Quando Maurício Pereira encontrou Odair José

A quarta-feira teve dose dupla quando saí do Centro da Terra rumo à Casa de Francisca ver mais uma vez Maurício Pereira mergulhar na surpresa com seu parça Daniel Szafran. Mais uma vez o já mitológico disco de 1998 percorreu as paredes do Palacete Tereza Toledo Lara como muitas vezes passeou pelas da antiga Francisca, na Zé Maria Lisboa, que fez o bardo paulistano lembrar de como a redescoberta do disco no velho endereço do tradicional palco da cidade foi crucial para reestruturar sua própria carreira. Bom de duplas (começou numa incrível com André Abujamra e hoje toca outra sensacional, com Tonho Penhasco), a que Maurício criou com Szafran é luxo só, com o pianista dividindo lindamente os vocais com o autor, que sempre tempera suas canções com seu sax soprano. Nessa pequena temporada, convidou Juçara Marçal num dia e ninguém menos que outro bardo da canção, este goiano, Odair José, para dividir o palco e tive o privilégio de assistir a esse encontro. Além das músicas de seu disco, Pereirão ainda dividiu três músicas com o convidado: sua “Truques com Facas” e duas dele, “Nunca Mais” (do ousado O Filho de Maria e José, ópera rock que fez durante a ditadura miliar) e o hino “Vou Tirar Você Desse Lugar”, este puxado no bis da apresentação, que ainda contou com participação surpresa da própria Juçara, que, como nós, apenas emocionava-se com Maurício no público e que foi puxada à fogueira do nada para fazer “Pan y Leche” com citações a canções clássicas da música brasileira improvisadas na hora. Que noite!

Assista aqui:  

Sessão de terapia musical

Ao vivo, o formato Micro, que Maurício Pereira adotou em seu disco mais recente ao lado do compadre Tonho Penhasco, necessariamente torna sua apresentação uma sessão de terapia musical em que o mestre aponta suas músicas para nós, colocando-nos no meio de suas autorreflexões. Nesta terça-feira, no Centro da Terra, ele aprofundou-se ainda mais ao fugir do roteiro de sempre puxando canções – próprias e alheias – que só toca quando ensaia esse show com Tonho com o título autoexplicativo Micro Desmontado – A Gaveta Secreta do Ensaio. Por isso tome Roberto Carlos, Gilberto Gil, Beatles “Mamãe Coragem” e Marília Mendonça, “Satisfection”, Rafael Castro, composições inéditas com Tonho, duas versões para “Tranquilo” entre discussões sobre “lugar de falha”, luz e gelo seco, autopromoção de seu recém-lançado livro e lembrança da São Paulo dos anos 60, sem esquecer clássicos como “Mulheres de Bengala”, “Um Dia Útil”, “Pan e Leche” e “Trovoa”. Sempre aquela maravilha.

Assista aqui:  

Maurício Pereira: Micro Desmontado – A Gaveta Secreta do Ensaio

Encerrando a temporada de outubro no Centro da Terra, temos o imenso prazer de receber o mestre Maurício Pereira, que resolveu dissecar seu disco mais recente, o portátil Micro, abrindo seu próprio caderno de rascunhos. No espetáculo Micro Desmontado – A Gaveta Secreta do Ensaio, ele e o fiel comparsa Tonho Penhasco passeiam pelo próprio repertório mas abrindo margem para improvisos que só fazem quando se encontram sozinhos para passar o repertório que levam nos palcos. Entre músicas autorais e alheias, Pereira sempre adocica as canções com suas histórias, deixando tudo bem à vontade. O espetáculo começa pontualmente às 20h e os ingressos podem ser comprados neste link.

