Transa = mantra

E o Eduardo se empolgou com o nosso Vinteonze embalado pelo Transa e botou sua maquininha de banners de letras de músicas pra trabalhar em cima da grande unanimidade do Caetano. Que essa sabedoria se espalhe por aí.

Vinteonze: Falar do momento, criar uma gíria

Sem esquecer que neste sábado temos a festa de 15 anos do Trabalho Sujo e o primeiro baile Veneno de 2011, terceira fusão de nossos esforços artísticos e primeira que sai do âmbito do áudio digital (Comentando Lost e Vinteonze sendo as duas primeiras), dedicamos o primeiro programa de abril essencialmente à música e, veja só, principalmente brasileira. Abrimos este Vinteonze falando do novo disco de Marcelo Camelo para depois depois falarmos da nova cena jazz de São Paulo, do Criolo Doido, de psicodelia brasileira, do livro da Cosac & Naif sobre o João Gilberto e do Cansei de Ser Sexy, além de fazer a leitura dos comentários sobre o programa passado, contracomentados por nós dois. Na trilha, a grande unanimidade de Caetano Veloso, Transa foi um disco escolhido por sua curta duração e também é assunto de nosso papo furado. E, porra, é o Transa, né?


Ronaldo Evangelista & Alexandre Matias – “Vinteonze #0004“ (MP3)