Livros que traduzi

 

Zap Comix

A Zap foi mais que um grupo de jovens que resolveram fazer uma revista sem pedir permissão a grandes editores e autoridades: foi um movimento. Os quadrinhos foram a melhor e mais divertida forma de expressão contra a autoridade e o governo e se tornaram o modelo e a inspiração para dezenas de gibis underground. Esta antologia da Zap, edição criada especialmente para o Brasil, é fundamental para entender o que foi a década de 60 e o sarcasmo subversivo desses artistas contra tudo e contra todos.

Robert Crumb
S. Clay Wilson
Gilbert Shelton
Spain Rodriguez
Rick Griffin
Victor Moscoso
Robert Williams
Conrad Editora
Formato: 21 cm x 27 cm
ISBN: 85-87193-81-3
Páginas: 192

Chuva de Estrelas – O Sonho Iniciático no Sufismo e Taoísmo
Peter Lamborn Wilson
Com base em textos fundamentais de diferentes tradições religiosas o autor questiona a hierarquia nas religiões dispensando a figura do mestre e resgatando a experiência do sonho como um ritual iniciático. Em um estudo erudito e instigante Peter Lamborn Wilson nos revela um novo conceito sobre a importância do livro como elemento de ligação com o mundo imaginário.
Conrad Editora
Formato: 14 x 21 cm
ISBN: 85-7616-001-3
Páginas: 168

Futuro Proibido
Esta coletânea reúne os contos de ficção científica mais originais e bizarros de todos os tempos. Esses contos reúnem elementos como o bizarro o inesperado a violência e experiências sexuais surreais. Tudo isso para garantir que o livro fuja de qualquer padrão de histórias de ficção científica.
Peter Lamborn Wilson
Rudy Rucker
Robert Anton Wilson
Bruce Sterling
Mike Saenz
J.G. Ballard
William Burroughs
Conrad Editora
Formato: 14 cm x 21 cm
ISBN: 85-87193-89-9
Páginas: 224

Fabulous Furry Freak Brothers
Um clássico da contracultura americana, os Freak Brothers são personagens-símbolo de uma época, ou, como diz um membro do grupo inglês Monty Phyton, ­ os quadrinhos que inventaram os anos 1960. E isso é muito mais do que se costuma dizer sobre os quadrinhos: se o cinema, as artes plásticas, a música e a literatura formataram gerações, a turma da Zap Comix e, principalmente, os Freak Brothers moldaram a cara de uma década, influenciando todas as outras formas de expressão. Freak Brothers é uma crítica ácida ao way of life dos Estados Unidos, falando da cultura hippie, do medo do comunismo, da repressão, de rebeliões estudantis e dos preconceitos de toda uma época. E tudo isso com um humor que transcende sua época e os coloca com uma vitalidade que poucos personagens conseguem.
Gilbert Shelton
Conrad Editora
Formato: 21x 27 cm
ISBN: 85-7616-055-2
Páginas: 184

Fabulous Furry Freak Brothers – A Viagem Continua
Em Freak Brothers: a Viagem Continua, o leitor encontrará os mesmos personagens cômicos e politicamente incorretos do volume 1, a diferença é que suas histórias vêm recheadas de aventuras polêmicas que envolvem desde uma corrida pelo ouro até derretimentos nucleares. Nestas histórias, escritas entre os anos 1970/80, torna-se mais evidente o apelo político e social que caracterizou todo o movimento de contracultura. Além disso, Gilbert Shelton, desta vez junto com Paul Mavrides e Dave Sheridan, também explora outros talentos de sua versão psicodélica dos três patetas. O amadurecimento da obra provavelmente é reflexo das perseguições que a Rip Off Press sofreu quando seus gibis se tornaram um fenômeno de vendas. Vendê-los, então, tornou-se um convite a ser processado pela Justiça. A época dos hippies já passou há muito tempo, mas essa influência não perdeu nem um pouco de sua força. Isso porque o mais importante nas histórias de Shelton é sua visão do mundo, mantendo sempre atual uma obra que foi considerada um épico dos quadrinhos.
Gilbert Shelton
Conrad Editora
Formato: 21x 27 cm
ISBN: 85-7616-093-5
Páginas: 156

Fritz the Cat
Fritz tornou-se um símbolo da contracultura. Depois dele, ninguém mais, nem mesmo os gatinhos e patinhos, foi inocente nos quadrinhos.
Robert Crumb
Conrad Editora
Formato: 27x21cm
ISBN: 8587193-80-5
Páginas: 136

