Noites Trabalho Sujo na Trackers| 5.5.2018: Como foi

Noites Trabalho Sujo na Trackers | 5.5.2018

O ano segue conturbado, tenso e belicoso, por isso reforçamos nossa missão de espalhar boas vibrações através de ondas sonoras que conectam afetividades reprimidas que se soltam na pista de dança. Em mais um experimento mensal na torre de concreto que observa imóvel as mutações de uma São Paulo sempre em convulsão urbana, o centro de pesquisa Noites Trabalho Sujo, representado por seu fundador, o neurossociólogo Alexandre Matias, e pelo cientista-sênior em agitações sonoras, Luiz Pattoli, convida o guru do carisma analítico Pablo Miyazawa para juntar-se em sua palestra conjunta a respeito da memória afetiva musical dos últimos tempos, ministrada no auditório azul. Do outro lado do andar, as exploradoras sônicas Girls Bite Back (Ana Prado e Nath Capistrano) navegam águas de alto astral movidas por frequências de áudio, seguidas pela apresentação contagiante do representante central do instituto Heatwave, o antropólogo Wilson Farina, que condicionam o auditório preto para encapsular corações em harmonia psíquica. O experimento é voluntário e só participa dele quem enviar o próprio nome para o endereço eletrônico [email protected] até às 19h do próprio dia da apresentação. E devido à tragédia que abateu-se próxima à região do Largo do Paiçandu, estamos recolhendo itens de vestuário e de higiene pessoal para as vítimas do desabamento recente, oferecendo um desconto no valor da entrada aos que se dispuserem a colaborar.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 5 de maio de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo), Wilson Farina (Heatwave), Ana Prado e Nath Capistrano (Girls Bite Back) e Pablo Miyazawa
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email [email protected] Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25.

Estamos recolhendo roupas (adulto e infantil), fraldas, itens de higiene pessoal e cobertores para doar para as vítimas do prédio que desabou nas proximidades do Largo do Paiçandu. Quem trouxer este tipo de doação tem desconto de R$ 20 na entrada da festa.

Noites Trabalho Sujo | 21.01.2017: como foi

Noites Trabalho Sujo | 21.01.2017

NTS_POSTER_janeiro

Ajustando os controles para o coração do verão. O solstício iniciado na última entrada de sol em capricórnio tem enfrentado uma conjuntura vibracional pesada que ainda ecoa do período cósmico que dominou 2016. À medida em que concretizam-se as relações e as realizações que pairaram sobre o ano passado, a sensação de imobilidade e o descontrole moral refletem-se na temperatura e na atmosfera – resultado das pesadas nuvens cinzentas que pairam nos céus do início de 2017. É exatamente o aspecto ideal para colocar em prática os experimentos que conduzimos na antena de concreto disposta em frente ao Largo do Paysandú, na maior metrópole latina do Hemosfério Sul deste planeta. O encontro acontece mais uma vez em uma madrugada iniciada às 23h45, uma semana após a entrada do cientista-chefe Alexandre Matias na quadragésima segunda volta ao redor do Sol, idade que todo mochileiro intergaláctico sabe estar ligada ao próprio sentido da vida. Tal momento de transição é compartilhado pelo psicomergulhador de águas profundas do groove Danilo Cabral e o explorador antroposófico Luiz Pattoli, que juntos formam o instituto que batiza o evento. É a partir de seu laboratório central de paredes azuis que os três conduzem a ignição de boas vibração e a consequente fricção destas áureas que visa dissipar as nuvens do céu para que o contato com a estrelar solar possa entrar com força e começar a derreter as más influências que pairam sobre o planeta. Os três são escudados pelo ultramaratonista do som Jesse Marmo, que atende pelo codinome de Kowalski, e que veio diretamente da outra ponta da Dutra para estimular a formação do alto astral. No laboratório preto, o maestro eletrônico Carlos Costa conduz colisões de ondas sonoras de épocas diferentes e depois passa as boas energias para a dupla de fisicistas bon vivant Girls Bite Back, formada pelas doutoras Ana Prado e Nath Capistrano, que ajudam na concentração de ondas de puro delírio para que elas consigam atingir a maior circunferência tridimensional a partir do edifício da Trackers, para enfim começarmos o ano da forma apropriada. Não deixe-se acanhar pela chuva, que é parte das condições do experimento, e envie seu nome para o endereço eletrônico [email protected] até às 20h do sábado 21 de janeiro de 2017. As confirmações chegam até às 22h e só pode entrar no recinto quem enviar seu próprio nome.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Verão 2017!
Sábado, 21 de janeiro de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Ana Prado e Nathalia Capistrano (Girls Bite Back), Jesse Marmo (DJ Kowalski) e Carlos Costa.
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 35 só com nome na lista pelo email [email protected] Os cem primeiros a chegar pagam apenas R$ 25. O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. Chegue cedo para evitar filas.

