Noites Trabalho Sujo | 19.1.2019

nts-190119

Vamos à primeira edição de nosso experimento áudio-físico de 2019, quando, além da formação completa comigo, Luiz Pattoli e Danilo Cabral, ainda contamos com a dupla Roots Rock Revolution, Carol Morena e Vanessa Gusmão. E só entra na festa quem mandar o nome pro email noitestrabalhosujo@gmail.com

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
A primeira de 2019!
Sábado, 19 de janeiro de 2019
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Fabio Smeili e Mexicano (Roots Rock Revolution), Carol Morena e Vanessa Gusmão
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30, só com nome na lista pelo email noitestrabalhosujo@gmail.com. Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor), bem como os 20 primeiros a chegar na festa.

Noites Trabalho Sujo | 16.11.2018

nts-nov2018

A força do número 23 ecoa durante a edição deste mês das Noites Trabalho Sujo, pois no dia 20 de novembro de 1995, coloquei em prática este experimento ativo chamado Trabalho Sujo, que mutou-se em diferentes formatos até chegar neste evento mensal. Portanto, a edição desta sexta (e não sábado, atentem), celebra os 23 anos deste acontecimento que agora materializa-se de diferentes formas em diferentes locais. E para esta celebração, reunimos a formação clássica das Noites Trabalho Sujo (quando recebo meus irmãos Luiz Pattoli e Danilo Cabral) no auditório azul da sede da Trackers no centro, enquanto o auditório preto fica a cargo de William Mexicano, que responde pelos Roots Rock Revolution. Lembrando que só entra na festa quem mandar o nome para o email noitestrabalhosujo@gmail.com até às 22h. Venha celebrar este dia mágico!

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
23 anos de Trabalho Sujo!
Sexta-feira, 16 de novembro de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Danilo Cabral e Luiz Pattoli (Noites Trabalho Sujo) e William Mexicano (Roots Rock Revolution)
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30, só com nome na lista pelo email noitestrabalhosujo@gmail.com. Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor), bem como os 30 primeiros a chegar na festa.

Noites Trabalho Sujo | 14.7.2018

nts-header-07-2018

As baixas temperaturas que pairam sobre a maior cidade da América do Sul traduzem sentimentos e sensações que enclausuram seus moradores entocados para longe da rua, mas nosso experimento mensal de reverberação de energias sônicas e térmicas começa a reverter este quadro a partir deste sábado, quando o laboratório Noites Trabalho Sujo celebra a virada do eixo eletromagnético do planeta que inclina nosso hemisfério de volta para as proximidades do sol. Daí a formação completa, quando o cientista-chefe Alexandre Matias reúne seus parceiros de fricção sonora – o explorador psíquico Luiz Pattoli e o neurocirurgião pélvico Danilo Cabral – para começar a aquecer vontades e necessidades a partir da escolha de registros sonoros que mexam com memórias internas e lembranças afetivas das cobaias voluntárias para transformar estas sensações em energia positiva e contaminar essa atmosfera fria com luz e calor humanos. Logo após esta apresentação, o líder do experimento convida a antropóloga urbana Nayse Ribeiro para encerrar a parte azul do experimento, enquanto a sala escura fica à noite inteira sob o comando da dupla de desbravadores sonoros Roots Rock Revolution, quando o sociólogo sônico Fabio Smeili e o pesquisador etnográfico William Mexicano convidam os presentes a derreterem suas expectativas ao som de sequências impensáveis de frequências rítmicas, harmônicas e melódicas. A entrada no experimento está condicionada ao envio de nomes para o correio eletrônico noitestrabalhosujo@gmail.com até às 18h deste sábado, mas a primeira centena de espectadores entra gratuitamente no prédio em frente ao Largo do Paiçandu. Esperamos todos para mais uma madrugada memorável.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 14 de julho de 2018
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Fabio Smeili e Mexicano (Roots Rock Revolution) e Nayse Ribeiro
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 30, só com nome na lista pelo email noitestrabalhosujo@gmail.com. Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar não pagam.

Noites Trabalho Sujo | 9.9.2017: como foi

Noites Trabalho Sujo | 9.9.2017

NTS_092017

O período mais frio do ano está passando e para acelerar este processo repetimos uma agenda já testada e bem resolvida em nosso experimento, quando reunimos os esforços do centro de pesquisas Noites Trabalho Sujo ao instituto de formação Roots Rock Revolution para uma noite de emoções intensas, vibrações sonoras, fricção de corpos e desintoxicação mental através de frequências de áudio, sempre conspirando para deixar o clima mais leve e saudável e o astral mais para cima e contagiante. A experiência também recebe a presença da cientista júnior Julie Teixeira, que celebra mais uma volta ao redor do sol hipnotizando nossos voluntários com som. Reforçando que a participação no evento só ocorre mediante o envio do nome – e de seus colegas – para o correio eletrônico noitestrabalhosujo@gmail.com até às 20h deste sábado.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sábado, 9 de setembro de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo), Fabio Smeili e William Mexicano (Roots Rock Revolution) e Julie Teixeira
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 40, só com nome na lista pelo email noitestrabalhosujo@gmail.com. Aniversariantes da semana não pagam para entrar (avise quando enviar o nome no email, por favor). Os cem primeiros a chegar pagam R$ 25.