Mr. Natural
Mr. Natural foi o primeiro personagem de Robert Crumb a ter revista própria. E é também o mais presente ao longo da carreira do desenhista e o mais emblemático da evolução e dos temas abordados por Crumb. No entanto, de tantos gatos, coelhos e personagens exóticos, Mr. Natural é aquele que parece ser o menos autobiográfico. Mr. Natural é, por exemplo, aquele menos dado a crises existenciais e a profundos autoquestionamentos. Ou o menos perturbado por seus desejos sexuais. Ao mesmo tempo que parece de uma transparência total, é talvez o personagem mais ambíguo, mais complexo.
É um charlatão que aproveita da credulidade alheia para garantir sua boa vida? Um verdadeiro sábio que atingiu uma profunda compreensão do mundo? A biografia que Crumb arrumou para seu personagem não ajuda muito. Mr. Natural teria se envolvido no tráfico de bebidas durante a lei seca, teria criado um “santo remédio” em 1925 ao mesmo tempo em que se inventava como Dr. Von Natürlich. Depois de um período na cadeia, reapareceu como o mágico Mr. Natural, o Magnífico.
A carreira também foi curta e escandalosa. Então se tornou músico e virou um grande sucesso entre as big bands com a Mr.Natural e seus Libertinos Líricos. Ficou rico, mas subitamente abandonou tudo para se tornar um andarilho, junto com outros tantos vagabundos da América. E, depois, dizem que andou pelo Oriente Médio, China, Tibet e Afeganistão, onde trabalhou como taxista. Por fim, o encontramos cercado de discípulos na Califórnia.
Robert Crumb
Conrad Editora
Formato: 27 x 21 cm
ISBN: 85-7616-009-9
Páginas: 120

Mr. Natural vai para o hospício e outras histórias
A série que foi sucesso no Village Voice, semanário nova-iorquino, volta as bancas e prateleiras de livrarias. Desta vez, ele encontra seus demônios e acaba sendo internado numa clínica psiquiátrica. Além disso, foram reunidas as primeiras tiras da primeira fase do quadrinista Robert Crumb, um dos pais da contracultura nos Estados Unidos. Mr. Natural, que não passa de um charlatão aproveitador da credulidade alheia para garantir sua boa vida, é o primeiro personagem de Crumb a ganhar sua própria revista por ser o quadrinho mais presente ao longo de sua carreira. É também o mais emblemático da evolução e dos temas abordados pelo autor.
Robert Crumb
Conrad Editora
Formato: 21x27cm
ISBN:85-7616-101-X
Páginas: 104

Preparação de texto
The Originals – Sangue nas Ruas
As ruas de grande metrópole raramente são calmas. Mas, se Originals e Dirts se esbarrarem em uma delas, ninguém sabe o que pode acontecer. Para os Originals, não há nada mais repugnante do que os guetos cheirando a óleo e as jaquetas de couro ensebadas dos Dirts. Para os Dirts, é insuportável ver os Originals e suas roupas alinhadas circulando por aí em suas hovers reluzentes. Mas, para Lel e Bok, não há nada mais de legal do que ser um membro dos Originals. Alta velocidade, festas alucinadas, garotas maravilhosas. Lealdade. Lutar – com muita raiva, se necessário – pelo que você e seus parceiros acreditam. Mas tudo tem seu preço, e a lealdade à gangue vai lhes ensinar o significado inesquecível de uma perda irreparável.
Dave Gibbons
Conrad Editora
Formato: 17x23cm
ISBN: 85-7616-112-5
Páginas: 160

Preparação de texto
Minha Vida
Minha Vida é uma autobiografia de Robert Crumb, um dos amiores artistas do século XX. Os primeiros desenhos publicados, a experiência psicodélica em San Francisco, a fase do “cartunista mais amado da América” e seu distanciamento do entretenimento de massa, em direção a um estilo mais sinistro e bizarro, mostram a evolução do traço e das idéias do autor. Além dos desenhos e rascunhos raros, uma série de textos assinados pelo próprio cartunista conta detalhes exclusivos de um caminho construído de forma única, sem concessões ao mercado, sem moralismos, sem autoindulgência. Em Minha Vida, por sinal, há tudo menos autoindulgência, porque agora o humor sarcástico e implacável de Robert Crumb se volta contra seu maior personagem: ele próprio.
Robert Crumb
Conrad Editora
Formato: 21 x 27 cm
ISBN: 978-85-7616-394-7
Páginas: 146

