Simian Mobile Disco e a eletrônica sem computadores

smd-2014

Eis um petisco do novo disco do Simian Mobile Disco, chamado Whorl. Indo para bem longe dos velhos conceitos de hit e remix, James Ford e Jas Shaw dedicaram um álbum inteiro ao improviso eletrônico ao vivo: Whorl foi tocado e gravado em tempo real em frente a 900 fãs, num estúdio na Califórnia, nos EUA. Na apresentação, cada um deles utilizava um sequenciador e um sintetizador, e nenhum computador. Eles explicaram o desafio num release:

“As gravações que fizemos no estúdio enquanto estávamos compondo e ensaiando o novo material para Whorl eram simples takes “ao vivo” – o sistema que estamos usando tem uma capacidade limitada de salvar padrões no sequenciador, mas sem a flexibilidade de um computador. Performance ao vivo e composição em estúdio agora são essencialmente o mesmo processo, mais do que método comum de compor uma faixa usando um computador e então pensar em formas de tocá-la ao vivo. Planejamos não nos limitarmos servilmente só para em uma única apresentação – quando fomos mixar o disco, usamos trechos das três seções: o show propriamente dito, uma jam extendida que fizemos no deserto um dia antes e um pouco de um ensaio que fizemos em nosso estúdio em Londres.”

Eis “Tangents”, editada para o rádio, a primeira faixa a sair destas seções:

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. 13/09/2014

    […] Vamos ver se Whorl é tudo isso que prometia… […]