1991 foi um bom ano

Dá pra imaginar que uma cena dessa aconteceu?

É mais ou menos como se a Rolling Stone do final dos anos 60 (quando a redação ainda era na Califórnia) botasse os Doors e Jimi Hendrix pra beber absinto enquanto jogam dardo. Mas não pense que o revival dos anos 90 vai ser toda essa glória não, isso são tempos idos. O que vai voltar vai ser a lambada,

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Carlos disse:

    Se for pra ter um Revival 90 e a lambada vir junto, eu topo. Essa onda oitentista já deu. Strokes foi legal, Franz Ferdinand, Interpol, massa, massa.. Mas esse tal LCD é o cúmulo, é um novo conceito de chupação, coisa horrível, não tem quem aguente (ou tem?). O Shoegaze já tá aí, mas vou ficar feliz qdo começar a (re)aparecer o batidão madchester..

  2. SV disse:

    Revival dos 90 só se for do glacê dos 90. Vc vê o quão rasa foi a molecada com a continuidade do pós-punk, certo? Enfim, em tempos de revolução digital, a atenção da molecada está voltada para outros horizontes – e não da música. Foda mesmo seria se a molecada fizesse som tosco aparentado do ideário punk com softwares perna-de-pau, papagaio e gancho em vez do modo operante de todo mundo usar Pro-Tools e soar igual. De qualquer forma, ainda tenho esperança na molecada, pois há de haver alguma exceção em meio à regra geral de tamanha mediocridade.

    Se o revival se resume aos retornos do Soundgarden tocando coisa velha e a merda do Stone Temple Pilots (um dos maiores ícones do GRUNGE DE GRAVADORA) lançando disco novo “pesado” (quaquaquaqua), isso quer dizer que muito velhaco vai ter munição de sobra pra avalhacar com o revival de uma forma mais escrota que “o Pop 80 Ploc de merda que bate na água e reslava na bunda” e o “movimento indie é o novo sei lá o que do Luciano Vianna” foram relevantes artística e comercialmente…