Esse eu não traduzi, só coordenei a publicação
Cultura Livre – Como a Grande Mídia Usa a Tecnologia e a Lei Para Bloquear a Cultura e Controlar a Criatividade
Lawrence Lessig
ISBN: 85-89362-52-3
http://tramauniversitario.uol.com.br/compartilhe/cultura_livre.jsp

 

 

Bilionários Por Acaso
Best-seller do The New York Times, Bilionários por acaso é uma narrativa em alta voltagem sobre dois estudantes desajustados de Harvard que tentavam aumentar suas chances com o sexo oposto e terminaram criando o Facebook.
Protagonizada pelo brasileiro Eduardo Saverin, estudante de economia, e pelo norte-americano Mark Zuckerberg, gênio da informática – amigos que sobreviviam num ambiente repleto de alunos brilhantes de famílias supertradicionais – mostra a trajetória da criação da rede social que se tornou uma das mais poderosas empresas do mundo e que revolucionou a maneira como milhões de pessoas se relacionam.
Ben Mezrich revela os detalhes picantes dos bastidores dessa verdadeira saga, em uma narrativa movida a altas doses de paranoia, sexo, bebida, talento, alguma droga e muita ambição, entre investidores poderosos, mulheres maravilhosas, a busca do estrelato social e muitas, mas muitas intrigas. Criado para unir as pessoas, a história do Facebook é de desavenças e separação.
Ben Mezrich
Editora Intrínseca
Formato: 23 cm x 16 cm
ISBN: 8598078948
232 páginas

Criaturas Flamejantes
(Coleção Iê-Iê-Iê)
Nick Tosches
‘Criaturas Flamejantes’ não é mais um livro sobre o nascimento do rock. É uma viagem pelo passado subversivo de um fenômeno que, antes de se tornar um sucesso estrondoso, foi combatido com o grande mal de uma geração. Como testemunha ocular atenta, Nick Tosches nos leva diretamente ao bordel sujo, onde, em algum dia nos anos 1930, Deus e o Diabo celebraram o pacto que mudou a história do século XX.
Conrad Editora
Formato: 11.50 x 18 cm
ISBN: 8576161893
136 páginas

Star Wars – A Trilogia – O Império Contra-Ataca
A saga que atravessou o espaço e inúmeras gerações de fãs retorna ao público brasileiro em grande estilo. As histórias clássicas de Luke Skywalker, Han Solo, Princesa Leia, Mestre Yoda e Darth Vader ganham as páginas luxuosas de Star Wars, A Trilogia. A obra reúne os romances inspirados nos três primeiros filmes do universo fantástico criado por George Lucas: Uma Nova Esperança, O Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi. Os três títulos chegaram a ser lançados no Brasil, sendo o último deles em 1983. Mas esta é a primeira vez que a trilogia completa é editada em nosso país num único volume, em capa dura.
Donald F. Glut
DarkSide Books
Formato: 23 cm x 16 cm
ISBN: 8566636260
528 páginas

A Garota da Banda
Lançamento do selo Fábrica231, a badalada autobiografia A garota da banda, de Kim Gordon, chega ao Brasil em setembro, depois de conquistar público e crítica nos Estados Unidos e na Europa. Fundadora da banda Sonic Youth, ao lado do ex-marido Thurston Moore, Kim Gordon foi baixista e vocalista da banda por mais de três décadas, além de produtora musical, artista visual, ícone fashion e atriz que continua a influenciar gerações de mulheres. No livro, ela narra sua trajetória com o mesmo estilo visceral e livre de amarras com que se apresenta nos palcos. E começa de trás para frente, partindo de dois términos entrelaçados: o divórcio do casal e o fim do Sonic Youth, ambos um baque para os fãs. A partir daí, a autora fala de casamento, maternidade, feminismo, de seu background familiar, da paixão pelas artes visuais e, claro, de música, com uma narrativa não linear, mas sempre fascinante.
Kim Gordon
Com Mariana Moreira
Editora Rocco
Formato: 15 x 22 cm
ISBN: 978-85-68432-35-8
Páginas: 288

