Noites Trabalho Sujo | 16.07.2016

noites16julho2016

Rumo a mais uma madrugada de experimentação psíquico-física no coração da metrópole sulamericana, não vamos deixar as frias temperaturas deste inverno tirar o ânimo de nossa incursão à sintetização do calor humano a partir do movimento de corpos sob frequências sonoras movidas por ritmo. São três ambientes dedicados à aproximação corporal e à fluência das boas vibrações. Na sala azul, a dupla de pesquisadores Karen Ercolin e Acácio Mendes, que agora atendem pelo nome coletivo Gemini, começa a fritar neurônios e sacudir quadris logo no início da noite. Após esta explanação, o laboratório responsável pela realização do encontro mensal, o já consagrado trio de cientistas do som Noites Trabalho Sujo, seguem aquecendo corações e mentes à base de novas referências culturais e velhas memóriais nostálgicas – a celebração promovida pelos doutores Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral é conhecida por estabelecer a tônica do experimento. A dupla de investigadoras notívagas Girls Bite Back, composta pelas antropólogas sociais Ana Prado e Nathalia Capistrano, começam a mover instintos no ambiente preto, friccionando libido e álcool às moléculas de som e preparando o terreno para a chegada de duas videocomunicadores, a envolvente Fernanda Catania e a elétrica Maira Medeiros, dos institutos Foquinha e Nunca Te Pedi Nada, respectivamente. Na área do lounge, próxima à entrada, os novatos Pedro Jansen e Léo Freire, que apresentam-se como O Cafuçu e o Hipster, recebem os convidados trabalhando em diferentes frentes culturais. O ingresso para esta noite de experimentação de sentimentos e emoções só é permitida àqueles que enviarem seus nomes para o endereço de correio eletrônico [email protected] até às 20h deste sábado. Não se acanhe com a chuva, ela está na programação deste transe e só durará ate o início da noite. Para evitar problemas à entrada, fica a sugestão de chegar mais cedo. Aguardamos a presença de todos. Abaixo uma prévia da tônica da noite.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 16 de julho de 2016
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Karen Ercolin e Acacio Mendes (Gemini), Fernanda Catania (Foquinha) e Maira Medeiros (Nunca Te Pedi Nada), Pedro Jansen e Léo Freire (O Cafuçu e o Hipster), Ana Prado e Nath Capistrano (Girls Bite Back).
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. E chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar.

Como foi a edição de junho de 2016 das Noites Trabalho Sujo

Noites Trabalho Sujo | 11.06.2016

noites11junho2016

Nosso encontro mensal de fricção audiófila tem um duplo desafio nesta edição junina, que acontece mais uma vez na torre de captação de boas vibrações localizado no centro do centro de São Paulo. A primeira missão é a convicção plena de que é possível elevar o astral psíquico através da conjunção de fatores que incluem frequências sonoras, movimento corporal, pálpebras semicerradas e espírito regozijado, sempre sob as condições ideias de temperatura e pressão, atingidas sempre consensualmente. Mas este mês especificamente temos um desafio metereológico e precisamos acelerar partículas psíquicas para provar que as baixas temperaturas que invadiram o mês, talvez reflexo da conjuntura baixo astral que paira sobre o país, estão associadas à desesperança que aos poucos se espalha por corações e mentes neste 2016. Por isso a solução encontrada – e o segundo desafio deste sábado – foi aquecer corpos e cérebros com registros sonoros que ativem áreas mentais apagadas pelos acontecimentos dos últimos meses. A programação do seminário mensal desta virada do sábado para o domingo conta, portanto, com a volta do doutor Luiz Pattoli, recém chegado de mais uma experiência paterna, que volta ao auditório azul com suas festejadas hipóteses sobre a vida nudista, completando o simpósio Noites Trabalho Sujo, que durará por toda a madrugada e ainda conta com a presença do ativista de moléculas do prazer Danilo Cabral e o cientista-sênior Alexandre Matias, idealizador do encontro periódico, que traz novas teorias discutidas em seminários recentes que esteve presente nos Países Baixos e na Catalunha. O auditório preto recebe a presença eminente de duas sumidades estudiosas da vida noturna e do impacto sônico no comportamento humano: o papa da eletrônica Camilo Rocha e a antropóloga orgânica Claudia Assef, que apresentam seu consagrado estudo Discology para os sócios de nosso experimento psíquico, uma aquisição que há muito sonhávamos em nossa programação e que calhou de surgir na melhor hora. E fechando o elenco desta noite, temos a volta do professor Wilson Farina, do instituito Heatwave de correção de convicções, que aproveita a data comercial que inicia-se na madrugada do domingo, para apresentar sua seleção de registros sobre o mais intenso dos sentimentos, a paixão, uma das energias básicas de nossos encontros. Contamos com a presença de todos que enviarem os nomes para o correio eletrônico [email protected] até às 18h do dia do evento, pois esta é a única forma de garantir sua presença neste ritual de caráter estritamente científico. Uma amostra do que vos espera:

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 11 de junho de 2016
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli, Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Wilson Farina (Heatwave), Camilo Rocha e Claudia Assef (Discology)
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. E chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar.

