Vida Fodona #676: Festa-Solo (14.9.2020)

vf676

Começando mais uma semana, lembrando que segunda sempre nos encontramos online no Festa-Solo na twitch.tv/trabalhosujo a partir das 21h – o último foi assim…

Paul McCartney – “Hot as Sun”
David Bowie – “Speed of Light”
Walter Franco – “Mamãe D’Água”
Fabio Goes – “Amor na Laterna”
Letrux – “Ninguém Perguntou Por Você”
Daft Punk – “Get Lucky”
Daryl Hall & John Oates – “I Can’t Go For That (No Can Do)”
Depeche Mode – “Enjoy the Silence”
Roxy Music – “Love Is The Drug (Todd Terje Disco Dub)”
Chemical Brothers – “Hey Boy Hey Girl”
Salt-N-Pepa – “Push It”
Laid Back – “White Horse”
Talking Heads – “Crosseyed and Painless”
Rage Against the Machine – “Killing in the Name”
Smiths – “Heaven Knows I’m Miserable Now”
Duffy – “Mercy”
Radiohead – “Bodysnatchers”
Tulipa Ruiz + Lulu Santos – “Dois Cafés”
Spoon – “Do You”
Unknown Mortal Orchestra – “Ur Life One Night”
MC Carol + Karol Conka – “100% Feminista”
Flora Matos – “Preta de Quebrada”
Tim Maia – “Márcio Leonardo e Telmo”
Clarice Falcão – “Survivor”
Painel de Controle – “Black Coco”
Harmony Cats – “Margarida (Felicidade)”
Lincoln Olivetti & Robson Jorge – “Eva”
Gal Costa – “Meu Bem Meu Mal”
Djavan – “Samurai”
Stevie Wonder – “Isn’t She Lovely”
Luiza Lian – “Mira”
Quartabê – “Morena do Mar”
High Llamas – “The Sun Beats Down”
Beach Boys – “Surf’s Up”
Mutantes – “O Relógio”
Zombies – “Beechwood Park”
Beatles – “I’m Only Sleeping”

Vida Fodona #659: Festa-Solo Extra (24.7.2020)

vf659

Vida Fodona ao vivo numa sexta-feira? Sim, às 21h, no twitch.tv/trabalhosujo – e dá pra ouvir logo depois que a festa acabar… agora.

Arctic Monkeys – “Snap Out of It”
Deerhunter – “Breaker”
Angel Olsen – “Shut Up Kiss Me”
My Bloody Valentine – “New You”
Tame Impala – “Feels Like We Only Go Backwards”
Som Imaginário – “Cenouras”
Supercordas – “Ipupiara”
Mopho – “A Geladeira”
Boogarins – “Lucifernandis”
Mutantes – “Preciso Urgentemente Encontrar um Amigo”
Walter Franco – “Feito Gente”
Moby – “Honey”
Kanye West – “Goldigger”
Erasure – “Stop!”
Metronomy – “Love Letters (Soulwax Remix)”
Missy Elliott – “Lose Control”
Duffy – “Mercy”
Apples in Stereo – “Elevator”
Arcade Fire – “Afterlife”
Far East Movement – “Like A G6”
Chromeo – “Fancy Footwork”
Radiohead – “Idioteque”
Pulp – “Disco 2000”
Blur – “Girls & Boys”
Elastica – “Line Up”
Pink Floyd – “Interstellar Overdrive”
Roxy Music – “Love Is The Drug (Todd Terje Disco Dub)”
Lorde – “Royals (Tambozão Edit)”
Nego do Borel + Anitta + Wesley Safadão – “Você Partiu Meu Coração”
Anitta – “Paradinha”
Luis Fonsi + Daddy Yankee – “Despacito”
Justin Bieber – “Sorry (Pagode Remix)”
M.I.A. – “Paper Planes”
Rihanna – “Consideration”
Beyoncé – “Hold Up”
Katy Perry + Juicy J – “Dark Horse”
Santana + Rob Thomas – “Smooth”
Maroon 5 – “This Love”
Daniel Merriweather + Mark Ronson – “Stop Me”
Led Zeppelin – “Dancing Days”
Haim – “If I Could Change Your Mind”
Lauryn Hill – “Doo Wop (That Thing)”
TLC – “No Scrubs”
Taylor Swift – “Style”
Stevie Wonder – “I Wish”
Red Hot Chili Peppers – “Suck My Kiss”
Outkast – “Roses”
Modjo – “Lady (Hear Me Tonight)”
Michael Jackson – “Billie Jean”
Meghan Trainor – “All About That Bass”
Marvin Gaye & Tammi Terrell – “Ain’t No Mountain High Enough”
Wilco – “Someone to Lose”
Queen – “Don’t Stop Me Now”
Olivia Tremor Control – “Jumping Fences”
Nirvana – “Love Buzz”
Jamie xx + Young Thug + Popcaan- “I Know There’s Gonna Be (Good Times)”
Hanson – “Mmmbop”
Maglore – “Me Deixa Legal”
Paralamas do Sucesso – “Selvagem”
Céu – “Minhas Bics”
Rita Lee – “Tititi”
Metrô – “Cenas Obscenas”
Glue Trip – “Elbow Pain”
Lana Del Rey – “Ultraviolence”
Air – “Playground Love”
Negro Leo – “Outra Cidade”

