De volta ao Rastilho

kikodinuccirastilhopix

“Desde que eu ouvi o disco pela primeira vez – e que disco! -, ‘Veneno’ chamou a minha atenção”, me explica Carlos Costa, sobre o edit que fez em cima de uma das músicas mais marcantes do segundo disco solo de Kiko Dinucci, o ótimo Rastilho. “Ela tem um pulso que é quase mágico: o riff do Kiko na parte do verso é praticamente um loop e o flow do Ogi é meio percussivo. Toda vez que eu ouvia, eu só conseguia imaginar era um bumbo 4×4 em cima desse pulso. Primeiro tinha pensado em fazer uma coisa mais do zero, só pegar a parte do “o rapaz é belzebu” – que tá ali na versão final – e construir uma música em torno desse sample, meio inspirado nos remixes do Soulwax. Mas eu gosto tanto da letra que fui por esse caminho do edit e uso a faixa quase inteira, colocando bateria e percussão em cima. Diminui um pouco o andamento, botei um baixo e o synth que é a coisa mais outsider do caminho orgânico que a faixa tem.” Carlão publicou com seu pseudônimo Cacos, ficou demais:

O edit sai junto com o minidocumentário que o diretor pernambucano Luan “Casinha” Cardoso fez durante as gravações do disco no ano passado. Bem foda:

Noites Trabalho Sujo | 18.8.2018

nts-18082018

Uma notícia pegou a todos de surpresa no final desta semana quando descobrimos que um dos faróis da boa música apagou-se com a morte de Aretha Franklin. Mito imbatível da soul music, ela ainda era relevante mesmo tendo passado dos 70 anos de vida (quem não lembra da versão de “Rolling in the Deep”, hit da Adele, que tocamos em nossas festas?) e sua despedida funcionou como combustível para celebrarmos seu legado dançando. Por isso, chamamos a doutora em psicologia musical Flávia Durante para nos acompanhar durante um tributo dançante à maior rainha da música cantada em inglês no auditório azul de nosso instituto de pesquisas localizado no centro da maior cidade da América do Sul. Antes e depois dela, os fundadores do laboratório de transformação de frequências sonoras em boas ondas cerebrais Alexandre Matias e Luiz Pattoli conduzem a noite sempre disparando altas doses de astral aberto. No outro lado do experimento, o laboratório preto começa sob a batuta do pesquisador Carlos Costa e depois segue com as descobertas da exploradora Vanessa Gusmão, dois veteranos dos sábados no centro da cidade que ajudam a esquentar essa noite fria de inverno. A entrada no recinto é voluntária mediante a apresentação do nome através do endereço de correio eletrônico [email protected] até às 18h do do dia do evento.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 18 de agosto de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo), Carlos Costa, Vanessa Gusmão e Flávia Durante fazendo um set em homenagem à deusa Aretha Franklin
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor), bem como os 30 primeiros a chegar na festa.

Noites Trabalho Sujo | 13.1.2018: Como foi

Noites Trabalho Sujo | 13.1.2018

NTS-13012018

Começando mais um ano e mais um verão, sintonizamos nossos transformadores de frequências positivas para ativar o calor que deveria estar pairando sobre a maior cidade deste continente no mesmo dia em que o fundador de nosso simpósio de sintetização de bons fluidos completa 43 voltas ao redor do sol. E para isso, o instituto Noites Trabalho Sujo vem em formação completa: além do cientista-sênior e aniversariante Alexandre Matias teremos a presença do explorador-mestre Danilo Cabral e do doutor antropólogo Luiz Pattoli, trabalhando juntos para transformar uma madrugada fria em um delírio coletivo no auditório azul. No outro lado da antena de concreto Trackertower, quem começa os trabalhos é a pesquisadora Vanessa Gusmão, do centro de estudos Missin Link, que agora atua sozinha devido à transferência de seu dupla Daniel Prazeres para o velho continente, seguido do sempre célebre palestrante Carlos Costa, que vem exibir sua destreza em transformar ondas sonoras em fontes de energia. O experimento, sabemos, só ocorre plenamente com a presença voluntária de participantes, que devem se inscrever pelo correio eletrônico [email protected] até às 18h do sábado vigente. Contamos com vossa presença.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 13 de janeiro de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Danilo Cabral e Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo), Vanessa Gusmão e Carlos Costa.
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25.

