Já pensou num disco Frank Jorge junto com o Kassin?

frank-jorge-kassin

Kassin e Frank Jorge, dois pilares do rock independente dos anos 90 que se tornaram referências musicais nas respectivas cenas de suas cidades, já se conheciam há tempos. “Eu conheci o Frank assistindo ao Graforreia Xilarmônica no festival SuperDemo, se eu nao me engano em 1992”, o produtor carioca puxa pela memória. O gaúcho complementa: “Fui conhecer conhecer mesmo foi quando o Kassin e o Berna produziram o disco da Graforreia Xilarmônica Ao Vivo, lançado pela Senhor F Discos, gravado em Porto Alegre num bar chamado Manara, que não existe mais nem a edificação, inclusive, e foi lançado em 2006”, lembra Frank sem precisar a data do show.

Os dois se reencontraram em 2020 para começar a trabalhar num disco em dupla, mas o coronavírus obrigou a mudança de planos. “Inicialmente haveria encontro no disco , eu iria a Porto Alegre e Frank viria ao Rio , eu pensava em um disco mais tocado com sintetizadores e baterias eletrônicas e acústicas juntas quando vimos que isso não seria possível resolvi fazer tudo programado”, lembra Kassin. “Inicialmente, seria uma fusão de composições autorais inéditas ao estilo de músicas bregas brasileiras com rock internacional da mesma época, tipo bandas do CBGBs…”, lembra Frank, “mas o rumo que foi tomando as composições e produções a partir das guias mostrou um universo diferente, mais rico ainda, bem brasileiro, bem diversificado, com bastante programações de bateria eletrônica, baixos synth ou ‘tocados no dedão’, arranjos maravilhosos do Kassin para sopros, enfim… Um álbum muito único que me deu muito prazer em fazer.”

Ainda sem data de lançamento precisa – os dois falam no começo de 2021 -, o disco Nunca Fomos Tão Lindos começa a ser mostrado esta semana, quando o single “O Que Vou Postar Aqui” chega às plataformas digitais na sexta, mas os dois antecipam a faixa, que mistura as melodias básicas de Frank à fissura de Kassin por música eletrônica avançada, ao mostrar o clipe primeiro aqui no Trabalho Sujo. “É uma canção tipicamente ‘frankeana’, composta com certo DNA do velho e famigerado iê-iê-iê que existe incrustrado em mim – e adoro!”, descreve Frank. “Mas a liberdade de criação foi o princípio básico do trabalho e o que o Kassin trouxe de contribuições foi sempre surpreendente; apontou para direções muito diferentes em termos rítmicos, soluções harmônicas bacanas e de bom gosto. Um resultado final bem diferente dos respectivos trabalhos solos, e em alguma medida, modestamente falando, muito único, muito raro”. Kassin reforça que a faixa é uma boa introdução ao disco: “O disco vai pra muitos lados sonoramente, mas dá pra entender o que esperar do álbum.”

Frank detalha como foi a criação do disco: “Fiz uma guia inicial em fevereiro deste ano com violão, baixo, teclado, guitarra, vozes, para 14 músicas com o Beto Silva no Estúdio Marquise 51. Tiveram umas dinâmicas de deixar algumas de lado e inserir outras no decorrer do processo, de abril em diante. Em síntese, dez composições do álbum foram escritas entre novembro e fevereiro e duas já existiam no meu repertório próprio, não lançadas. Kassin produziu as gravações via software Zoom a partir do seu estúdio ou sua casa no Rio de Janeiro. Beto e eu em Porto Alegre no estúdio Marquise 51, gravando a partir das orientações do Kassin. Trocamos vários telefonemas e algumas vídeo chamadas para discutir as músicas, buscar soluções, cortes… Fluiu tudo de modo muito legal, cooperativo, colaborativo. Conversamos bastante sobre música em geral. Celly Campelo, High Llamas, Paulo Sérgio, Jackson 5, documentários sobre música, etc. Tudo isto impactou no resultado e no astral geral do álbum. ”

Cada um segue seus projetos individuais. Enquanto Kassin prepara mais um disco solo, Frank segue dando aula de Produção Fonográfica na universidade Unisinos, em Porto Alegre “e compondo canções em espanhol; lendo Jonathan Franzen, Henry Jenkins, jornal e revistas Bizz antigas; sempre ouvindo muita música; assistindo seriado sobre o Império Romano”, conclui.

