E hoje eu toco na última noite das comemorações dos cinco anos do Neu

neu-5-anos-sabado

O sobrado da Água Branca está festejando seus cinco anos durante essa semana e hoje é o último dia das comemorações, que começaram com o DJ set da dupla Poolside na quinta-feira, tocando ao lado do pessoal da Avalanche Tropical. As festas seguintes reúnem os donos de outras noites no Neu – ontem teve Akin (da Looud), Chamis (do Tietê Internacional), Marcos Gerez (da Esparrela), Laka & Ouro Branco (da Flórida) e o próprio Dago, dono do lugar, representando sua festa Explode. Hojes os sets ficam por conta da Fernanda Cardoso (que toca na Brasa), do Rafael Lebre (que toca na Pracinha), do Mexicano (que toca a Freedom 90’s e a RRRevolution Nights), Guarizo (meio 4e20) e eu, que faço a Sussa e a Trabalho Sujo Naites na casa. Devo começar a tocar pela meianoite e meia, por isso não demora pra chegar porque é uma horinha pra cada DJ. Vambora?

Neu 5 anos – dia 3
Sábado, 30 de novembro de 2013
DJs: Fer Cardoso | Rafael Lebre | Mexicano | Guarizo | Alexandre Matias
preço até 0h: R$15 (entrada) / R$40 (consumação)
preço depois da 0h: R$25 (entrada) / R$60 (consumação)
horário: 23h

Poolside em São Paulo: cortesia dos cinco anos do Neu

neu-5-anos

Conheço o Neu quando ele ainda era uma idéia, cogitada entre as noites do saudoso Milo Garage da rua Minas Gerais: Dago e Gui tocavam as incríveis festas do selo Peligro às quintas-feiras (sempre com bandas novíssimas) e Guab tocava a clássica Mixtape aos sábados (discotequei algumas vezes em ambas, bons tempos). Os três juntaram forças e abriram o sobrado de fundos pro Parque da Água Branca, do lado da PUC em Perdizes, e aos poucos foram se estabelecendo como um dos cantos mais legais da noite de São Paulo. Guab deixou a sociedade (embora ainda toque de vez em quando por lá) e a casa passou por uma mudança drástica no último ano – rolou uma bela reforma e agora aceita cartões. “2013 foi um ano de encontrar a ‘nova cara’ da casa depois da reforma, com novas festas, mais diversidade entre elas, a novidade dos domingos”, me explica o Dago, que comemora os cinco anos de atividades trazendo a dupla Poolside para São Paulo e aproveitando a deixa para fazer uma bela semana de comemoração. “Nos outros anos, sempre comemoramos os aniversários da casa de maneira discreta, em festas pequenas, com nossos amigos. Mas uma casa noturna durar cinco anos em São Paulo é uma grande conquista, então decidimos fazer uma celebração um pouco maior”, continua. “Então veio essa ideia de fazer a sexta e o sábado com DJs representando as principais festas atuais da casa. E a quinta abre a maratona com a cereja do bolo, que é o set do Poolside e com os DJs da Avalanche – Bonde, Drunk Disco, Holger e eu – pra completar a noite. Virou quase um festivalzinho”.

O Poolside é dono de um dos discos mais legais do ano passado e eu vi os vi tocando na abertura do festival Primavera em Barcelona desse ano.

Vai ser legal vê-los no mesmo palco em que a Lulina homenageou o Lou Reed na Sussa, dia desses. A programação dos cinco anos do Neu segue abaixo – e eu toco no sábado, afinal além da Sussa (que alterno entre o Neu e a Casa do Mancha) estou inaugurando a Trabalho Sujo Naites neste sábado lá na casa da Água Branca.

 

Como foi a Noite Trabalho Sujo com as meninas da Brasa

matias-tati-fer

Sem o menor pudor, Fer e Tati mudaram completamente a sintonia de nossa sexta-feira passada e mantiveram seu setlist em território nacional, tocando basicamente música brasileira pela noite toda – e a galera se jogou, como dá pra ver nas fotos da Bárbara aí embaixo. E nessa sexta agora reencontro o jovem mestre e grande compadre Luiz Pattoli para aquele velho duelo em quem ganha, sempre, é a pista.