Noites Trabalho Sujo | 14.10.2017: como foi

Noites Trabalho Sujo | 14.10.2017

NTS_outubro_2017

Os fluidos frios e as emoções cinzentas vão se dissipando com a distância do inverno e o verão começa a se anunciar a partir deste fim de semana, quando voltamos uma hora no relógio para que o sol se ponha mais tarde. Está começando a época mais feliz e quente do ano, quando o experimento mensal realizado no centro da maior metrópole da América do Sul passa a sintonizar vibrações naturalmente efusivas, tornando mais fácil e envolvente as condições de temperatura e pressão adequadas para elevar o bom astral. Com a formação completa, depois de uma viagem encantadora do estudioso Luiz Pattoli pelo hemisfério norte, o centro de experiências Noites Trabalho Sujo volta a inflamar cérebros e quadris com sua mistura corrosiva de memórias resgatadas do passado e registros contemporâneos de culturas distintas, superpondo sensações e causando justaposições de finas camadas de deleite e prazer no auditório azul. Do outro lado do andar das delícias, a dupla de exploradores sônicos Carlos Costa e Juli Baldi entregam-se, primeiro sozinhos e depois lado a lado, às múltiplas interpretações de sentimentos musicais apresentados sequencialmente, sempre hipnotizando o público voluntário rumo a zonas alheias de conforto. Os convidados só poderão adentrar no recinto após o envio de seus nomes para o correio eletrônico [email protected] até às 20h deste sábado.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 14 de outubro de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Danilo Cabral e Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo), Carlos Costa e Juli Baldi.
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25.

Noites Trabalho Sujo | 8.4.2017: como foi

Noites Trabalho Sujo | 8.4.2017

nts-abril-2017

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 8 de abril de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Carlos Costa (Quarto/Fresta) e Sarah Sioli e Tati Contreiras (Almost Locals) apresentando Liv Brandão
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 35 só com nome na lista pelo email [email protected] Os cem primeiros a chegar pagam apenas R$ 25. O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. Chegue cedo para evitar filas.

A contração de músculos repetidas vezes em sincronia com o pulso delimitado por frequências sonoras cíclicas envolve a consciência de uma sensação de torpor que permite acessar áreas cerebrais inativas na vida desperta. Aliadas à baixa iluminação, à frequência visual harmônica que intercala a profusão de cores à presença massiva de outros corpos em mesma sintonia, tais movimentos permitem a criação de uma massa biomática orgônica que dissemina o conhecimento e sensações entre os voluntários, provocando a ressonância transmórfica que eventualmente nos leva à telepatia, à precognição e outras variantes do que comumente nos referimos como sexto sentido, intuição ou parapsicologia. É este experimento que está sendo realizado de forma igualmente repetitiva no terceiro (ou quarto?) andar da torre de concreto localizada na esquina próxima ao Largo do Paysandu, encruzilhada energética capital na criação psíquica coletiva do mito sobre a metrópole paulistana. A cada passagem de sábado para domingo que atravessa-se coletivamente vinculado a outras cobaias deste retiro orgástico mais expande-se a consciência que diz respeito ao reconhecimento de uma escala ainda maior de realidade, sensação que aparenta-se fugaz mas que entra na escala genética a partir da fricção dos neurônios ativados neste processo. Supervisionando o laboratório rítmico, o psiconauta Alexandre Matias e seus cientistas cúmplices no instituto Noites Trabalho Sujo, o neuro-antropólogo Danilo Cabral e o astrofilósofo Luiz Pattoli conjuram pequenas viagens psicodelicas concentradas em registros fonográficos de diferentes eras da história recente para solidificar a sensação do prazer em uma densa nuvem de som e calor. No outro ambiente do mesmo experimento, o conluio xamânico provocado pelas feiticeiras transnacionais do processo de ambientação deslocada chamado Almost Locals realiza uma manifestação pró-progesterona invocando apenas entidades femininas na sessão ministrada pela sacerdotisaSarah Sioli e a maga Tatiana Contreiras, que ainda convidaram a fada Liv Brandão para um ritual transformador. Em seguida, o cientista gnóstico Carlos Costas parte do rescaldo energético formado para reconstrui-lo usando ondas sintéticas superposta à metalinguagem cifrada em sígilos sonoros, recriando seu próprio centro de pesquisas, o Quarto/Fresta, em nossa instalação. O transe intraespacial começa a partir das 23h45 e a presença dos voluntários ao êxtase coletivo é requerida através do endereço eletrônico [email protected], caso contrário não é possível permitir sua participação. Abra-se.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 8 de abril de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Carlos Costa (Quarto/Fresta) e Sarah Sioli e Tati Contreiras (Almost Locals) apresentando Liv Brandão
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 35 só com nome na lista pelo email [email protected] Os cem primeiros a chegar pagam apenas R$ 25. O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. Chegue cedo para evitar filas.