Vida Fodona #649: Arqueologia recente

vf649

Previously, on Trabalho Sujo

PJ Harvey – “Sheela-Na-Gig (Demo)”
Burt Bacharach + Daniel Tashian – “Bells of St. Augustine”
Crime Caqui – “Your Forehead”
Sharon Van Etten + Josh Homme – “(What’s So Funny Bout) Peace, Love and Understanding”
Michael Stipe + Big Red Machine – “No Time For Love Like Now”
Jarv Is – “Save the Whale”
Àiyé – “Pulmão”
Jair Naves – “Irrompe (é quase um milagre que você exista)”
Gang of Four – “Forever Starts Now”
Flaming Lips – “Flowers of Neptune 6”
Tika + Kika + João Leão + Igor Caracas – “Astronauta”
Zé Manoel – “História Antiga”
Cat Power – “Toop Toop (A Tribute to Zdar)”
Mano Mago – “Estrelas Mortas”
Angel Olsen – “New Love Cassette (Mark Ronson Remix)”
Chromeo – “6 Feet Away”
Poolside -“Around The Sun (Body Music Remix)”
Kassin – “Relax (DJ Memê Remix)”
Guilherme Held + Letieres Leite – “Sorongo”
Hatchie + The Pains of Being Pure at Heart – “Sometimes Always”
Elvis Costello – “No Flag”
Bob Mould – “American Crisis”
Black Pantera – “I Can’t Breathe”
Stooges – “T.V. Eye (Radio Edit)”

Kassin ♥ Meme

kassin2020

Em mais um remix feito para seu disco mais recente, o produtor Alexandre Kassin convida o lendário DJ Meme, compadre de Lulu Santos, para reler a faixa-título do álbum, “Relax”, que o DJ carioca invoca o mitológico Lincoln Olivetti, ídolo e mestre de Kassin, para reler a faixa do amigo.

Relix é o infame nome deste disco, que já mostrou uma colaboração com os Boogarins, e ainda terá remixes do produtor Nave, de Marcelinho da Lua, entre outros – veja a relação abaixo.

“Relax (Tom Excell Remix)”
“Seria o Donut? (Sonho Americano Remix)”
“Sua Sugestão (Denitia Remix)”
“Relax (DJ Meme Remix)”
“Digerido (Ico dos Anjos Remix)”
“Relax (Will Love Remix)”
“Coisinha Estúpida (c/ Clarice Falcão) (Comma21 Remix)”
“O Anestesista (Tom Excell Remix)”
“Momento de Clareza (Kassin Edit)”
“Relax (Balaco Remix)”
“Relax (Tranquilo Soundz Remix)”
“Momento de Clareza (Nave Remix)”

O disco será lançado em breve mas ainda não tem data de lançamento definida.

Vida Fodona #622: Astral tranquilo

vf622

Domingo de sol.

Tame Impala – “Breath Deeper”
La Roux – “Automatic Driver”
Letrux – “Saúde”
Billie Eilish – “All the Good Girls Go to Hell”
Scott Walker – “The Old Man’s Back Again (Dedicated to the Neo-Stalinist Regime)”
Otto – “Soprei”
Kassin + 2 – “Tranquilo”
Jupiter Apple – “Welcome to the Shade”
Stereolab – “Spark Plug”
Chico Science + Nação Zumbi – “O Encontro de Isaac Asimov com Santos Dumont no Céu”
Spoon – “My Little Japanese Cigarette Case”
Holy Ghost – “Wait and See”
Fellini – “Chico Buarque Song”
Memory Tapes – “Green Light”
Céu – “A Nave Vai”
Rihanna – “James Joint”
Cure – “Meathook”
Red Hot Chili Peppers – “Apache Rose Peacock”

Vida Fodona #618: Preferiu pular o carnaval

vf618

2020 de fato.

