Indie do Ceará

fishmagic

Antes do Cidadão Instigado mudar-se pra São Paulo, os ecos de música independente que vinham do Ceará eram bandas indie que cantavam em inglês, diretamente influenciadas principalmente por bandas indie da Inglaterra. O resultado eram fitas demo de shoegaze ou dream pop com sotaque carregado, mas que por muito tempo eram o som da resistência cultural em Fortaleza. Bandas como Dago Red, Banana Scrait, Velouria, Dead Poets, Heaven Up e 69% Love hoje são apenas notas de rodapé na história do indie brasileiro, cassetes juntando poeira nas caixas de alguma coleção, mas alguns destes heróis daquela resistência seguem insistindo naquela musicalidade particular.

É o caso de Mário Quinderé, dos Dead Poets, que lança agora seu primeiro disco solo sob a alcunha de Fish Magic, nome tirado de um quadro de Paul Klee. O disco conta com a participação e coprodução de Regis Damasceno, conhecido fiel escudeiro de Fernando Catatau no Cidadão Instigado, mas ele mesmo integrante daquela cena indie da Fortaleza dos anos 90, trabalhando sob a alcunha de Mr. Spaceman. Quem também participa do disco Songs from the Night Shift é Bárbara Eugênia, que canta com Mário na última faixa do disco, “Ether”. O disco está sendo lançado por outro herói de resistência: Rodrigo Lariú e seu incansável Midsummer Madness.

Você pode gostar...