Noites Trabalho Sujo | 21.01.2017: como foi

Noites Trabalho Sujo | 21.01.2017

NTS_POSTER_janeiro

Ajustando os controles para o coração do verão. O solstício iniciado na última entrada de sol em capricórnio tem enfrentado uma conjuntura vibracional pesada que ainda ecoa do período cósmico que dominou 2016. À medida em que concretizam-se as relações e as realizações que pairaram sobre o ano passado, a sensação de imobilidade e o descontrole moral refletem-se na temperatura e na atmosfera – resultado das pesadas nuvens cinzentas que pairam nos céus do início de 2017. É exatamente o aspecto ideal para colocar em prática os experimentos que conduzimos na antena de concreto disposta em frente ao Largo do Paysandú, na maior metrópole latina do Hemosfério Sul deste planeta. O encontro acontece mais uma vez em uma madrugada iniciada às 23h45, uma semana após a entrada do cientista-chefe Alexandre Matias na quadragésima segunda volta ao redor do Sol, idade que todo mochileiro intergaláctico sabe estar ligada ao próprio sentido da vida. Tal momento de transição é compartilhado pelo psicomergulhador de águas profundas do groove Danilo Cabral e o explorador antroposófico Luiz Pattoli, que juntos formam o instituto que batiza o evento. É a partir de seu laboratório central de paredes azuis que os três conduzem a ignição de boas vibração e a consequente fricção destas áureas que visa dissipar as nuvens do céu para que o contato com a estrelar solar possa entrar com força e começar a derreter as más influências que pairam sobre o planeta. Os três são escudados pelo ultramaratonista do som Jesse Marmo, que atende pelo codinome de Kowalski, e que veio diretamente da outra ponta da Dutra para estimular a formação do alto astral. No laboratório preto, o maestro eletrônico Carlos Costa conduz colisões de ondas sonoras de épocas diferentes e depois passa as boas energias para a dupla de fisicistas bon vivant Girls Bite Back, formada pelas doutoras Ana Prado e Nath Capistrano, que ajudam na concentração de ondas de puro delírio para que elas consigam atingir a maior circunferência tridimensional a partir do edifício da Trackers, para enfim começarmos o ano da forma apropriada. Não deixe-se acanhar pela chuva, que é parte das condições do experimento, e envie seu nome para o endereço eletrônico [email protected] até às 20h do sábado 21 de janeiro de 2017. As confirmações chegam até às 22h e só pode entrar no recinto quem enviar seu próprio nome.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Verão 2017!
Sábado, 21 de janeiro de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Ana Prado e Nathalia Capistrano (Girls Bite Back), Jesse Marmo (DJ Kowalski) e Carlos Costa.
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 35 só com nome na lista pelo email [email protected] Os cem primeiros a chegar pagam apenas R$ 25. O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. Chegue cedo para evitar filas.