Kiko Dinucci – “Rastilho”
Rihanna – “Consideration”
Bruno Schiavo – “Califórnia”
Luedji Luna – “Extra”
Spoon – “Pink Up”
Radiohead – “Present Tense”
Led Zeppelin – “Ten Years Gone”
Raul Seixas – “Paranóia”
Mundo Livre S/A – “Batedores (Resistindo ao Arrastão Global)”
Queen – “Killer Queen”
Paul McCartney – “Every Night”
Kassin + 2 – “Esquecido”
Meters – “Chicken Strut”
Stereolab – “Spark Plug”
Duran Duran – “Save a Prayer”

Kassin x Boogarins

kassin-relix

Dois anos depois de lançar seu ótimo Relax, o produtor carioca Kassin lança a versão remix deste disco – com o infame título de Relix – e reúne refações das faixas do álbum assinadas por nomes como DJ Memê, a norte-americana Denitia e o britânico Tom Excell, além dos goianos Boogarins, cuja remistura pode ser ouvida em primeira mão abaixo.

Rei Sem Coroa – Repertório Inexplorado de João Gilberto

reisemcoroa-ccsp

Parte do repertório dos shows de João Gilberto nunca foi gravada – canções que ouvia no rádio quando ainda morava na Bahia, que não chegou a registrar em disco e que eram lapidadas, lentamente, em seus shows pelo mundo. O espetáculo Rei Sem Coroa, idealizado por Paulo Carvalho e Kassin com as presenças das cantoras Nina Becker e Mãeana, estreia neste sábado no Centro Cultural São Paulo, às 19h, e traz justamente este repertório inexplorado do maior nome da nossa música (mais informações aqui).

CCSP: Setembro de 2019

ccsp-musica-setembro-2019

Que tal os shows de setembro de 2019 no Centro Cultural São Paulo?

4/9) Apeles + Bernardo Bauer – Eduardo Praça (Ludovic, Quarto Negro) apresenta o novo álbum de sua nova banda, com abertura do cantor e compositor mineiro, na sala Jardel Filho, às 21h.
5/9) Danilo Penteado + Guilherme Kafé + Igor Caracas – Três multiinstrumentistas, cantores e compositores apresentam seus respectivos discos de estreia, com cada dois deles sempre funcionando como banda de apoio, de quem estiver mostrando suas canções, às 21h.
8/9) O Som Nosso de Cada Dia – O clássico grupo de rock progressivo completa 45 anos de atividade lançando disco inédito, Mais um Dia, às 18h.
12/9) Selvagens à Procura de Lei – O grupo cearense comemora 10 anos de atividade começando a mostrar canções de seu próximo álbum, Paraíso Portátil, às 21h.
14/9) Rei Sem Coroa – Espetáculo concebido por Paulo Carvalho e Kassin, vasculha o repertório que João Gilberto tocava nos shows mas nunca registrou em disco. Nina Becker, Mãeana e Pedro Sá completam o time desta apresetanção, às 19h.
15/9) Thiago Pethit – O cantor e compositor paulistano apresenta pela segunda vez o show de seu novo álbum, Mal dos Trópicos, às 18h,
19/9) Juliana Perdigão – A cantora, compositora e musicista mineira apresenta as canções de seu disco mais recente, Folhuda, às 21h.
26/9) Saskia – A MC e produtora gaúcha lança seu disco de estreia, Pq, às 21h, num show gratuito.
28/9) Firefriend + Anvil FX – As duas bandas paulistanas misturam seus universos indie e eletrônico numa mesma apresentaççao, às 19h.
29/9) Gang 90 – O grupo celebra os 35 anos da passagem de seu fundador Júlio Barroso no show A Nossa Onda de Amor Não Há Quem Corte, às 18h.

Vida Fodona #585: O velho drama do programa

vf585

Pra não perder tempo.