O Jogo – Trilogia The Game – Volume 1
Trilogia The Game, Volume 1: O Jogo por Anders de la Motte Você quer jogar? É só um jogo. Isso é o que pensa Henrik “HP” Peterson, protagonista da Trilogia The Game, ao aceitar um convite anônimo, via celular, para participar de missões inusitadas pelas ruas de Estocolmo. Mas a cada tarefa cumprida, e devidamente compartilhada na rede, ele tem a sensação de que a brincadeira está ficando séria demais. Será paranoia? Ou será que HP está realmemte caindo numa poderosa rede de intrigas, com conexões que poderiam chegar aos responsáveis pelo assassinato do primeiro ministro sueco em 1986 ou até mesmo aos ataques do 11 de setembro? Quem afinal está por trás desse JOGO? Você tem coragem de investigar? Então você precisa ler [O Jogo], primeiro livro da Trilogia The Game, de Anders de la Motte. Uma saga eletrizante que combina a escola sueca de suspense (vide Stieg Larsson) com o vazamento de informações no mundo pós Edward Snowden. Anders de la Motte é um ex-policial e diretor de segurança de informação de uma das maiores companhias de TI do mundo. Está desenvolvendo uma série para a TV americana com o produtor executivo de Homeland e 24 Horas. A Trilogia The Game conta a história de HP, o pequeno trambiqueiro que está só contando o tempo necessário para largar o subemprego e voltar a receber o seguro social. A outra jogadora é a detetive Rebecca Normén, recém promovida para o grupo de elite do Serviço de Segurança sueco. Enquanto sua carreira decola quase por acaso, mensagens anônimas deixam claro que segredos do seu passado não estão tão bem guardados assim. Fenômeno em diversos países, a Trilogia The Game é surpreendente, divertida e assustadora na medida certa. Um thriller dos tempos de hoje, onde tudo o que acontece numa tela touchscreen já não pode mais ser considerado virtual. [O Jogo] é só o primeira volume desta instigante trilogia que a editora DarkSide traz com exclusividade para leitores e players brasileiros. Então, quer jogar?
Anders de la Motte
Com Mariana Moreira
DarkSide Books
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 9788566636512
Páginas: 272

O Jogo – Trilogia The Game – Volume 2
Esse não é mais um jogo para iniciantes. Como acontece num bom videogame, à medida que o jogo avança, a leitura fica mais perigosa. [Ruído], volume dois da Trilogia The Game, traz o protagonista HP Peterson enfrentando uma nova fase do Jogo de Realidade Alterada que pôs sua vida em risco, no primeiro livro da série. HP poderia ter tudo: dinheiro, conforto, liberdade. Mas ele está disposto a arriscar tudo para sentir de novo a adrenalina correndo em suas veias. Enquanto isso, a policial Rebeca Normén começa a receber ameaças anônimas por um fórum de internet. O cerco começa a se fechar sobre os dois. Como se proteger de uma ameaça que você não tem certeza que existe. [Ruído] é o segundo livro da Trilogia The Game, de Anders de la Motte, o ex-policial e diretor de segurança de informação que se transformou no grande nome do suspense da Suécia após a morte de Stieg Larsson. O autor desenvolve uma série para a TV americana com o produtor executivo de Homeland e 24 Horas. A Trilogia The Game conta a história de HP, um jovem que tem sua vida transformada num jogo emocionante quando encontra um celular no vagão de trem. Através de mensagens anônimas no aparelho, ele passa a receber instruções para realizar tarefas no mínimo instigantes. A detetive Rebecca Normén é sua irmã, diferente de HP como são opostos a água e o vinho. Fenômeno em diversos países, a Trilogia The Game é surpreendente, divertida e assustadora na medida certa. Um thriller dos tempos de hoje, onde tudo o que acontece numa tela touchscreen já não pode mais ser considerado virtual. Anders de la Motte (1971) foi oficial de polícia e diretor de segurança de uma das maiores companhias de ti do planeta. Atualmente, trabalha como consultor de segurança internacional. E, assim como fez Stieg Larsson com sua trilogia Millenium, está trazendo de volta a atenção do mundo para a tradicional literatura da Suécia, que agora ganha status de referência em suspense. (Deve ser a Aquavit.) De La Motte escreve em ritmo acelerado, misturando humor, suspense e comentários sobre informática e mídias sociais. Seu texto é selvagem e repleto de referências à cultura pop. O premiado [O Jogo], primeiro volume da Trilogia The Game é sua estreia na ficção. “Emocionante começo desta trilogia de suspense […] ritmo implacável que conduz a um final impressionante.” Publishers Weekly “A Trilogia The Game tem uma trama inteligente, cinematográfica e personagens com potencial hollywoodiano.” Feeling (Holanda) “Recomendamos, sem dúvida, a Trilogia The Game para todos os viciados em adrenalina. O livro é impossível de largar e muito divertido” DV (Islândia) “Este jogo não conhece fronteiras. Emocionante do começo ao fim!” Men’s Health (Holanda).
Anders de la Motte
Com Mariana Moreira
DarkSide Books
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 9788566636628
Páginas: 230