Como foi a edição de setembro das Noites Trabalho Sujo

Noites Trabalho Sujo | 10.09.2016

noites10setembro2016

Nosso experimento mensal de purificação espiritual através de espectros sonoros manipulados pela mente conta com dois desfalques em sua edição de setembro, quando o cientista-fundador Alexandre Matias segue em simpósio metafísico na costa oeste norte-americana e o desbravador de sinapses Danilo Cabral continua sua longa peregrinação pelo reino do misticismo britânico. Cabe então ao metanavegador Luiz Pattoli, único representante presente do instituto de motivação psíquica Noites Trabalho Sujo, a função de capitão de mais um sábado inefável na antena de captação de boas vibrações localizada no centro da maior cidade da América do Sul. E para ajudá-lo em sua pregação carnal de timbres baixos, ele convocou dois ícones da preservação histórica sulista para motivar sua pregação êxtática: o célebre pesquisador Wilson Farina, já conhecido de outras edições deste nosso encontro, e o estudioso estreante no simpósio Tatu, ambos especializados nos efeitos das frequências elétricas sobre os batimentos cardíacos. Neste mesmo auditório surgem também as mestrandas Ana Prado e Nathalia Capistrano, reveladas ao público do colóquio neste 2016, que ministram mais uma apresentação já consagrada sob o codinome de Girls Bite Back. No outro auditório, quem recebe os convivas é a também consagrada dupla Gemini, formada pelos doutores do ritmo Karen Ercolin e Acácio Mendes, mais uma vez testando a fluência do corpo sob altas temperaturas. E nos honrando com uma presença tão intensa, vem a equipe de auditores independentes do centro de estudos Casa do Mancha, que aproveita o encontro para festejar nove anos de estudos ambiciosos e empíricos. O próprio fundador da seita musicologista Mancha Leonel recebe o professor pernambucano Bruno Nogueira e o pesquisador extrafísico Pedro Bonifrate para tensionar a psiquê coletiva levando bons fluidos e recuperando a autoestima dos que se dispuserem a se submeter aos seus caprichos. A presença no encontro só será possível sob a inscrição através do endereço de correio eletrônico [email protected] até às 20h do dia de sua realização e o envio do nome à lista autoriza o uso morfológico do pequeno zeitgeist sob condições ideais de temperatura e pressão. Abaixo, uma amostra do que poderá acontecer neste encontro tão querido:

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 10 de setembro de 2016
A partir das 23h45
No som: Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo), Wilson Farina (Heatwave), Tatu, Mancha, Bruno Nogueira e Bonifrate (Casa do Mancha), Karen Ercolin e Acácio Mendes (Gemini) e Ana Prado e Nath Capistrano (Girls Bite Back)
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. E chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar.

