Boards of Canada 2013: “—— / —— / —— / XXXXXX / —— / ——”

BoC-2013

Depois da dupla francesa, é a vez dos irmãos escoceses fazerem mistério. O lendário Boards of Canada, um dos pais da chamada IDM e talvez o maior nome da música eletrônica ambiente deste século (James Blake tem que comer muito feijão com arroz ainda), deu sinal de vida. Sem lançar nada desde 2006, os irmãos Michael Sandison e Marcus Eion lançaram, neste Record Store Day, um único 12 polegadas, na nova-iorquina Other Music. No disco, batizado com o enigmático nome de —— / —— / —— / XXXXXX / —— / ——, só se ouve uma coisa:

“9-3-6-5-5-7”.

Foi o suficiente para fazer fãs saírem à caça, principalmente no site especializado 2020k e no fórum Twoism, onde já cogitaram que o número sejam coordenadas geográficas, um código de cores, uma letra em ASCII (“m”, que se for a quarta letra de uma palavra com seis, como o título pode indicar, pode ser, por exemplo, a época em que o disco será lançado – “summer”?). Vale a pena acompanhar a discussão (em inglês) nos comentários de um vídeo em uma conta do YouTube que pode ser um perfil falso da banda – apenas pelo simples fato de ter surgido uma anotação com o nome do disco aos 4:20 do vídeo:

Outro jogo começou. Imagine se houver outros discos em lojas espalhadas pelo mundo que ainda não foram encontrados… Vi na Fact.

Você pode gostar...

15 Resultados

  1. Pra mim, o maior nome é The Orb, sem dúvida. Future Sound Of London em segundo lugar.

  2. Todos são do século 20. Boards começou em 1986. Orb e FSOL em 1988.

  3. Olha, Cydonia (2001), Bicycles & Tricycles (2004) e Okie Dokie It’s the Orb on Kompakt (2005) são ótimos discos do Orb que foram muito bem recebidos pela crítica e pelos fãs. Não se equiparam à The Orb’s Adventures Beyond The Ultraworld (1991), mas nada do que Alex Paterson faça daqui pra frente vai chegar perto mesmo… (espero estar errado).

    • Foi isso q quis dizer: o Orb eh um nome dos anos 90, como os Chemical Brothers ou o Prodigy. O proprio Daft Punk eh mais seculo 20 que 21.

      Jah o Boards, nao.

  4. Con-cei-tu-al-men-te. Aaahhhhhh tá, tio Matias.

  5. Matias, sua raposa. Quando tu escreveste “… talvez o maior nome da música eletrônica ambiente deste século…” tu estavas claramente te referindo à contagem do tempo, não sobre a obra do Boards soar contemporânea ao século em que vivemos atualmente. Mas fingi que acreditei na história do “…Sao mais seculo 21 q os q vc citou…”, hahaha.

  6. Bruno disse:

    se for pra conduzir a viralidade, conduz direito. boa boc, aprende daft punk (avisei lá atrás: quando o diabo da música saísse ninguém mais aguentar aquele loop – ainda mais a música sendo só aquele loop).

  1. 23/04/2013

    […] Mas o disco é idêntico ao que tinha aparecido em Nova York. […]

  2. 02/05/2013

    […] saber se o novo disco é digno de tanta espera, ele já se tornou referência cultural, a ponto do disco que originou tudo estar sendo leiloado online e os lances ao redor do disco já terem ultrapassado a casa dos […]