Alguém Come Centopeias Gigantes?
Para encurtar uma história longa: esse livro é um registro histórico. Quinze entrevistas inéditas no Brasil com nomes pesados do punk e da contracultura. Segura a lista: Jello Biafra, Devo, The Clash, Patti Smith, J.G. Ballard, The Cramps, Timothy Leary, Paul Krassner, John Waters, Henry Rollins, Lydia Lunch, Lawrence Ferlinghetti, Throbbing Gristle, Diane di Prima e William S. Burroughs. O radialista Fabio Massari mergulhou na obra do editor norte-americano V. Vale e selecionou o material, que vai desde a época do lendário fanzine Search & Destroy até conteúdo extraído dos títulos da RE/Search Publications, editora fundada por Vale em 1980. Com tradução assinada pelo jornalista Alexandre Matias (que ainda escreveu um posfácio para a obra) e prefácio de Rudy Rucker, um dos fundadores do movimento literário cyberpunk, Alguém come centopeias gigantes? É muito mais do que um título estranho, algo enigmático: é um registro fundamental sobre pessoas, ideias e movimentos que influenciaram muitos descontentes ao redor do mundo e, de modo surpreendente, também respingaram na cultura de massas. Diretamente das páginas (sagradas) do Search & Destroy temos as entrevistas com Devo, The Clash e Patti Smith, realizadas no auge do movimento punk, em 1977 e 1978. A entrevista com Jello Biafra – falando sobre a história do punk rock – foi publicada originalmente como uma introdução ao primeiro volume de relançamento fac-similar Search & Destroy 1-6: The Complete Reprint, em 1996. Lux Interior e Poison Ivy (The Cramps) aparecem em bate-papo longo e inspirador, revelando detalhes sobre a lendária coleção de discos do casal. Completando a escalação musical do livro, o onipresente Henry Rollins, a multifacetada Lydia Lunch e a música industrial do Throbbing Gristle.Tem também o cinema exótico de John Waters (diretor do clássico Pink Flamingos) e as experiências lisérgicas de Timothy Leary, o papa do LSD. Paul Krassner exemplifica a relação entre comédia e trotes. Os escritores pedem passagem, nas entrevistas com J.G. Ballard (autor de O império do Sol, adaptado para o cinema por Steven Spielberg), com o poeta Lawrence Ferlinghetti (cofundador da livraria City Lights, de São Francisco) e ainda Diane di Prima (poeta e escritora, autora de mais de 30 livros). Fechando os trabalhos, ninguém menos do que William S. Burroughs, uma das figuras centrais da Geração Beat. A entrevista com o autor de Junky foi realizada em abril de 1997, poucos meses antes de sua morte. A história do punk e da contracultura passa pelas páginas desse livro.
V. Vale (org: Fabio Massari)
Entrevistas com
Jello Biafra
Devo
The Clash
Patti Smith
J. G. Ballard
The Cramps
Timothy Leary
Paul Krassner
John Waters
Henry Rollins (2.13.61)
Lydia Lunch
Lawrence Ferlinghetti
Throbbing Gristle
Diane di Prima
William S. Burroughs
Edições Ideal
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 978-85-62885-41-9
Páginas: 304

