Sonic Youth pra ouvir em casa

sonicyouth1988

Engrossando o coro para manter todo mundo em casa, o grupo nova-iorquino Sonic Youth começou a abrir seu baú de shows ao vivo e vem desovando discos piratas de apresentações de toda a história da banda em seu Bandcamp, em todos os lugares do mundo: do CBGB’s em Nova York a Moscou, passando por Paris, Berlim, Glasgow e Moscou. O grupo já liberou 15 shows de todas as fases da banda – o mais antigo até agora é de 1983 e o mais novo de 2009. Clássico!

Só o baixo de Abbey Road

paul-abbey-road

Tiveram a manha de isolar só as partes do contrabaixo do Paul McCartney no disco mais clássico dos Beatles, saca só:

On the run #159: Doggystyle: The Samples

DoggystyleTheSamples

O disco Doggystyle, o clássico que colocou o Snoop Dogg em nosso imaginário e sintonizou o rap de vez no funk dos anos 70, completou 25 anos nesta sexta-feira e o Pedro Pinhel lembrou de um mix que o próprio Snoop fez há cinco anos enfileirando as músicas que usou como base para o disco, comentando por cima das músicas cada uma das referências. É uma aula de g-funk – e nunca é demais Isaac Hayes, George Clinton, Curtis Mayfield…

https://soundcloud.com/snoopdogg/sets/doggystyle-the-samples-20th/

Curtis Mayfield – “Give Me Your Love”
Funkadelic – “Not Just Knee Deep”
George McCrae – “I Get Lifted”
Slave – “Watching You”
George Clinton & Parliament, Funkadelic – “Flashlight”
Santana – “Fried Neckbones & Some Fries”
Slick Rick & Dougie Fresh – “La Di Da Di”
Bernard Wright – “Haboglabotribin”
Kool & The Gang – “Summer Madness”
Curtis Mayfield – “Eddie You Should Know Better”
George Clinton – “Atomic Dog”
Tom Browne – “Jamaica Funk”
Parliament – “Give Up The Funk”
Lyn Collins – “Think About It”
Isaac Hayes – “A Few More Kisses To Go”
Ohio Players – “Funky Worm
Isaac Hayes – “The Look Of Love”

E Nick Cave reconheceu Bobby Gillespie no meio do público

cave-gillespie

Que momento! Nick Cave encerrava sua apresentação na O2 Arena neste sábado, em Londres, quando, no finzinho de “Push the Sky Away” viu o líder do Primal Scream na plateia e não titubeou: “Bobby Gillespie! Fuck, man!”, disse ao reconhece-lo e passar o microfone.

Aqui, de outro ângulo:

https://www.instagram.com/p/BZtLKzRnAPQ/

E se o Episódio IV fosse uma paródia do Sgt. Pepper’s dos Beatles?

star-wars-sgt-peppers

O mashup Princess Leia’s Stolen Death Star Plans – que postei na íntegra no meu blog no UOL – é uma obra-prima pós-moderna.

Hoje é 4 de maio, o tradicional dia que os fãs da saga Guerra nas Estrelas criaram para celebrar esta religião moderna a partir de um trocadilho infame (o quatro de maio, em inglês, chama-se “May the Fourth”, que soa como o eterno lema Jedi “May the Force be with you” – “que a Força esteja com você”) e que tal revisitar a pedra fundamental da história imaginada por George Lucas pelo ponto de vista do mais clássico disco dos Beatles? Hein?

Foi o que fez a dupla norte-americana Palette-Swap Ninja, formada pelo vocalista Dan Amrich e pelo tecladista Jude Kelley, revisitando todo o Episódio IV, o primeiro filme que George Lucas fez sobre a saga (que completa 40 anos este ano), como uma paródia construída sobre o Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles (que completa 50 anos também este ano). Um mashup épico e meticuloso, que pode ser baixado gratuitamente no site da dupla, mas que funciona ainda mais quando assistimos à sua versão em vídeo, Princess Leia’s Stolen Death Star Plans é uma obra-prima pós-moderna.

Fico pensando em quais discos poderiam funcionar com os próximos filmes… O Álbum Branco com o Império Contra-Ataca? Tenso!

Turismo interplanetário

trappist-1e

Após anúncio de um sistema solar habitável há 40 anos-luz da Terra, a Nasa acrescenta mais um pôster à sua incrível coleção – reuni todos eles lá no meu blog no UOL.

Nesta quarta-feira, a Agência Espacial Norte-Americana – a Nasa – parou o mundo para anunciar que havia descoberto um sistema solar habitável em nossas proximidades galáticas. Girando ao redor da estrela chamada Trappist-1 (“It’s a trap”?), foram descobertos sete planetas com dimensões próximas às da Terra sendo um deles, o quinto, chamado pelo nome código de Trappist 1E, contém água, indicando a possibilidade de vida, como conhecemos, fora deste planeta. O diretor da área de missões científicas da agência, Thomas Zurbuchen, foi além: “A descoberta nos dá uma pista de que encontrar outra Terra não é uma questão de ‘se’ (ela existe), mas de ‘quando’.”

Enquanto isso, o Jet Propulsion Laboratory recebeu a notícia com mais um de seus esplendorosos pôsteres que exaltam o turismo espacial, mostrando como a notícia está tão perto da realidade quanto da ficção científica. Além da visão gloriosa do céu vermelho refletido em seu oceano sob as órbitas dos outros planetas do sistema, o cartaz ainda lembra que o exoplaneta (como nos referimos aos planetas fora do sistema solar) foi “votado como a melhor ‘zona habitável’ para as férias – a apenas 12 parsecs da Terra”. Parsec – embora Han Solo tenha nos feito imaginar que é uma unidade de tempo – é uma unidade de distância que corresponde a 3,26 anos-luz. A distância de 12 parsecs, portanto, equivale a meros 40 anos-luzes, o que faria uma viagem até o novo sistema solar durar “apenas” 700 mil anos. O cartaz que festeja a descoberta do sistema Trappist-1 não é o primeiro – veja abaixo outros pôsteres feitos pela Nasa para manter o turismo espacial como uma possibilidade de futuro.

pra fazer o download de todos estes cartazes incríveis no site da Nasa.

Faustão narrando o trailer do novo “Guerra nas Estrelas”

faustao

Ah, o brasileiro… Grande pessoa humana incrível!

Metá Metá num quarteto de cordas

oya

Os músicos Vitória Lima (violino), Letícia Teixeira (violoncelo), Breno Freire (contrabaixo) e César Martini (viola) fazem uma versão acústica de arrepiar para “Oyá”, do Metá Metá.

Bob Dylan 2015: “Inside the museums, infinity goes up on trial”

dylanvisions

Mais um extra da novo disco da série de discos piratas oficializados de Bob Dylan (depois da versão alternativa para “Subterranean Homesick Blues”), esse clipe de “Visions of Johanna” é inacreditável de bom – fora essa versão pesada e o registro ao vivo do próprio Dylan cantando-a na época.

Engenharia da música eletrônica

Dorothy-ElectricLove

Incrível essa placa de circuito unindo toda a genealogia da música eletrônica feita pelo estúdio inglês de design Dorothy.

ElectricLove_Moog

ElectricLove_Moroder

ElectricLove_Eno

ElectricLove_Kraftwerk

O melhor é que está à venda.