Yuksek bateu!

yuksek-nosso-ritmo

E o disco novo do produtor francês Yuksek é uma pérola flambada na música brasileira para dançar. Nosso Ritmo, escrito assim mesmo em português, segue as obsessões do produtor, que ainda habita o terreno da disco music e sua transformação em house entre o final dos anos 70 e o começo dos anos 80. E então ele começa a investigar os paralelos brasileiros desta mesma sonoridade na época e nos convida a um mergulho em uma irresistível pista de dança, que mesmo com o 4 x 4 do beat característico do produtor, consegue absorver texturas e levadas típicas do funk samba e do samba soul do mesmo período (ele menciona nominalmente Marcos Valle, Gilberto Gil e Di Melo) – e convida vários compadres para juntar-se ao disco, entre eles Breakbot (que ao lado de Irfane protagoniza um dos melhores momentos do disco, a deliciosa “Only Reason”), Zombie Zombie, Confidence Man, Jean-Sylvain de Juveniles, Polo & Pan, entre outros.

Mas três momentos específicos têm brasileiros na mistura e são presenças decisivas. Dois deles – minha favorita “Bateu”, que foi lançada como single em 2017, e “Corcovado” – contam com o apoio preciso da dupla Fatnotronic, composta por Rodrigo Gorky e Philip A. O terceiro momento é a releitura de “Mais Kriola”, do saudoso Hélio Matheus. Discaço.

Você pode gostar...