Neil Young cantando no SWU

Ele foi fazer uma palestra no dia do seu aniversário e só cantou “parabéns a você” pra Terra (wtf) em sua apresentação no SWU.

Peguei o vídeo num texto do Claudio Tognolli em que ele espinafra o conceito de sustentabilidade:

Um fantasma ronda o mundo: a farsa de que o superaquecimento global só ocorre por fatores endógenos, ou a emissão de poluentes na terra. No Brasil só há dois intelectuais que apontam a ideologia por detrás disso: Gildo Magalhães dos Santos Neto, da História, e Aziz Ab Saber, da Geografia, ambos da USP. Fatores extra-terra conduzem ao superaquecimento: como as fases de hiper-expansão do sol, a cada seis mil anos, como a que ora vivemos. Os vikings, antes de descerem Mar do Norte abaixo, paravam, para construir seus barcos, num local chamado Terra Verde, por acaso Groenlândia, que vem de “Green Land”. A natureza na Terra Verde era laboriosa em construir madeiras de primeira cepa. Mas ela se congelou. Uai: por que se congelou? A quem interessa dizer que a Terra pode acabar por superaquecimento gerado por fatores apenas “internos”? Interessa a uma elite neoliberal. Há 80 anos começaram a tramar a ideia de que oferecer um literal e figurativo fim do mundo pelo superaquecimento era a forma de congelar os futuros países desenvolvidos. Queriam, e ainda querem, que Brasil, Índia e China sejam eternos exportadores de matéria prima. Trata-se da mais nova-velha ideologia: fazer o povão engolir goela abaixo que o desenvolvimento já atingiu os seus limites. Querem ver na Amazonia um território “internacional”. Eis todo o babalaô do ex-vice dos EUA, Al Gore, com aquela cascata (comprada por ele de uma assessoria de imprensa), lastreado em seu “Uma verdade inconveniente”.

O festival SWU (“Starts with you” ou “Começa com você”), que movimentou milhões com inserções pagas, mas disfarçadas na mídia, é um subproduto desse tipo de golpe. Não é para menos que Neil Young abriu o cascatol cantando “parabéns” para a Terra. Querem tornar o rock algo passivo, com babacas defendendo a todo o custo a preservação da terra, e o conseqüente congelamento do desenvolvimento do parque industrial brazuca. Querem-nos eternos exportadores de grãos. Querem-nos enxergando que o superaquecimento global só se dá por fatores da terra e do homem. Isolam a Terra do resto do universo. Veja você: até James Lovelock, criador da famosa Hipótese Gaia (segundo a qual o ser humano é um dos “órgãos” do corpo que é a Mãe Terra), agora defende a energia nuclear. E expõe ao osso os babacas do Partido Verde (que usam em suas propagandas políticas os moinhos de vento eólicos). Saiba você: um moinho de vento eólico consome dez mil toneladas de concreto para ser construído. Em toda a sua existência, o moinho de vento eólico jamais produzirá energia limpa que compense a poluição gerada para poder produzir as milhares de toneladas de concreto que o erigiram…

E ele continua lá no Brasil 247.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. João disse:

    Esse papo de que o aquecimento global é um fenômeno natural e tem sido usado como plataforma política e financeira pra muita gente não é nada novo. Vide o documentário que passou no Channel 4 em 2007:

    http://www.youtube.com/watch?v=YtevF4B4RtQ

    O próprio Neil Young sabe disso. Na entrevista dele nas páginas amarelas (que esse artigo aí cita) ele é questionado quanto a isso. Para ele, mesmo que não esteja ajudando no combate ao aquecimento global, o carro elétrico vai estar ajudando em outras coisas, como por exemplo fonte de energia renovável, menos poluição ou avanço puro e simples das tecnologias envolvidas. Agora falar que “ele é agente do capetalismo [!!!] internacional, contra o desenvolvimento do parque industrial brasileiro” já é mania de perseguição e teoria da conspiração de mais pra mim.

  2. Paulo Rená disse:

    Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

    A farsa do SWU é visível já pelo preço/embalagem dos alimentos lá vendidos. No final veremos a insustentável comemoração da reciclagem do imenso lixo produzido, lixo esse que não seria produzido sem o festival.

    O questionamento do aquecimento global, vá lá, tem seus fundamentos. Embora haja fortes indícios de que o desenvolvimento industrial não tem sido nada amigável ao planeta, faz algum sentido questionar se o planeta está mesmo ficando mais quente em função da atividade humana. Isso é até científico, questionar, não aceitar passivamente a informação.

    Agora dizer que a bosta do festival está ligada a uma teoria da conspiração que quer manter o Brasil como a fazenda do mundo, aí, na boa, vi-a-jou. Sem falar que “rock passivo” existe há algumas décadas. Ou o Al Gore virou padrinho do Restart, por acaso!?

  3. Paulo Rená disse:

    O artigo do cara fecha com uma pérola incrível ao descrever o Neil Young: “agente do capetalismo internacional, contra o desenvolvimento do parque industrial brasileiro”.

    Como alguém pode, em sã consciência, acusar o criador do Farm Aid (http://en.wikipedia.org/wiki/Farm_Aid) de ser agente do “capetalismo”? Grande papo de boteco essa coluna do Cláudio Tognolli.

  4. Igor disse:

    Cara, esse texto do Claudio Tognolli aí tá vergonha alheia. Poucas vezes li tanta merda junta. Nem ouso clicar pra ler o resto.

    Esse tipo de dado aí da quantidade de concreto de uma turbina eólica você fala bêbado numa mesa de bar com teus colegas e não pega nada. Mas aí se você publica num site tem que pensar que alguem que entende um pouco do assunto pode ler e expor a fraude que você é.

  5. paula manzo disse:

    uma amiga assistiu essa palestra. o auge foi ele dizendo que já tinha 66 anos então a coisa “começava com a gente”, não era mais problema dele e de seu private jet…
    uma beleza.
    a palestra do dono da Osklen também foi linda. ele chegou a brilhante conclusão que Ética = Luxo. no meio disso tudo ele colocou o design, para “sustentar” a coisa. tem até foto do slide…. nessa hora ela levantou e foi embora.

  6. Deborah YIP disse:

    Tenho pena desse cidadão, que escreveu tantas tolices e recalques e de todos que criticam um grande artista que tb se dedica há anos a Bridge School, Farm Aid. NEIL YOUNG já está rico, sim, não tinha nenhum interesse em comemorar seu aniversário na América do Sul, mas veio compartilhar sua contribuição e abrilhantar o Fórum, com sua realista e encantadora palestra e fazendo o evento muito, muito melhor ! Assim como faz o mundo um lugar muito melhor !

    Quanta inveja, além de tanta ignorancia, lamento demais !

    Peace, always !