De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads – Os Bastidores da Trilogia
O futuro é agora! O livro oficial sobre os bastidores da Trilogia O futuro está de volta. Há 30 anos, Marty McFly fazia sua primeira viagem no tempo, a bordo de um DeLorean. Tinha início uma das maiores trilogias da história do cinema. De Volta Para o Futuro é um marco da cultura pop, conquistando gerações de fãs leais a cada reprise na tv ou nos relançamentos em todas as mídias possíveis, do vhs piratão aos modernos vídeos on demand. Para comemorar o 30º aniversário da saga que reinventou a ficção científica, com boas doses de humor e aventura, a DarkSide® Books tem o prazer de anunciar mais um lançamento imperdível para qualquer geek que se preze: De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads – Os Bastidores da Trilogia. O livro de Caseen Gaines é o documento mais completo sobre a trilogia De Volta Para o Futuro, além de ser uma verdadeira aula sobre cinema. Para conseguir reunir informações exclusivas, muitas daquelas que nem o mais apaixonado dos fãs conhecia direito, o autor levou vinte meses de pesquisa e conduziu mais de quinhentas horas de entrevistas com equipe técnica, elenco e fãs. O diretor Robert Zemeckis, o produtor e corroteirista, Bob Gale, o insubstituível Christopher Lloyd (Dr. Emmet Brown) e até mesmo Huey Lewis, autor de “Power of Love”, canção-tema do filme de estreia, relembram, com detalhes, como a saga ganhou vida. Críticos de cinema, documentaristas e fãs dedicados também ajudaram a enriquecer o conteúdo do livro. Entre as muitas curiosidades desvendadas por Caseen Gaines estão os verdadeiros motivos que levaram Zemeckis a demitir Eric Stoltz (Máscaras do Destino, Pulp Fiction), o primeiro ator a interpretar McFly diante das câmeras; por que De Volta Para o Futuro quase se chamou O Homem de Plutão; como Chuck Berry quase sabotou o solo de guitarra de Marty; ou ainda, por que a velocidade necessária para o DeLorean viajar no tempo é de 88 milhas por hora? De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads – Os Bastidores da Trilogia chega aos leitores brasileiros no tão esperado dia 21 de outubro de 2015. A data marca a viagem de McFly, sua namorada Lorraine e Dr. Brown ao século xxi no gancho do primeiro para o segundo filme da trilogia, e será celebrada no mundo inteiro como o Back To The Future Day. Enquanto esperamos que os skates voadores (hoverboards, para os íntimos) estejam disponíveis para o grande público, uma coisa é certa: o futuro já chegou! Caseen Gaines é um devotado historiador de cultura pop. Sua tese de formando em jornalismo e estudos midiáticos na conceituada Rutgers University explorou relações raciais presentes na série original de filmes Planeta dos Macacos. É professor de inglês do ensino médio e diretor artístico da Hackensack Theatre Company. De Volta Para o Futuro: We Don’t Need Roads – Os Bastidores da Trilogia é seu terceiro livro. Saiba mais em caseengaines.com.
Caseen Gaines
Com Mariana Moreira
DarkSide Books
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 9788566636765
Páginas: 248

Ghetto Brother – Uma Lenda do Bronx
No início dos anos 1970, os Ghetto Brothers tinham 2000 membros só no Bronx e preparavam-se para uma guerra com outras gangues que certamente iria resultar em uma carnificina entre os jovens.
Foi quando Benjy Melendez convocou uma reunião com todos os líderes de gangues da cidade e fechou um histórico acordo de paz. O feito foi tão importante que Benjy inspirou a criação de romances e filmes como Warriors – Os Selvagens da Noite, e é considerado o marco inicial da cultura hip hop.
No texto de introdução do livro, o jornalista e crítico musical especializado em rap Jeff Chang explica os elos entre a pacificação promovida por Melendez e o surgimento do hip hop em Nova York. Um livro que vai interessar não somente aos fãs de quadrinhos, mas também aos fãs de rap.
Julian Voloj e Claudia Ahlering
Com Mariana Moreira
Editora Veneta
Formato: 19 x 26 cm
ISBN: 9788563137555
Páginas: 128

A Vingança Dos Analógicos – Por que os objetos de verdade ainda são importantes

Em meio a nossa trajetória rumo à utopia digital, algo de engraçado aconteceu – voltamos a nos interessar pelos bons e velhos objetos analógicos, aqueles que os gurus da tecnologia insistiam em dizer que estavam obsoletos. Nichos de mercado que pareciam ultrapassados, como o filme em película ou as vitrolas, ressurgiram com novo fôlego. Escrever em cadernos de papel, escutar discos de vinil e receber os amigos em torno de um jogo de tabuleiro voltaram a ser atividades bacanas. Eis a Vingança dos Analógicos!
O jornalista canadense David Sax percorreu o mundo atrás de histórias de empreendedores, desde pequenos negócios até grandes corporações, que conquistaram uma nova fatia de mercado vendendo não aplicativos ou soluções virtuais, mas coisas reais, palpáveis. Enquanto os e-books estavam supostamente mudando nossa forma de ler, livrarias independentes se espalhavam pelos Estados Unidos. Quando a música parecia ter migrado definitivamente para a “nuvem”, as vendas de discos de vinil cresceram mais de dez vezes. E até mesmo gigantes da tecnologia, como Google e Facebook, confiam cada vez mais no papel-e-caneta para desenvolver as melhores ideias.
Este livro se debruça sobre o que está por trás de nossos hábitos de consumo e interação com as coisas reais. Com um olhar sensível e um texto bem-humorado, Sax nos mostra a limitação dos apelos da vida exclusivamente digital – e quão promissor é o futuro dos objetos de verdade que estão lá fora.
David Sax
Editora Rocco
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 9788569474227
Páginas: 304