Como foi a edição de maio de 2016 das Noites Trabalho Sujo

Noites Trabalho Sujo | 14.05.2016

noites_14_maio_2016

O experimento de aceleração de partículas de energias positivas e forças entrópicas realizado mensalmente na antena de concreto estrategicamente localizada entre a Galeria do Rock, o Largo do Paysandu e a esquina em que alguma coisa acontece no meu coração na melhor cidade da América do Sul tem uma procura incomum de voluntários devido ao excesso de maus fluidos que têm tomado conta da atmosfera de uma nação que engatou a marcha ré rumo ao século retrasado. Para isso preparamos mais um seminário em movimento com sumidades das boas vibrações que espalham suas teses sônicas por todos os cômodos do andar mais transcendental do centro antigo. O centro de pesquisas que mantém o encontro, Noites Trabalho Sujo, liderado pelo meteorologista mental Alexandre Matias vem desfalcado no sábado por uma boa notícia, o maestro nudista Luiz Pattoli não poderá comparecer à conjuração de energias luminosas pois ele mesmo está num cenário de luz, cuidando de mais um fruto de sua carne que chegou à nossa dimensão. O trabalho no auditório azul portanto será focado na dupla formada pelo proponente e o fisioalquimista Danilo Cabral, o audaz, e o tema da massagem cerebral exercida por frequências sonoras terá uma fase roxa que busca evocar uma entidade que passou recentemente à outra dimensão. Esse chamamento psiquicossonoro também poderá atrair experimentalistas de outras dimensões, eras e gêneros, que só serão revelados no instante. No auditório negro, as vibrações sonoras serão manipuladas pelos físicos do som André Palugan, o intagueável, e Guto Nunes, que apresentam-se sob a alcunha de San y Mayo, um exercício sônico a partir de ritmos cíclicos de todas as partes do planeta. Após essa explanação, a cientista social Daniela Arrais, do instituto de consciência humana Don’t Touch My Moleskine, convida o conterrâneo Guilherme Gatis para expandir o horizonte do otimismo com essências de boas vibrações para espalhar pela atmosfera da madrugada. Aliás, a confluência pernambucana parece forte nessa específica noite. No espaço de entrada próximo ao bar, na área de convívio, as estreantes Lydia Caldana e Natalia Vianna, representando o centro Didymai – do grego “irmãs gêmeas” -, desafiamm as leis da física movendo a índole dos presentes apenas com frequências sonoras. Os três ambientes do encontro estarão trabalhando em paralelo para começar a reverter o fluxo do pêndulo da história e contamos com a força psicossomática de todos os envolvidos para começarmos a desmagnetizar essa pressão plúmbea do inconsciente coletivo de 2016. Para a realização deste experimento, exigimos que os nomes dos voluntários sejam enviados com antecedência para o endereço eletrônico [email protected] e pedimos que haja um investimento de 30 dinheiros – apresentados em espécie – à entrada. A primeira centena de participantes, no entanto, só precisa trazer 20 unidades monetárias brasileiras para participar deste encontro ecumênico. Contamos com a presença de todos para desintoxicar o futuro à base de vibrações orgônicas positivas em movimento. Abaixo deixamos uma amostra de arquivos de áudio que serão apresentados a partir da virada do sábado para o domingo no edifício Trackertower.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 9 de abril de 2016
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), André Palugan e Guto Nunes (San y Mayo), Lydia Caldana e Natália Fernanda (Didymai), Dani Arrais e Guilherme Gatis
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. E chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar.

