Baile de Carnaval Inferninho Trabalho Sujo

Se você não conseguiu ir em nenhum dos meus últimos bailes de carnaval esse ano, sua última chance esse ano é no próximo domingo, quando entro num vórtice chamado Baile de Carnaval Inferninho Trabalho Sujo, que, como preza a natureza do local, nosso querido portal interdimensional chamado Picles, vai saber o que pode acontecer. É uma festa à fantasia que acontece no meio do bairro de Pinheiros, depois que os blocos dizimaram o enorme canteiro de obras que é a região, quando refugos e refugiados da folia se encontram com os heróis e heroínas que encararam passar o domingo de carnaval assistindo à apresentação de uma banda chamada Carnaindie, que mistura hits de axé music com covers de Strokes e não deixa ninguém parado! Depois, assumo a discotecagem com minha copilota agente do caos Bamboloki, fazendo sair glitter derretido do cérebro de quem estiver na pista. O Picles fica no número 1838 da rua Cardeal Arcoverde e se prepara porque vai ser LOCO. Bora!

Trabalho Sujo All Stars | 12.1.2024

E sigo as comemorações do meu aniversário este ano com mais uma festa, dessa vez na sexta-feira, no Bar Alto, quando reúno outros capricornianos para celebrar juntos na primeira Trabalho Sujo All Stars de 2024. Começo tocando às 19h e depois recebo, a cada hora, as digníssimas presenças de Pérola Mathias, Tomaz Paoliello e Bamboloki, todos filhos de janeiro no verão que me ajudam a tornar essa noite memorável, como sempre. A festa acontece ali no Bar Alto (Rua Aspicuelta, 194), na Vila Madalena, e não paga nada para entrar. Vamos?

Sofisticação pop

Fazia tempo que eu não via o show da Yma e, vou te contar, tá melhor do que nunca. A banda está redondíssima e esta característica é imprescindível à apresentação proposta pela cantora e compositora, deixando-a à vontade para deslizar sua voz e seu carisma arrebatadores sem se preocupar, colocando o público na palma de sua mão. E vê-la tocando no Inferninho Trabalho Sujo dessa quinta-feira teve um sabor especial, justamente pelo fato de ser no Picles. O astral underground da casa parece paradoxal em relação à sofisticação pop conduzida pela banda, mas acabou sendo complementar, algo que foi traduzido no momento em que um dos senhores Picles, o grande Rafael Castro, subiu no palco para dançar com a Yma (olha o palco te chamando de volta, Rafa!), num equilíbrio entre leveza e força, dia e noite, céu e terra. Foi bonito demais – e depois só lembro que emendei “Velvet Underground” do Jonathan Richman com “The Chain” do Fleetwood Mac quando já eram quase quatro manhã…

Assista aqui:  

Pop mundano

Lá vou eu de novo comentar sobre a festa que eu mesmo faço, mas o Picles ficou pequeno pro Xepa Sounds do Thiago França. Cheguei logo depois do show do Garotas Suecas e o bicho já estava pegando – Juka me chamou num canto e falou: “cê tá fudido Matias, eles já tocaram todas as músicas que você toca”. É que a verve mundana do projeto mais low profile do maestro da Santa Cecília toca nos mesmos pontos da minha discotecagem: é Spice Girls e Dua Lipa por um lado, Rouge e Caetano Veloso por outro e o cabra ainda terminou a noite mandando “Total Eclipse of the Heart”. Restou pra mim e pra Bamboloki a inglória tarefa de manter a pista cheia, mas depois de uma sequência nortista emendamos Wanderley Andrade com electrosummerhits, passando por RBD e Maria Bethania, Strokes e New Order, Madonna e Run DMC, Lady Gaga e Specials. Foi insano – quem foi sabe. E a próxima é no dia 7 de setembro, com DUAS bandas.

Assista aqui:  

Inferninho Trabalho Sujo apresenta Xepa Sounds

Universos colidem nesta quinta-feira em mais uma edição do Inferninho Trabalho Sujo no Picles. A banda da vez é o trio Xepa Sounds, liderado por Thiago França e ancorado pela percussão de Pimpa e Samba Sam em uma noite de delírio pop que vai da dance music à pagodeira, só no beat e sax – e como essa edição vai pegar fogo, melhor garantir seu ingresso antes da hora pra não correr o risco de ficar de fora. Depois assumo a discotecagem até o fim da madrugada e quem me acompanha é esta que você já deve ter sonhado com ela sem saber de seu nome: Bamboloki, que traz o puro suco dos anos 2000 para a pista de dança. O Picles fica no coração de Pinheiros – enquanto ele ainda tem um – no número 1838 da Cardeal Arcoverde e se deixar o Thiago começa a tocar na hora que abre, às oito da noite. Vem!