Noites Trabalho Sujo | 18.3.2017: como foi

Noites Trabalho Sujo | 18.3.2017

NTS_marco2017_poster

Em tempos de aquecimento global, vamos evitar o esfriamento espiritual. Enquanto a pele e a superfície do planeta vão esquentando e suando às bicas, almas, mentes e corações vão tornando-se mais frios, distantes e vazios, em busca de um sentido para a própria existência e dos seres em que habitam. A uniformidade inóqua e a polarização cinzenta de um pensamento robótico e maquíneo avesso à natureza animal do ser humano aos poucos calcificam emoções, sentimentos e sensações, mesmo que a temperatura exterior amoleça moleiras e moléstias. Mais do que nunca, às vésperas de mais uma mudança de estação, é preciso aprofundar-se na infinitude do eu em busca da chama da vida, o sol interior que propulsiona a translação e a rotação da consciência de cada indivíduo e que conecta-o com seus pares em um transe psicoativo febril. Por isso, horas antes da entrada no outono do hemisfério sul, mais uma celebração em laboratório acontece no pilar de paredes de concreto localizado em uma esquina da Avenida São João da grande megalópole do sul latino, rede de neurônios que habita o períneo entre os baixos instintos e as altas aspirações. Em um dos auditórios, o psicoexplorador Alexandre Matias, o pesquisador sócio-quântico Luiz Pattoli e o acelerador de partículas Danilo Cabral se reúnem numa discussão que levanta registros sonoros de épocas e locais diferentes, contrapondo narrativas para extrair o êxtase coletivo em mais uma apresentação da comitiva científica Noites Trabalho Sujo. No outro lado do mesmo andar, a dupla de colisores de prótons Roots Rock Revolution, formada pelo maximizador de efeitos Mexicano e o antropólogo psíquico Fabio Smieli, cruzam frequências e ondas sônicas em explosões de libido e catarse. O trânsito entre estes dois ambientes requer o envio do nome do voluntário – e seus possíveis convidados – para o endereço eletrônico noitestrabalhosujo@gmail.com até às 18h do dia do experimento. E tenho dito.

Noites Trabalho Sujo @ Trackers
Sabado, 18 de março de 2017
A partir das 23h45
No som: Alexandre Matias, Luiz Pattoli e Danilo Cabral (Noites Trabalho Sujo); Mexicano e Fabio Smieli (Roots Rock Revolution)
Trackers: R. Dom José de Barros, 337, Centro, São Paulo
Entrada: R$ 35 só com nome na lista pelo email noitestrabalhosujo@gmail.com. Os cem primeiros a chegar pagam apenas R$ 25. O preço da entrada deve ser pago em dinheiro, toda a consumação na casa é feita com cartões. Chegue cedo para evitar filas.

Poolside em São Paulo: cortesia dos cinco anos do Neu

neu-5-anos

Conheço o Neu quando ele ainda era uma idéia, cogitada entre as noites do saudoso Milo Garage da rua Minas Gerais: Dago e Gui tocavam as incríveis festas do selo Peligro às quintas-feiras (sempre com bandas novíssimas) e Guab tocava a clássica Mixtape aos sábados (discotequei algumas vezes em ambas, bons tempos). Os três juntaram forças e abriram o sobrado de fundos pro Parque da Água Branca, do lado da PUC em Perdizes, e aos poucos foram se estabelecendo como um dos cantos mais legais da noite de São Paulo. Guab deixou a sociedade (embora ainda toque de vez em quando por lá) e a casa passou por uma mudança drástica no último ano – rolou uma bela reforma e agora aceita cartões. “2013 foi um ano de encontrar a ‘nova cara’ da casa depois da reforma, com novas festas, mais diversidade entre elas, a novidade dos domingos”, me explica o Dago, que comemora os cinco anos de atividades trazendo a dupla Poolside para São Paulo e aproveitando a deixa para fazer uma bela semana de comemoração. “Nos outros anos, sempre comemoramos os aniversários da casa de maneira discreta, em festas pequenas, com nossos amigos. Mas uma casa noturna durar cinco anos em São Paulo é uma grande conquista, então decidimos fazer uma celebração um pouco maior”, continua. “Então veio essa ideia de fazer a sexta e o sábado com DJs representando as principais festas atuais da casa. E a quinta abre a maratona com a cereja do bolo, que é o set do Poolside e com os DJs da Avalanche – Bonde, Drunk Disco, Holger e eu – pra completar a noite. Virou quase um festivalzinho”.

O Poolside é dono de um dos discos mais legais do ano passado e eu vi os vi tocando na abertura do festival Primavera em Barcelona desse ano.

Vai ser legal vê-los no mesmo palco em que a Lulina homenageou o Lou Reed na Sussa, dia desses. A programação dos cinco anos do Neu segue abaixo – e eu toco no sábado, afinal além da Sussa (que alterno entre o Neu e a Casa do Mancha) estou inaugurando a Trabalho Sujo Naites neste sábado lá na casa da Água Branca.

Continue

Hoje eu toco no Lab!

A Laís e o Mexicano me chamaram pra tocar hoje na festa que eles fazem lá no Lab, vambora? As coordenadas estão na página do evento no Feice ou site do Lab, que fica na Augusta. Eu começo a tocar à uma da madruga…