 

Noites Trabalho Sujo apresenta Babee x Brasa (Tati K. + Fer)

noites_brasa

Nessa sexta a Babee recebe a Fer e a Tati, queridas amigas que debulham música brasileira sob o codinome Brasa. Mas como esta é uma Noite Trabalho Sujo, falei pra elas explorarem outros países e assim será! Devo comparecer também a esse grande encontro que transformará mais uma sexta-feira no Alberta em uma noite de puro delírio. Pra chegar na festa, você conhece o riscado – se não, basta ir pelas coordenadas da página do evento no Facebook ou do site do Alberta – e vambora! Pode mandar seu nome pra lista até às 20h pelo email [email protected] – e não te arrependerás!

Trama Virtual (2004-2013)

trama virtual

O LaCumbuca que levantou a lebre: o site da TramaVirtual para de existir no final do mês que vem. O anúncio, no site, é curto e triste:

O site Trama Virtual sairá do ar no dia 31/03/13.

Agradecemos a todos que estiveram conosco.

Trama Virtual

Conheci o TramaVirtual quando ele era só uma idéia do Miranda (“vamos fazer o MP3.com brasileiro, véio!”), bem antes do MySpace existir, e trabalhei na Trama naquela que talvez seja a fase áurea do site, quando o Dago era o editor (e a redação ainda contava com a Fer, o Six e o Emo, só gente finíssima), por isso tenho uma memória um pouco mais afetiva em relação ao site além da importância que de fato ele teve – foi ali que não só umas três gerações do rock independente brasileiro conseguiu deixar à disposição uma produção cultural (que em alguns casos datava do início dos anos 90) como as primeiras gerações da música digital no Brasil encontrou um terreno livre para expandir seus talentos. O site virou até um programa de TV, mas veio perdendo a importância (como a própria Trama) por uma série de motivos – e agora vem essa notícia que, embora aparentemente irrelevante, encerra um importante ciclo na história da música pop brasileira do século 21. Só me resta lamentar…

Você tem alguma história relacionada ao Trama Virtual? Contaê!

Como foi a ANALÓGICODIGITAL com o Don Letts

Mais uma festa histórica na Trackers, desta vez com a presença do mestre Don Letts na discotecagem. As fotos da Bárbara dão uma pequena idéia do que aconteceu naquela quarta-feira mágica, veja abaixo.

 

ANALÓGICODIGITAL apresenta DON LETTS

Sem aviso e sem alarde, porque quando a coisa é séria não é preciso afobação – e eis que aproveitamos mais uma véspera de feriado para transformar uma noite de quarta em um evento incrível, daqueles de ficar com as pernas bambas de tanto dançar e com a cara dolorida de tanto sorrir. E essa ANALÓGICODIGITAL JUNINA promete: do lado Analógico, o trio Veneno (Ronaldo Evangelista + Maurício Fleury + Peba Tropikal) recebe o patrão do Baile Tropical, Patrick Tor4, para esquentar o caldeirão de grooves interplanetários de vitrolas que seduzem a pista aos giros. Do lado digital, o senhor Trabalho Sujo, Alexandre Matias, comanda os trabalhos escrachadamente pop chamando primeira a dupla Fer Cardoso e Tati K, donas da já clássica festa Brasa, tocando só música brasileira pra começar bem a noite. Depois é a vez de outra dupla, a Selvagem do Trepanado e Millos Kaiser, entortar de vez cérebros e quadris com uma mistura naturalíssima de épocas e gêneros díspares. E para encerrar, ninguém menos que a lenda-viva DON LETTS fecha a pistinha azul com muitos grooves afro-jamaicanos. E se você já está habituado com o caráter transcedental das madrugadas naquele andar do outro mundo, prepare-se para entrar no próximo nível!

Quarta, 6 de junho de 2012, 0h
ANALÓGICODIGITAL apresenta DON LETTS
VENENO SOUNDSYSTEM + TRABALHO SUJO
No som: Alexandre Matias, Fernanda Cardoso, Tatiana K., Trepanado, Millos Kaiser, Mauricio Fleury, Peba Tropikal, Ronaldo Evangelista e Patrick Tor4.
Trackertower
Rua Dom José de Barros 337, esquina com av. São João
$25 (lista: [email protected])