Passado adiante

No final do ano passado (retorno de Saturno, uns vão dizer; ano cinco, dirão outros; nova década, completarão uns terceiros), uma série de acontecimentos pôs fim a uma curva que lentamente redesenhou o curso da minha vida – mudando tudo sem mudar. Entre o fim de um casamento de quase dez anos, a efetivação da era ciborgue, uma amizade mecânica que terminou num poste e a transmutação da Vida Fodona para a existência plena, o servidor original do Gardenal deu pau e deletou todo o passado de seus saites – entre eles, este seu incofesso favorito. Assim, me vi com a tela do futuro branca na frente, tanto real quanto virtual (são a mesma, lóki, se liga), quando recomecei o Sujo aos poucos, perdendo toda aquela base de dados (tanto minhas quanto os comments) que tinha desde os tempos em que ele era uma página na contracapa de um caderno de cultura de um jornal em Campinas.

Quer dizer, não toda: recuperei os arquivos entre 2001 e 2004 e vou começar a recolocá-los online, usando isso como desculpa para reativar seções que estavam paradas, como Fora de Controle, P&R, Resenhol, Euvi, além das marginais Carrossel, Daiol e Rapeize. Vou restaurar aproveitando o gancho da volta dos, er, Mutantes, com a entrevista que eu e o Fernando fizemos com o Duprat em 99. E à medida em que elas forem saindo da home, vão ganhando sua data original, num lento processo de reconstrução… Tá com pressa não, né? Mesmo porque a mão ainda tá nos 70% loading…

Você pode gostar...