A banda de rock de Arnaldo Branco

overdose

Meu compadre e sócio Arnaldo Branco estréia seu novo trabalho esse mês, dia 12 de agosto, na MTV. Overdose é meio documentário fake, meio reality TV, meio seriado – na verdade, só uma desculpa para Arnaldo exercitar sua promissora carreira cinematográfica (anotem aí, Arnaldo vai salvar o cinema brasileiro) e tirar sarro com todos os estereótipos e clichês do rock, coisa que ele faz sem o menor esforço.

Aguardem.

Rock’n’Roll: Arnaldo Branco na MTV

E contrariando a expectativa do post abaixo, estréia, neste domingo, a mais nova incursão da MTV brasileira pelo universo do rock’n’roll – desta vez em formato de reality show de araque, com assinatura, e direção, do mestre, compadre e sócio Arnaldo Branco. Rock’n’Roll é escrita e dirigida pelo Arnaldo e seu piloto já pode ser visto no site da MTV. Quem gostar pode votar e ajudar a escolher a série como parte da programação da emissora em 2013. Recomendo.

Caetano, 70 anos

O Globo juntou charges de novos cartunistas (como o Arnaldo, a Chiquinha, o Sieber, o Lafa) para celebrar a influência de Caetano, que completa 70 anos nesta terça. Eis algumas delas.

Tem mais lá.

Como foi a Noite Trabalho Sujo com o Arnaldo Branco

Mais uma Noite Trabalho Sujo memorável – e a primeira vez que Arnaldo comanda uma pista na vida (só fui descobrir no almoço do dia seguinte). E as foto da Bárbara, abaixo, mostram como foi o estrago… E nessa sexta a festa continua, dessa vez com a minha querida Bia Carminati.

 

Noites Trabalho Sujo apresenta Arnaldo Branco

E nessa sexta-feira, quem dá o ar de sua graça nas Noites Trabalho Sujo é o meu compadre Arnaldo Branco, lançando seu livro em São Paulo a partir das 20h. E além de vender e autografar o livro, Arnaldo também exibirá seu bom gosto musical (ele teve uma banda de power metal na adolescência, hein) dividindo os CDJs comigo. E pra comemorar o lançamento, tem double caipirinha ou caipivodka até a meia-noite – paga um, ganha o outro. E depois é aquele esbórnia saudável que você bem conhece… Sabe como ir, né? Se não, veja no site do Alberta ou na página do evento no Facebook. E para colocar o nome na lista, é só mandar para o email [email protected], até às 20h. A noite promete!

Arnaldo Branco no Jô Soares

É isso aí:

Um dos meus poucos ídolos que habitam minha mesma faixa etária, Arnaldo também é broderzaço, sócio-fundador dOEsquema e é gente finíssima. E sexta que vem, ele volta a São Paulo como convidado e protagonista da Noite Trabalho Sujo da semana, fazendo jornada dupla: lançando seu livro na cidade e depois tocando hits de metal farofa dos anos 80 junto comigo na pistinha do Alberta. Vai ser demais.

OEsquema na Campus Party

Eu, Bruno e Arnaldo vamos falar de nosso nobre empreendimento daqui a pouco, às 17h, na Campus Party. O Mini não pode vir porque acabou de ser pai. E aí, quem vai?

Liv no Cruzeiro Weezer e o primeiro disco ao vivo na íntegra


Sorry Tati, te cortei da foto pra concentrar no casal OEsquema 😛

Liv e Arnaldo tiraram janeiro para passar a lua de mel no já mítico cruzeiro do Weezer e a Liv começa a contar como foi num post de seu blog:

Não adiantou me beliscar, sacudir a cabeça, fechar e abrir os olhos repetidas vezes. Só acreditei que estava fazendo um CRUZEIRO de Miami a Cozumel apinhado de BANDAS LEGAIS quando o weezer Rivers Cuomo, viciado em soccer, começou a bater bola ao lado do palco montado no ensolarado deck e tocou os primeiros acordes de “Hash pipe”. Cercados por três mil pessoas – sendo 30 brasileiros, todos devidamente identificados pela obcecada equipe deste blog (ou seja, eu) – Rivers, Brian Bell, Scott Schrinner e Pat Wilson fizeram um dos shows mais inusitados de sua longa carreira e, certamente, um dos mais inesquecíveis da vida de geral que estava ali.

Antes disso, o Diego já havia alertado que um vídeo com quase todo o show em que o grupo toca o primeiro disco – o “Azul” – já estava online.

E o show do Pinkerton, alguém viu? E eu tou esperando o cartum do Arnaldo sobre essa trip.

Eu adoro camiseta: Capitão Presença

E o Arnaldo finalmente fez as camisetas do Capitão Presença.

Dá pra comprar lá com o Matias Maxx. Aliás, saudade desse moleque.

Vinteonze: Tudo é maravilhoso e ninguém tá feliz

Que maravilha de programa: Arnaldo e Mini baixaram em SP e foram convocados a participar do penúltimo Vinteonze, ao som do disco do Bixiga 70. Então falamos do CD novo da Gal, da teoria do coautor, de um processo pessoal analítico de cultura, do desenho do Mundinho Animal, dum tio-avô racista, do hype um ano depois, de aprender a ceder, da lei mais psicodélica do Brasil, do clichê do filme de zumbi, de como o Melancolia e o Árvore da Vida se ajudaram mutuamente, do algoritmo do Google e do Facebook, do gosto como identidade, do Yorkshire morto e de Kin Jong-Il, de como Vitinho Sou Foda já é um has-been, da Comedy Central no Brasil, do próximo Messias, do disco de covers do Walverdes, da publicidade no útero, de ter filho só depois da Copa, da estréia de Arnaldo na direção, de smart-ass content, dos Sopranos da Idade Média, de conviver bem com a opinião alheia e de conclusões semelhantes sobre o Liberdade do Franzen.


Ronaldo Evangelista & Alexandre Matias – “Vinteonze #0031“ (MP3)