, é uma sensação falsa. O frio mental e o desamparo físico do inverno astral que paira sobre o país segue fazendo os ossos doer e o fim do fraco verão deste ano veio apenas reforçar isso. De nossa parte, só existe uma alternativa: aquecer a psique e moldar um novo inconsciente coletivo através da emanação de energias positivas em forma de vibrações sonoras, um processo lento mas que requer periodicidade e firmeza. Por isso voltamos mais uma vez à antena de concreto localizada em frente ao Largo do Paysandu para espalhar bons fluidos em mais uma virada de dia. Dois integrantes do instituto Noites Trabalho Sujo de conservação do novo, seu idealizador, fundador e apaziguador Alexandre Matias e o explorador mental Danilo Cabral mantém a atmosfera aquecida no ambiente azul desta camada horizontal de boas sensações, deixando para os pesquisadores do centro de análise e reverberação Scream & Yell, que apresentará diferentes pontos de vista de sua pesquisa ao trazer a formação completa: Bruno Capelas, Bruno Dias, Tiago Agostini, Renato Moikano, Nat Júlio, Marco Tomazzoni, Tiago Trigo e seu sócio-proprietário Marcelo Costa. Para ingressar neste sessão de exorcismo contra as más sensações basta enviar seu nome para a lista de voluntários através do endereço de correio eletrônico [email protected] até às 20h do dia do evento. Namasté!

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 14 de abril de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo): Renato Moikano, Nat Julio, Bruno Dias, Tiago Agostini, Bruno Capelas, Marco Tomazzoni, Tiago Trigo e Marcelo Costa (Scream & Yell)
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25.

Como foi a última edição de 2017 das Noites Trabalho Sujo

Noites Trabalho Sujo | 16.12.2017

NTS-122017

Há seis anos, o jornalista e pesquisador Alexandre Matias embarcou em uma viagem noturna: alterar humores e melhorar o sentimento de prazer e completude através da manipulação de ondas de frequência sonora. O experimento Noites Trabalho Sujo começou semanalmente em um pequeno porão ainda ativo na Avenida São Luís, no centro da maior cidade da América do Sul, quando, todas as sextas-feiras, ele convidava personagens da noite, aspirantes a discotecários, amigos e conhecidos para dividir a troca de registros musicais que pudessem provocar a produção de dopamina e adrenalina a partir de referências culturais mútuas. No percurso, convocou os velhos camaradas Luiz Pattoli e Danilo Cabral para realizar experimentações em conjunto e aos poucos o fundiu com outro experimento trimestral que realizava na torre de concreto Trackertower, também localizada nas redondezas do centro daquela metrópole, próximo ao histórico Largo do Paysandu. Aos poucos a celebração migrou para o novo endereço e mudou as frequências – foi da sexta para o sábado e deixou de ser semanal para ter uma periodicidade mensal. No novo ambiente, novas sensações e novos experimentos, sempre alerta para não provocar más sensações, brindando as cobaias voluntárias destas madrugadas com doses consideráveis de boas vibrações. Neste final de 2017, o encontro comemora seis anos de duração, cumprindo grande parte das metas assumidas e para essa passagem, dois titulares da noite (Matias e Pattoli) recebem os doutores do instituto Scream & Yell, liderado pelo sommelier Marcelo Costa: Bruno Capelas, Tiago Agostini, Nat Julio, Tiago Trigo e Bruno Dias, todos trabalhando em prol do alto astral e da celebração da chegada do verão, esse período mágico que aquece o ano e as vidas. Para participar do evento é preciso enviar o nome dos voluntários para o endereço eletrônico [email protected] e aguardar a confirmação até o final do dia.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 16 de dezembro de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo), Nat Julio, Tiago Trigo, Bruno Capelas, Bruno Dias, Tiago Agostini e Marcelo Costa (Scream & Yell).
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25.

Pela quinta vez na Sim São Paulo

simsaopaulo2017

A quinta edição da principal convenção de música de São Paulo começou nessa quarta-feira, com show de Ava Rocha e Jards Macalé, e começa suas discussões a partir desta quinta, no Centro Cultural São Paulo. Mais uma vez participo do evento, desta vez fazendo a mediação de duas mesas: Música ilimitada: artistas empreendedores a frente de novos negócios (que terá as participações de Tiê – da Rosa Flamingo -, Heloisa Aidar, Mariana Aydar e Marcio Arantes – da Brisa – e Tomás Bertoni e Diego Marx – da Rockin’ Hood), que acontece nessa quinta, às 15h, e Música e Games: Um encontro de dois gigantes das indústrias criativas (que terá as participações de Bruno Capelas, do Estadão, e Pablo Miyazawa, da IGN Brasil), que acontece também às 15h, mas no sábado – as duas ocorrem na Sala Lima Barreto. Também participo do Meet Up Encontre os programadores de espaços e eventos públicos de São Paulo, que terá, além da minha presença respondendo pelo Centro Cultural São Paulo (onde sou curador de música), a participação de Gabrielle Araujo, Vander Lins e Danilo Cabral (da Secretaria Municipal de Cultura), Renata Letícia (do Museu da Imagem e do Som) e Marco Prado (da Secretaria de Cultura do Estado), que ocorre sexta-feira, às 14h, na Sala de Ensaio I. E entrego um dos troféus da primeira edição do Prêmio Sim São Paulo, que será apresentado no sábado, às 19h. Todas as atividades da Sim São Paulo são abertas ao público que comprou o passaporte do evento (além dos showcases diurnos, gratuitos, que acontece todas as tardes na Sala Adoniran Barbosa) e a íntegra da programação pode ser vista no site da Sim.

Noites Trabalho Sujo | 8.7.2017: Como foi

Noites Trabalho Sujo | 8.7.2017

nts-julho-2017

Mais uma vez as baixas temperaturas assolam a maior cidade do ocidente no hemisfério sul e nosso experimento psíquico-intrínseco tem suas ondas orgônicas desviadas também para o aquecimento térmico dos voluntários, que ainda poderão desfrutar do mítico quentão produzido por nosso discreto xamã Julião Barata, que perfuma a noite com o aroma característico do inverno brasileiro. E para nosso ritual místico-científico trabalhar em alta voltagem, convocamos mais uma vez a presença dos pesquisadores do laboratório da terapia do grito primal Scream & Yell para conduzir as atividades no auditório preto. Lá, o pós-doutorado em práticas coletivas Marcelo Costa arregimenta experimentos conduzidos pelas duplas Bruno Dias e Tiago Agostini, Bruno Capelas e Ana Clara Matta e Renato Moikano e Natália Julio, além do trabalho de Tiago Trigo e de sua própria apresentação. O volume de energias concentradas também encontra outro polo no auditório azul, onde o centro de pesquisas Noites Trabalho Sujo mais uma vez apresenta-se com a formação completa e os trio sócio-cientista formado por Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral dispara espasmos cerebrais de boas vibrações a partir da reproduções de fonogramas sonoros de diferentes procedências. A transformação acontece, como sempre, quinze minutos antes da virada do sábado para o domingo e prossegue até o próximo raiar do sol, na torre de concreto em frente ao Largo do Payssandu. A presença exige que envie-se o nome para o correio eletrônico [email protected] até às 20h do dia do experimento, caso contrário não é possível entrar no recinto.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 8 de julho de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Bruno Dias, Tiago Agostini, Ana Clara Matta, Bruno Capelas, Natalia Julio, Renato Moikano, Tiago Trigo e Marcelo Costa (Scream & Yell).
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25. O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. Chegue cedo para evitar filas.