A Arte Da Criatividade
Em capítulos breves e atraentes, o professor e crítico de arte inglês Rod Judkins apresenta de maneira enganosamente simples alguns dos mais diversos processos criativos, mostrando como cada um de nós pode aprender com eles para melhorar nossas vidas e nosso trabalho. São conselhos improváveis, que mexem com nosso comodismo para estimular uma das áreas menos exigidas no século digital: a criatividade. Tudo isso através de um passeio pela biografia de artistas, cientistas e executivos que mudaram as regras do jogo por acaso, acidente ou ousadia, procurando momentos cruciais nas vidas de nomes tão diferentes quanto os Beatles, Frank Lloyd Wright, Michelangelo, Miles Davis, Nikola Tesla, Matt Groening, Salvador Dali, Steve Jobs, Andy Warhol, Coco Chanel, Alexander McQueen, Frida Kahlo, James Joyce e Francis Ford Coppola.
Da incansável agenda de ensaios do quarteto de Liverpool às implacáveis revisões de Tolkien, Sondheim e Picasso, passando pela criação surpreendentemente descuidada dos Simpsons. Você irá aprender sobre a turma acadêmica mais bem-sucedida na história (onde cada aluno ganhou um Prêmio Nobel), por que J.K. Rowling gosta de escrever em cafés e como 95% de Apocalypse Now terminou no chão da sala de montagem. A Arte da Criatividade reúne estes momentos em doses curtas, que podem ser lidos fora de ordem e que sempre abrem uma janela de possibilidades a partir de pontos de vistas improváveis. Um convite à imaginação em todas as áreas: artes, ciências, negócios e na vida prática.
Rod Judkins
Editora Rocco
Formato: 19 x 14 cm
ISBN: 9788532530585
Páginas: 288

Breaking Bad: O Livro Oficial
Você acha mesmo que sabe tudo sobre Breaking Bad? Então prepare-se para ter uma aula que o seu professor de química do colégio não ousaria lhe ensinar. Em Breaking Bad: O Livro Oficial, você vai conhecer os segredos de Walter White que nem mesmo o cunhado dele, o policial da Narcóticos Hank Schrader, foi capaz de descobrir. Breaking Bad: O Livro Oficial chega ao Brasil em 2017 pela editora mais casca-grossa do pedaço para comemorar os dez anos da série. “Diga meu nome.” “DarkSide® Books!” E sabe o que existe de tão especial nas páginas dele? Tudo o que um fã de verdade espera encontrar: depoimentos do elenco e da equipe; segredos por trás das câmeras; sinopses dos 62 episódios; citações matadoras; perfis dos inesquecíveis personagens; plantasbaixas de cenários e locações; a coleção dos veículos usados em cena; reprodução de materiais promocionais e colecionáveis, além de mais de trezentas fotos oficiais, muitas delas inéditas. Com exceção da fórmula secreta dos cristais azuis de Heisenberg, não falta mesmo nada. E nem poderia ser diferente. O grande trunfo de Breaking Bad: O Livro Oficial é ter sido desenvolvido com a supervisão do próprio criador da série, o showrunner Vince Gilligan, que concedeu uma extensa e minuciosa entrevista ao autor do livro, David Thomson. Juntos, como White e Pinkman, eles analisaram todos os componentes que fizeram do programa um verdadeiro marco nesta nova Era de Ouro das séries de tv. A química entre Gilligan e Thomson rolou perfeitamente. E pode ter certeza: não foi do mal. Nós não vamos deixar vocês cozinhando. Breaking Bad: O Livro Oficial sai do laboratório da DarkSide® Books seguindo o padrão de qualidade quase psicopata da editora. Nenhuma mosca foi permitida na gráfica durante a impressão do livro. Breaking Bad: O Livro Oficial é mais um lançamento da Coleção Fora de Série, que apresenta os bastidores de séries clássicas de tv e foi inaugurada com Twin Peaks [Arquivos e Memórias], assim como a Coleção Dissecando, com livros sobre os clássicos do terror, como O Massacre da Serra Elétrica, Evil Dead e Sexta-Feira 13. David Thomson é um dos mais respeitados críticos de cinema e TV da atualidade. Suas colunas são publicadas no New York Times, Film Comment, Movieline e Salon.com. É professor de cinema na Dartmouth College, tradicional universidade norte-americana e autor de The New Biographical Dictionary of Film, livro de referência sobre cinema nos EUA.
David Thomson (org.)
com Mariana Moreira
DarkSide Books
Formato: 21 x 23 cm
ISBN: 978-85-9454-059-1
Páginas: 224