Vida Fodona #644: Festa-Solo (25.5.2020)

vf644

Toda segunda, às 21h, no twitch.tv/trabalhosujo

Velvet Underground – “Cool It Down”
Astrud Gilberto – “Beginnings”
Yo La Tengo – “Moby Octopad”
Gilberto Gil – “Indigo Blue”
Anelis Assumpção – “Chá de Jasmim”
Otto – “Soprei”
Metronomy – “She Wants”
Beatles – “Lovely Rita”
Rapture – “Miss You”
John Cale + Terry Riley – “The Protege”
Cocteau Twins – “Cherry-Coloured Funk”
Walter Franco – “Cena Maravilhosa”
Jim James – “We Aint Getting Any Younger Pt. 2”
Memory Tapes – “Green Knight”
Washed Out – “Feel It All Around”
Garotas Suecas – “Bucolismo”
Unknown Mortal Orchestra – “Swim And Sleep (Like A Shark)”
Doors – “My Wild Love”
Syd Barrett – “Baby Lemonade”
Siba – “O Inimigo Dorme”
Bill Withers – “Everybody’s Talkin'”
Van Morrison – “Astral Weeks”
Jupiter Apple – “Welcome to the Shade”
João Gilberto – “Undiú”
Letuce – “Animadinha”
Isaac Hayes – “Never Can Say Goodbye”
Bruno Schiavo – “Orégano”
Pelados – “O Fim”
Thiago França – “Dentro da Pedra”
Miles Davis – “So What”
Lambchop – “The Old Gold Shoe”
Nina Becker – “Toc Toc”
David Bowie – “Life on Mars?”
Fagner – “Traduzir-se”
Angel Olsen – “Sister”

 

Vida Fodona #628: Em tempo de quarentena

vf628

É sério.

Letrux – “Vai Brotar”
Bruno Schiavo – “Havaianas Déja Vu”
Billie Elliot – “No Time to Die”
Talking Heads – “Life During Wartime”
Gal Costa – “Cultura e Civilização”
Walter Franco – “Partir do Alto / Animal Sentimental”
Pavement – “Gold Soundz”
Lulina – “Cantor Pop dos Sonhos”
Ana Frango Elétrico – “Torturadores”
Spoon – “Rhthm & Soul”
Jupiter Apple – “Exactly”
Ultramagnetic MCs – “Ease Back”
Kaytranada + Kali Uchis – “10%”
Isaac Hayes – “I’ll Never Fall In Love Again”
Pulp – “Dishes”
Massive Attack – “Dissolved Girl”

Eis os vencedores do prêmio APCA de música em 2019

apca-2019

Estes são os premiados da comissão julgadora de música popular da Associação Paulista de Críticos de Arte de 2019, escolhidos em votação nesta segunda-feira:

Grande Prêmio da Crítica:
Beth Carvalho

Artista do ano:
Djonga

Melhor álbum:
Black Alien – Abaixo de Zero: Hello Hell

Melhor show:
Emicida no Theatro Municipal (SP)

Revelação:
Ana Frango Elétrico

Música/Clipe do Ano:
“Amor de Que”, Pabllo Vittar

Projeto Especial
Itamar Assumpção 70 anos

Homenagem (In Memoriam):
Walter Franco

Participo da comissão ao lado de Adriana de Barros (UOL), José Norberto Flesch (Destak), Marcelo Costa (Scream & Yell), Pedro Antunes (Rolling Stone Brasil) e Tellé Cardim. A cerimônia de premiação acontecerá no dia 17 de fevereiro de 2020, no Teatro Sérgio Cardoso. Parabéns aos escolhidos!