Como foi a edição de julho das Noites Trabalho Sujo

Noites Trabalho Sujo | 16.07.2016

noites16julho2016

Rumo a mais uma madrugada de experimentação psíquico-física no coração da metrópole sulamericana, não vamos deixar as frias temperaturas deste inverno tirar o ânimo de nossa incursão à sintetização do calor humano a partir do movimento de corpos sob frequências sonoras movidas por ritmo. São três ambientes dedicados à aproximação corporal e à fluência das boas vibrações. Na sala azul, a dupla de pesquisadores Karen Ercolin e Acácio Mendes, que agora atendem pelo nome coletivo Gemini, começa a fritar neurônios e sacudir quadris logo no início da noite. Após esta explanação, o laboratório responsável pela realização do encontro mensal, o já consagrado trio de cientistas do som Noites Trabalho Sujo, seguem aquecendo corações e mentes à base de novas referências culturais e velhas memóriais nostálgicas – a celebração promovida pelos doutores Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral é conhecida por estabelecer a tônica do experimento. A dupla de investigadoras notívagas Girls Bite Back, composta pelas antropólogas sociais Ana Prado e Nathalia Capistrano, começam a mover instintos no ambiente preto, friccionando libido e álcool às moléculas de som e preparando o terreno para a chegada de duas videocomunicadores, a envolvente Fernanda Catania e a elétrica Maira Medeiros, dos institutos Foquinha e Nunca Te Pedi Nada, respectivamente. Na área do lounge, próxima à entrada, os novatos Pedro Jansen e Léo Freire, que apresentam-se como O Cafuçu e o Hipster, recebem os convidados trabalhando em diferentes frentes culturais. O ingresso para esta noite de experimentação de sentimentos e emoções só é permitida àqueles que enviarem seus nomes para o endereço de correio eletrônico [email protected] até às 20h deste sábado. Não se acanhe com a chuva, ela está na programação deste transe e só durará ate o início da noite. Para evitar problemas à entrada, fica a sugestão de chegar mais cedo. Aguardamos a presença de todos. Abaixo uma prévia da tônica da noite.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 16 de julho de 2016
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Karen Ercolin e Acacio Mendes (Gemini), Fernanda Catania (Foquinha) e Maira Medeiros (Nunca Te Pedi Nada), Pedro Jansen e Léo Freire (O Cafuçu e o Hipster), Ana Prado e Nath Capistrano (Girls Bite Back).
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. E chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar.

Como foi a edição das Noites Trabalho Sujo com o Ideafixa

Noites Trabalho Sujo | 09.04.2016

noites9abril2016

Nosso experimento psíquico-interdimensional deste mês tem um objeto específico – com base em referências sonoras reconhecíveis e através da sinestesia destas com ondas cerebrais de índole positiva, queremos propor uma variação sensorial da consciência dos presentes semelhante a um arrebatamento neuroemotivo. A fluência das vibrações audíveis sequenciadas por nosso corpo docente e seus convidados deverá elevar corações e mentes a uma zona do inconsciente coletivo em que tudo o que importa é o som e o sentimento – não mais o sentido. Os pesquisadores residentes do centro de pesquisas Noites Trabalho Sujo, os professores eméritos Alexandre Matias, Danilo Cabral e Luiz Pattoli seguem sua constante aceleração de partículas cerebrais através da música durante todo o curso da madrugada no cômodo azul. No auditório preto, os convidados são os doutores do instituto de alteração de consciência Ideafixa e as mestras Janara Lopes e Vanessa Queiroz se unem ao pesquisador de campo Victor Mota para transcender os limites do ego a partir do exercício de faculdades sensíveis ao calor humano. Concluindo nossos convidados, a dupla de mestrandas Ana Prado e Nathalia Capistrano da instituição independente Girls Bite Back exercitam diferentes níveis de equilíbrio – mental, emocional, corporal, visual, sonoro – a partir dos campos magnéticos que emanam sobre os presentes. A arrebatação consciente começa poucos instantes antes da meia-noite do sábado 9 de abril de 2016 para o domingo 10 de abril de 2016 no edifício Trackertower, localizado no centro antigo da tradicional metrópole paulsitana, que poderá levitar a partir dos experimentos conduzidos durante a noite. Para estar presente na sessão é preciso enviar nome para o correio eletrônico [email protected] em que os voluntários confirmam sua participação. Bom encontro.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 9 de abril de 2016
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Janara Lopes, Vanessa Queiroz e Victor Mota (Ideafixa crew) e Ana Prado e Nath Capistrano (Girls Bite Back)
Trackertower: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30 só com nome na lista pelo email [email protected] (e chegue cedo – os 100 que chegarem primeiro na Trackers pagam R$ 20 pra entrar)