Centro da Terra: Outubro de 2023

Vamos à segunda metade do semestre, o que nos leva à fase final deste forte 2023, que nos trouxe tantos pensamentos e emoções sempre de forma intensa. E como neste outubro temos cinco segundas-feiras, a primeira delas (dia 2), foge da temporada e é uma apresentação única, em que o herói indie Lê Almeida revela em primeira mão, no palco, o disco que lançará este mês, I Feel in the Sky, que o aproxima de uma sonoridade jazz e espiritual. No dia seguinte, na terça-feira (dia 3), o músico e pesquisador Paulo Beto transforma sua banda eletrônica em uma orquestra e sob o título de Anvil FX Orchestra visita a obra Cosmos, de Carl Sagan, num espetáculo audiovisual que contará com as participações do vocalista Rodrigo Carneiro e do videoartista Jodele Larcher. Na segunda segunda-feira do mês começa a temporada de outubro, quando a cantora, compositora e musicista Paula Rebellato atravessa quatro segundas-feiras em suas Ficções Compartilhadas. Na primeira delas (dia 9), ela reúne-se aos saxofonistas Mari Crestani e Thiago França para mostrar suas novas composições. ERm sua segunda data (dia 16), ela dedica-se ao improviso com os velhos compadres Bernardo Pacheco, Cacá Amaral e Romulo Alexis. Depois (dia 23), ela mostra a avalanche kraut de seu Madrugada (ao lado de Otto Dardenne, Raphael Carapia e Yann Dardenne), para finalizar a temporada (dia 30) revisitando o clássico Desertshore da Nico ao lado de João Lucas Ribeiro, Mari Crestani e Paulo Beto. Haja coração! As duas terças seguintes ficam por conta da percussionista Nath Calan, que divide suas apresentações em duas partes: na primeira faz (dia 10), sozinha, sua apresentação de percussão cênica, área que se especializou, mostrando diferentes abordagens para seus instrumentos em cena em canções e temas de peças das quais fez parte. Na segunda (dia 17), entrega-se à música pop, cantando canções de artistas com quem já tocou bateria, de Fernanda Takai a Maurício Pereira, passando por Porcas Borboletas, Malu Maria, entre outros, acompanhada do guitarrista Carlos Gadelha e do baixista Eristhal. Na terça seguinte (dia 24), a cantora e compositora Manuella Julian, que apresenta-se como Manu Julian à frente de grupos como Pelados, Pequeno Cidadão e Fernê, começa a mostrar sua carreira solo, em canções inéditas e versões para músicas já conhecidas, com a guitarra de Thales Castanheira. E encerrando o mês na última terça-feira de outubro (dia 31), Maurício Pereira sobe ao palco do Centro da Terra mais uma vez acompanhado de seu compadre Tonho Penhasco, revisitando o repertório de seu disco mais recente, Micro, à luz de novidades que vem preparando para esta apresentação. Os espetáculos começam pontualmente sempre às 20h e os ingressos podem ser comprados antecipadamente neste link.

Dentro da cabeça de Maurício Pereira

Maior satisfação poder conversar com o mestre Maurício Pereira sobre o que ele é craque: a composição de canções. O papo acontece no próximo sábado como parte do lançamento de seu ótimo Minha Cabeça Trovoa – As Letras Que Eu Fiz e Suas Histórias, que está saindo pela editora Mireveja e reúne toda a obra lírica de Maurício até aqui, com o próprio autor comentando as letras de cada uma de suas canções, incluindo quatro inéditas. Além da conversa, a tarde também terá autógrafos para quem comprar o livro na hora. O papo começa às 14h neste sábado, dia 24 de junho, na Livraria Martins Fontes ali na Vila Buarque (Rua Dr. Vila Nova, 309). pertinho do Sesc Consolação. E te prepara que sábado vai ter mais coisa pra fazer… (Alguém falou em festa? Sim, eu falei.)

Minha Cabeça Trovoa: todo Maurício Pereira

Ponte entre a geração que viu o mercado independente nascer no fim do século passado e a atual, que desfruta da existência deste, Maurício Pereira vem construindo uma obra depois de seu primeiro grupo com André Abujamra cuja lírica acaba de ser reunida em um livro. Minha Cabeça Trovoa reúne todas as letras do cronista paulistano comentadas por ele mesmo em uma edição caprichada editada pela pequena Mireveja. A pré-venda do livro começa nesta quarta-feira no site da editora.