Vida Fodona #609: Walter Franco (1945-2019)

vf609

Apesar de tudo é leve.

Walter Franco – “Partir Do Alto” / “Animal Sentimental”
Walter Franco – “O Relógio”
Walter Franco – “Até Breve”
Walter Franco – “Bumbo Do Mundo”
Walter Franco – “Xaxados e Perdidos”
Walter Franco – “Respire Fundo”
Walter Franco – “Cena Maravilhosa”
Walter Franco – “Cabeça”
Walter Franco – “Eternamente”
Walter Franco – “Mixturação”
Walter Franco – “Mamãe D’Água”
Walter Franco – “Me Deixe Mudo”
Walter Franco – “Vela Aberta”
Walter Franco – “Coração Tranquilo”
Walter Franco – “Pirâmides”
Walter Franco – “Arte e Manha”
Walter Franco – “No Fundo do Poço”
Walter Franco – “Toque Frágil”
Walter Franco – “Revolver”

 

Walter Franco (1945-2019)

WalterFranco

Morre um gigante da música de vanguarda brasileira. Walter Franco fez parte de uma linhagem da nossa música que expandiu os horizontes daquilo que foi cogitado pelo tropicalismo no final dos anos 60. Ao lado de artistas como Tom Zé, Jards Macalé, Itamar Assumpção e Jorge Mautner (que o tempo colocou na infame prateleira de “malditos”, coisa que felizmente está mudando), entortava a canção para formatos impensáveis à época, conseguindo atingir o grande público mesmo fazer experimentos que chocavam e confrontavam os padrões. Autor de clássicos como “Canalha!”, “Respire Fundo”, “Cabeça” e “Me Deixe Mudo”, ele compôs duas obras-primas que mantiveram seu nome entre os grandes, mesmo quando ele estava afastado dos holofotes: Ou Não (o disco da mosca, de 1973) e Revolver (1975). Este último – cujo título é o verbo e não a arma, não há acento – é um dos discos mais importantes da música brasileira do século passado e um dos meus discos favoritos. Walter havia sofrido um AVC no início do mês e estava internado desde então – preocupados, amigos e conhecidos esperavam que ele pudesse se recuperar, o que infelizmente não aconteceu.

Walter Franco e eu

Walter Franco e eu

Pude conhecê-lo no final de 2017, quando tive a oportunidade de agradecer sua importância ao conceber dois shows em sua homenagem no Centro Cultural São Paulo. Propus que ele tocasse seus dois principais álbuns ao vivo em duas apresentações distintas – a primeira dedicada a Ou Não, a segunda a Revolver. Ele preferiu não reler Ou Não pois é um disco essencialmente de estúdio – Walter chamou Rogério Duprat para arranjar o disco e o maestro preferiu picotá-lo e reeditá-lo, transformando-o em um dos primeiros discos cujo principal material foi concebido após a gravação. Assim, em vez de tocar Ou Não na íntegra, sugeriu que tocasse algumas músicas daquele disco – mais fáceis de tocar ao vivo – e outras de seu repertório que não estavam naqueles dois álbuns. Perfeito, assim contemplaríamos todo seu legado.

O fim de semana que chamei de Viva Walter Franco ainda teve a graça de ter uma das datas caindo em seu aniversário de 73 anos e, capricornianos de janeiro eu e ele, rimos da coincidência numérica: os shows festejavam 45 anos de carreira de um autor nascido em 1945 e o aniversário de 73 anos de um artista que lançou seu primeiro disco em 1973. Antes dos dois shows, o jornalista Thales de Menezes, que estava escrevendo a biografia do mestre, entrevistou Walter em frente ao público. Bonachão e tagalera, Walter terminou o segundo show em êxtase, quase sem conseguir falar direito – cercado pelo público no palco da mítica Adoniran Barbosa (na foto abaixo que até hoje está como imagem de capa de sua página no Facebook). Me chamou no canto, depois de cumprimentar os fãs um a um, enxugou os olhos, ajeitou os óculos e me disse baixinho: “Obrigado Matias, esse foi um dos dias mais felizes da minha vida. Que presente que você me deu.” Chorei junto.

walter-franco-ccsp

Eu que agradeço seu Walter. Por tudo.

Abaixo, a íntegra dos dois shows.