Como foi a edição das Noites Trabalho Sujo com o Ideafixa

Noites Trabalho Sujo | 09.04.2016

noites9abril2016

Nosso experimento psíquico-interdimensional deste mês tem um objeto específico – com base em referências sonoras reconhecíveis e através da sinestesia destas com ondas cerebrais de índole positiva, queremos propor uma variação sensorial da consciência dos presentes semelhante a um arrebatamento neuroemotivo. A fluência das vibrações audíveis sequenciadas por nosso corpo docente e seus convidados deverá elevar corações e mentes a uma zona do inconsciente coletivo em que tudo o que importa é o som e o sentimento – não mais o sentido. Os pesquisadores residentes do centro de pesquisas Noites Trabalho Sujo, os professores eméritos Alexandre Matias, Danilo Cabral e Luiz Pattoli seguem sua constante aceleração de partículas cerebrais através da música durante todo o curso da madrugada no cômodo azul. No auditório preto, os convidados são os doutores do instituto de alteração de consciência Ideafixa e as mestras Janara Lopes e Vanessa Queiroz se unem ao pesquisador de campo Victor Mota para transcender os limites do ego a partir do exercício de faculdades sensíveis ao calor humano. Concluindo nossos convidados, a dupla de mestrandas Ana Prado e Nathalia Capistrano da instituição independente Girls Bite Back exercitam diferentes níveis de equilíbrio – mental, emocional, corporal, visual, sonoro – a partir dos campos magnéticos que emanam sobre os presentes. A arrebatação consciente começa poucos instantes antes da meia-noite do sábado 9 de abril de 2016 para o domingo 10 de abril de 2016 no edifício Trackertower, localizado no centro antigo da tradicional metrópole paulsitana, que poderá levitar a partir dos experimentos conduzidos durante a noite. Para estar presente na sessão é preciso enviar nome para o correio eletrônico [email protected] em que os voluntários confirmam sua participação. Bom encontro.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 9 de abril de 2016
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Janara Lopes, Vanessa Queiroz e Victor Mota (Ideafixa crew) e Ana Prado e Nath Capistrano (Girls Bite Back)
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email noi[email protected] (e chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar)

Como foi a edição de março das Noites Trabalho Sujo

Noites Trabalho Sujo | 12.03.2016

trackers12março2016

A missão do nosso simpósio semanal de experimentos psíquico-físicos é tão simples quanto ousada: afastar as más vibrações que pairam sobre a maior cidade da América do Sul. Para isso reunimos um já conhecido elenco de pesquisadores e fenomenólogos para reverter o quadro magnético pesado que paira sobre a cidade. O local do encontro novamente é a antena de concreto Trackertower, no coração histórico da metrópole, que estará em plena fotossíntese de astral para emitir ondas gravitacionais positivas para desintoxicar o domingo. O estudo central será conduzido pelo trio de pesquisadores Alexandre Matias, Danilo Cabral e Luiz Pattoli, do centro de estudos aplicados Noites Trabalho Sujo, que recebem o convidado PhD Fabio Bianchini diretamente de uma ilha mágica do Atlântico Sul. Os quatro residem no auditório azul, trabalhando os efeitos do som e da luz sobre indíviduos sãos e voluntários a partir da repetição do ritmo para despertar a atividade cerebral inconsciente que dispara enzimas que mexem no humor, na adrenalina e na libido dos candidatos ao êxtase. Na sala de pesquisas preta, a dupla Karen Ercolin e Acacio Mendes aplicam soluções sonoras de rápido engajamento psíquico para lentamente dominar todo o andar fazendo os presentes se mover. Outra dupla, do instituto de psicologia noturna Missin Link, formados pelos pós-graduados Daniel Prazeres e Vanessa Gusmão, mantém a velocidade da informação ativa para nunca desacelerar quadris e corações. A programação desta parte da madrugada encerra-se com a defesa de tese do doutorando Carlos Costa, dedicado a mostrar como a fusão entre diferentes frequências sonoras pode causar impactos em áreas ainda desconhecidas do córtex humano. Na área de entrada, a estudiosa de campo Ana Freitas assume o comando da improvável sala de experimentações na recepção do evento e chamou o estudioso Eric Coelho para ajudá-la na aplicação de suas teorias antropológicas. O exorcismo lógico começará a receber seus convidados a partir das 23h45 do dia 12 de março de 2013, mas apenas serão recebidos os que enviarem seus nomes para o endereço eletrônico [email protected] até quatro horas antes do início da sessão. O preço de admissão é de 30 reais mas os 100 primeiros voluntários a comparecerem pagam apenas 20 reais para submeter-se à experiência transformadora. Pede-se que o valor de entrada seja levado em espécie.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 12 de março de 2016
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Fabio Bianchini, Ana Freitas, Eric Coelho, Karen Ercolin, Acacio Mendes, Vanessa Gusmão e Daniel Prazeres (Missin Link)
A partir das 23h45
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] (e chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar)

Como foi o Baile de Carnaval Noites Trabalho Sujo 2016!