Orgulho de Ana Freitas

De, novo, política. Dessa vez, copy+paste (e, não, você não precisa ver esse vídeo):

Se você viu inteiro numa boa, sem se constranger, provavelmente o texto a seguir é pra você.

De fato, várias coisas nesse vídeo não fazem sentido. A primeira é que 100 reais só é migalha pra gente como eu e você, mas provavelmente não é para quem vive com 400 reais por mês. É tipo um aumento gigante na renda. Não vou entrar em méritos partidários – só digo que, nos países de primeiro mundo, todo mundo acha lindo que o governo dê pensão pras pessoas que não trabalham (é, isso rola). “Olha só que lindo nos países desenvolvidos, lá se o jovem não quiser trabalhar, ele pode viver de pensão”. Aqui, é assistencialismo, é dar dinheiro pra vagabundo que não quer trabalhar (reaça tem essa coisa maravilhosa de achar que no Brasil ninguém gosta de trabalhar, só ele, que geralmente nem trabalha).

A segunda coisa que não faz nenhum sentido é esse clipe dessa música horrível no final é que ele só ajuda a alimentar o espírito babaca de falar que nenhum político presta. Porque o tipo de pessoa que repete isso não percebe que repetir isso é só uma maneira de tirar de si a responsabilidade de achar um que preste (é, é incrível, mas tem gente boa na política). As pessoas que bradam que nenhum político presta não sabem em quem vão votar, não querem saber e também não se lembram em quem votaram na última eleição.

É uma maneira muito eficaz de perpretar justamente o que o vídeo crítica, também, dizer que ‘é só a educação que salva esse país, talvez em duas ou três gerações’. Primeiro, porque é o óbvio do óbvio, mas aqui não tem a intenção de ser óbvio, mas de tirar do ombro da minha e da sua geração a responsabilidade de fazer alguma coisa. E é uma responsabilidade nossa, queira você, o Felipe Neto, eu, ou não.

Tenho orgulho de ter essa menina no meu convívio diário. O resto do texto segue no blog dela, mas aproveito aqui para linkar algo que, pra alguns é óbvio, mas pra maioria, não – o fato de que votar no Tiririca não tem nada a ver com voto de protesto, perceba.

Você pode gostar...

12 Resultados

  1. wb disse:

    animador. acho que este é o tipo de discussão que precisa ser feita. A eleição deste ano já está praticamente definida. Mas acredito (é sério) que teremos muitos benefícios indiretos trazidos pela eleiçao de 2010 vindo na cola de conquistas como o ficha-limpa. Quero acreditar que o brasileiro está finalmente aprendendo a votar. O avanço ainda é pouco, mas ele existe sim.

  2. Faço quadrinhos e tinha desenhado na semana passada sobre o “fator Tiririca” (bem, mais ou menos). Uma das tiras meio que resume o texto do Voltando e Rodando, que só li agora. http://tiragostos.blogspot.com/search/label/Tiririca

    Toda eleição eu faço minha parte explicando pra quem eu posso como funciona a eleição proporcional, a imensa maioria das pessoas – “educadas” ou não – simplesmente não tem ideia.

  3. Mateus Novaes disse:

    E eu desavisado assisti o vídeo.
    Lá se foram 10 minutos da vida…

    Muito interessante o post. Tenho total acordo.

    Abraço.

  4. luiz disse:

    ufa, quando vi o video desse cara no post tomei um susto… é um completo idiota

  5. Bruno disse:

    Em breve, no NOSSO convívio.

  6. Frank disse:

    O cara não falou nenhuma mentira.
    Pelo contrário.

  7. japaOne disse:

    Ele acerta em algumas, é óbvio em outras linhas…o que complica mesmo é o bate-rebate ”de quem é a culpa?” O que tem que ser feito é cada um pesquisar o candidato antes de votar. Há quem salva, mas a procura é grande!

  8. Denis disse:

    Matias,

    mandou benzaço de publicar esse texto da Ana aqui! Eu já tinha lido no blog dela e, apesar de no fim ela admitir que é amiga do Felipe, hahahaha, o texto tá muito bom mesmo!

    Eu tb tenho orgulho dela! Faz mto bem de espalhar a mensagem! Só espero que chegue nas pessoas certas… 😉

  9. r. de almeida disse:

    essa menina é foda

  10. Genial, vota no tiririca nao é protesto, votar nulo não é protesto.

    pelo visto, protesto é não votar…

  11. Alex Correa disse:

    Tem como não amar? Muito orgulho.

  1. 03/09/2010

    […] […]