Viva Walter Franco

walterfranco-2017

A primeira atividade da curadoria de música do Centro Cultural São Paulo em 2018 é uma homenagem a um ícone da música brasileira. A série de homenagens Viva celebra a importância de Walter Franco em dois shows neste sábado e domingo. O primeiro, dia 6, às 19h, Ou Não e Além, recria seu clássico disco de estreia Ou Não, de 1973, além de trazer músicas de outras fases de sua carreira. No domingo, dia 7, às 18h, Walter e banda voltam ao mítico Revolver, de 1975. Os dois shows serão precedidos pelos Concertos de Discos sobre os respectivos álbuns, que desta vez acontecem na Sala Adoniran Barbosa com a presença do próprio Walter, conduzidos pelo jornalista Thales de Menezes, que está escrevendo a biografia do músico (mais informações aqui). Abaixo, a introdução que escrevi no folder de apresentação do projeto, que será distribuído durante o evento e conta com textos do Thales sobre os dois discos revisitados.

O passo, o precipício
Um mergulho na obra de um dos artistas mais ousados da música brasileira

Walter Franco é um dos principais ícones da música brasileira moderna. Faz a ponte entre a canção popular e a academia, a vanguarda estética e a música pop. Seu período áureo, entre o Tropicalismo e o pop dos anos 80, é a espinha dorsal do projeto Viva Walter Franco, mais uma iniciativa da curadoria de música do Centro Cultural São Paulo que joga luz em biografias importantes de nossa cultura. Seus principais discos, Ou Não (de 1973) e Revolver (de 1975) serão contemplados em um fim de semana de shows e bate-papos – estes conduzidos pelo jornalista Thales de Menezes, que está escrevendo a biografia do músico. O evento festeja os 45 anos de carreira deste artista que nasceu em 1945 e que completa 73 anos exatamente no mesmo dia em que celebra seu primeiro disco, lançado em 1973. Coincidências não são novidades na vida deste artista complexo, ousado e instigante, que segue inspirando as novas gerações da música popular e erudita do país.

PROGRAMAÇÃO

dia 6/1 – sábado

16h
Concerto de Discos: Ou Não? (1973)
Walter Franco e Thales de Menezes conversam sobre o álbum de estreia.
90min – livre – Sala Adoniran Barbosa (622 lugares)
grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

19h
Show: Ou Não e Além
Walter Franco toca músicas de seu primeiro disco e outras do decorrer de sua carreira.
90min – livre – Sala Adoniran Barbosa (622 lugares)
R$25,00 – a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30, e domingos, das 13h às 20h30), e no site Ingresso Rápido

dia 7/1 – domingo

15h
Concerto de Discos: Revolver (1975)
Walter Franco e Thales de Menezes conversam sobre o segundo álbum.
grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

18h
Show: Revolver Tudo
Walter Franco toca seu disco de 1975 na íntegra.
90min – livre – Sala Adoniran Barbosa (622 lugares)
R$25,00 – a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30, e domingos, das 13h às 20h30), e no site Ingresso Rápido

O clássico de Walter Franco em vinil

WalterFranco_revolver

O nosso Revolver – o verbo, não é “revólver” – finalmente será relançado em vinil, quando a Polysom reedita o clássico disco de um dos compositores brasileiros mais subestimados, Walter Franco. Só não descobri se a nova edição tem a mensagem em braille na contracapa, como tinha o original.

E se você nunca ouviu esse disco, tá na hora de corrigir essa falha:

Vida Fodona #437: Simplesmente aperto o rec

vf437

Olha aí de novo.

Beastie Boys – “Mark on the Bus”
Walter Franco – “Feito Gente”
Nirvana – “All Apologies”
Daft Punk + Julian Casablancas – “Instant Crush”
Bárbara Eugênia – “Sozinha (Me Siento Solo)”
Garotas Suecas – “Bucolismo”
Hall & Oates – “Kiss On My List”
Robin Thicke + Pharrel + T.I. – “Blurred Lines”
Spice Girls – “Never Give Up On the Good Times”
N.W.A. – “Express Yourself”
Racionais MCs – “Pânico na Zona Sul”
Newcleus – “Computer Age (Push the Button)”
Disclosure – “When a Fire Starts to Burn”
Jimi Hendrix Experience – “Still Raining, Still Dreaming”
Chocolate da Bahia – “Ele Guenta”
Planet Hemp – “Contexto”
João Bosco – “Cobra Criada”

Vamo?