Boogarins – “Sombra ou Dúvida”
Marcos Valle – “Os Ossos do Barão”
Sophie Chablau + Uma Enorme Perda de Tempo – “Idas e Vindas do Amor”
Stephen Malkmus + The Jicks – “Real Emotional Trash”
Lupe de Lupe – “Álamo”
Billie Eilish – “You Should See me in a Crown”
Maria Beraldo – “Tenso”
Kassin – “Seria o Donut”
Giovani Cidreira – “Pode Me Odiar”
Don L + Diomedes Chinaski – “Eu Não Te Amo”
Frank Ocean + Beyoncé – “Pink + White”
Beastie Boys – “Suco de Tangerina”
Nação Zumbi – “Futura”
Lambchop – “Up With People”
Pretenders – “Brass in Pocket”

Vida Fodona #581: As 75 melhores músicas de 2018

vf581

Quase cinco horas no ano passado.

Jorja Smith – “The One”
Duda Beat – “Bixinho”
Raffa Moreira – “Bro”
Liniker – “Lava”
Nação Zumbi + BaianaSystem – “Alfazema”
Brockhampton – “San Marcos”
Sara Não Tem Nome – “Cidadão de Bens”
Norah Jones + Jeff Tweedy – “Wintertime”
Lady Gaga – “Always Remember Us This Way”
Bonifrate – “Alfa Crucis”
Jpegmafia – “Macaulay Culkin”
Elza Soares + Edgar – “Exu nas Escolas”
Ava Rocha – “Joana Dark”
Orchestra Santa Massa – “A Casta”
MC Carol + Heavy Baile – “Marielle Franco (Desabafo)”
Pabllo Vittar – “Problema Seu”
Guizado + Negro Leo + Andrea Merkel – “Modern Fears”
David Byrne – “I Dance Like This”
Gorillaz + George Benson – “Humility”
Brisa Flow – “Grillz”
Emicida – “Inácio da Catingueira”
Stephen Malkmus + Kim Gordon – “Refute”
Childish Gambino – “This is America”
Criolo – “Boca de Lobo”
Baco Exu do Blues + Tuyo – “Flamingos”
Billie Eilish – “You Should See Me in a Crown”
Courtney Barnett – “Need a Little Time”
Rincon Sapiência – “Placo”
Saulo Duarte – “Avante Delírio”
Baggios + Céu – “Bem-Te-Vi”
Kassin – “Relax”
BK’ – “Porcentos”
Malu Maria – “Diamantes na Pista”
Ariana Grande – “Thank U, Next”
Lupe de Lupe – “Midas”
FBC – “Contradições”
MC Loma e as Gêmeas Lacração – “Envolvimento”
Cat Power + Lana Del Rey – “Woman”
Teto Preto – “Pedra Preta”
Nicki Minaj – “Barbie Dreams”
Drake – “Nice for What”
Cardi B + Bad Bunny + J Balvin- “I Like It”
Sophie – “Immaterial”
Caroline Rose – “Jeannie Becomes a Mom”
Juliano Gauche – “Pedaço de Mim”
Maria Beraldo- “Da Menor Importância”
Brockhampton – “New Orleans”
Ventre – “Pulmão/Alfinete”
Elza Soares – “Banho”
Luiza Lian – “Iarinhas”
Gilberto Gil – “Quatro Pedacinhos”
Janelle Monáe – “Make Me Feel”
Disclosure – “Moonlight”
Rosalía – “Malamente (Cap.1: Augurio)”
The Carters – “Apeshit”
Lana Del Rey – “Venice Bitch”
Yma – “Par de Olhos”
Gilberto Gil + Yamandu Costa – “Yamandu”
Jay Rock + Kendrick Lamar + Future + James Blake – “King’s Dead”
Kali Uchis – “Miami”
Arctic Monkeys – “One Point Perspective”
The Internet – “Come Over”
Arctic Monkeys – “Four Out of Five”
Courtney Barnett – “Crippling Self Doubt and a General Lack of Self Confidence”
Blood Orange – “Charcoal Baby”
Gilberto Gil – “Na Real”
Luiza Lian – “Azul Moderno”
Arctic Monkeys – “Star Treatment”
Ava Rocha – “Periférica”
Kali Uchis – “Just a Stranger”
Maurício Pereira – “Outono no Sudeste”
Gui Amabis – “Miopia”
The Carters – “Heard About Us”
Gilberto Gil – “Ok Ok Ok”
The Internet – “Roll (Burbank Funk)”