Os 50 melhores discos de 2022 segundo o júri de música popular da APCA

Eis a lista com os 50 melhores álbuns de 2022 de acordo com o júri de música popular da Associação Paulista dos Críticos de Arte, do qual faço parte. A seleção reflete o quanto a produção musical brasileira ficou represada nos últimos anos e esta seleção saiu de uma lista de mais de 300 discos mencionados por mim e pelos integrantes do júri, Adriana de Barros (editora do site da TV Cultura e colunista do Terra), José Norberto Flesch (que tem seu canal no YouTube), Marcelo Costa (do site Scream & Yell), Pedro Antunes (do vlog Tem Um Gato na Minha Vitrola) e Roberta Martinelli (dos programas Sol a Pino e Cultura Livre). Eis a lista completa abaixo:

Leia mais:  

Vida de Artista: Maurício Pereira

Programa novo no meu canal: em Vida de Artista, convido gente de todas as áreas artísticas a discutir a relação entre sua produção criativa e sua vida pessoal, como uma interfere na outra e como arte é um trabalho interminável. Começo pela música e conversando com o meu compadre Maurício Pereira, a quem convido dar uma volta no passado e comparar o mundo independente quando ele lançou-se como artista solo e da realidade atual, fazendo um balanço tanto de sua carreira quanto de como amadureceu pessoalmente neste período.

Assista aqui.  

Tudo Tanto #096: Maurício Pereira

Em mais uma entrevista sobre música brasileira da série Tudo Tanto, tenho o enorme prazer de conversar com o mestre e chapa Maurício Pereira, que espanta a pandemia e a quarentena pra lá (como assunto) para focar em seus projetos para o ano 2021: três discos em parceria com três músicos de primeira, dois deles, seus filhos, Chico e Tim, e o velho comparsa Tonho Penhasco – e passa parte do papo explicando como este último mudou sua forma de cantar e de compor. E, claro, viajamos em sua trajetória, desde os Mulheres Negras até o clássico instantâneo Outono no Sudeste, seu disco mais recente.

Assista aqui.  

Vida Fodona #682: Festa-Solo (5.10.2020)

vf682

É feriado, mas é segunda e tem mais um Vida Fodona ao vivo a partir das 21h no Twitch.tv/trabalhosujo – o da semana passada foi assim…

Pink Floyd – “San Tropez”
Maurício Pereira – “Os Amigos ou O Coração é Um Órgão”
Mark Sandman – “Brazil”
Unknown Mortal Orchestra – “From the Sun”
Thundercat – “Friend Zone”
Spoon – “Hot Thoughts”
Cassiano – “Onda (Poolside & Fatnotronic Edit)”
Santogold – “L.E.S. Artistes”
M83 – “Midnight City”
Magic – “Rude”
Cornershop – “Who Fingered Rock ‘n’ Roll”
Girls – “Honey Bunny”
Jon Spencer Blues Explosion – “Afro”
Bo Diddley – “Who Do You Love?”
Screaming Jay Hawkins – “I Put a Spell on You”
Frank Ocean – “Lost”
Major Lazer – “Lean On”
Katy Perry + Juicy J – “Dark Horse”
Dua Lipa + DaBaby – “Levitating”
Lauryn Hill – “Everything Is Everything”
Lana Del Rey – “Florida Kilos”
Edwin Birdsong – “Cola Bottle Baby”
Eddy Grant – “Electric Avenue”
KC & The Sunshine Band – “Keep It Comin’ Love”
Mcfadden & Whitehead – “Ain’t No Stoppin’ Us Now”
Tim Maia – “A Fim de Voltar”
Dolly Parton – “9 to 5”
Dusty Springfield – “Son of a Preacher Man”
Echo & The Bunnymen – “Bring On The Dancing Horses”
U2 – “Desire”
Lulu Santos – “Um Certo Alguém”
Marina Lima – “Corações a Mil”
Mano Brown + Don Pixote + Seu Jorge – “Dance, Dance, Dance”
Rita Lee – “Jardins Da Babilônia”
Roxy Music – “Ladytron”
XTC – “Here Comes President Kill Again”
Beach Boys – “I Was Made to Love Her”
Velvet Underground – “One of These Days”
Pretenders – “Back On The Chain Gang”
Jam – “Town Called Malice”
Supremes – “You Can’t Hurry Love”
Phil Collins – “You Cant Hurry Love”
Doors – “Love Street”
Cure – “A Forest”
Beatles – “You Never Give Me Your Money (Instrumental)”
Beatles – “Sun King (Instrumental)”
Beatles – “Polythene Pam (Instrumental)”
Beatles – “She Came In Through The Bathroom Window (Instrumental)”
Beatles – “Golden Slumbers (Instrumental)”
Beatles – “Carry That Weight (Instrumental)”
Beatles – “The End (Instrumental)”
Beatles – “Her Majesty (Instrumental)”
Beatles – “Come Together (Instrumental)”