sucessonotrabalho

Sucesso no Trabalho
Você é daqueles que, no trabalho, tem a impressão de que quanto mais se esforça, menos rende? Nunca consegue sair na hora e sempre acorda preocupado com as inúmeras tarefas a fazer? Você não consegue aproveitar as horas de lazer? Ainda que tenha muito a fazer, não consegue dizer ‘não’ para um pedido de ajuda? Sua rotina é quase sempre tomada por reuniões que levam a nada? Não entende como aquele seu colega consegue entregar bem seus projetos, arrancar elogios do chefe e ainda sair no horário a tempo para jantar com a família? Ele tem talento ou sorte? Afinal, por que algumas pessoas se saem bem no trabalho e outras não?

Segundo o escritor, professor, palestrante e teórico de Administração norueguês-americano Morten T. Hansen, o seu colega não tem necessariamente nenhum talento excepcional nem uma sorte inexplicável. Ele pode simplesmente estar dentro daquele grupo de pessoas que consegue trabalhar de forma inteligente, maximizando a produção por hora de trabalho. Em outras palavras, rendendo mais trabalhando menos. Mas, isso é possível? Ou mera utopia? Para Hansen, trabalhar assim não somente é possível, como é mais fácil do que parece. E ele mostra o passo a passo em Sucesso no trabalho – Como os melhores gestores e funcionários trabalham menos e rendem mais. O livro é resultado de um estudo sobre desempenho individual que o acadêmica realizou a partir de uma pesquisa com cinco mil gerentes e funcionários de várias empresas, em 2011. A partir dos resultados das análises, Hansen estruturou sete práticas de trabalho inteligente ligadas ao alto desempenho.

As quatro primeiras delas dizem respeito ao papel do indivíduo na organização. O primeiro passo é selecionar, dentro das possibilidades do trabalho, um pequeno conjunto de prioridades e dedicar-se a eles exaustivamente, obsessivamente, buscando sempre o melhor resultado. A ideia é reduzir o escopo de atividades e a supervalorizada habilidade multitarefa para se concentrar em fazer menos e melhor. Em seguida, é importante que o trabalho tenha valor para outros e que não haja a preocupação de apenas atingir as metas pré-definidas. Se o objetivo alcançado não resultar em benefícios, de que adianta? É o que o autor chama de ‘redesenhar o trabalho’. A terceira técnica de Hansen é evitar a repetição mecânica – de métodos, regras, esquemas – em favor da melhoria das habilidades a partir das falhas cometidas e das revisões e aprendizados constantes. O quarto passo é procurar funções que combinam sua paixão com uma forte sensação de propósito. Não basta fazer apenas o que gosta, mas entender a diferença que fazemos na vida dos outros a partir de nossa paixão.

As outras três técnicas dizem respeito ao nosso desempenho dentro da coletividade. A primeira delas é a utilização de táticas de influência para ganhar o apoio dos outros de forma engenhosa. São duas: argumentar a seu favor apelando para o emocional de seu público e a determinação inteligente, que visa estratégias personalizadas para mitigar eventuais resistências aos seus argumentos de forma direcionada, pessoa a pessoa. A outra técnica é a diminuição de reuniões de equipe supérfluas, com um trabalho mais focado em equipe. E, por fim, escolher cuidadosamente os projetos colaborativos em que vai se envolver e recusar, dentro do possível, os menos produtivos. O autor apresenta essas sete técnicas de forma prática neste guia, norteadas por cases e histórias de vários executivos e funcionários que elevaram seu desempenho no trabalho a partir delas.

Morten T. Hansen
Editora Rocco
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 978-85-325-3117-9
Páginas: 320