#YB20 no Auditório Ibirapuera

yb20

Seguimos as comemorações dos 20 anos da gravadora YBmusic com um grande espetáculo no Auditório Ibirapuera, com uma big band composta por músicos, compositores e intérpretes que lançaram, cada um deles, seus próprios trabalhos solo pelo selo paulistano: o trombonista Allan Abbadia, o cantor Bruno Morais, o tecladista Danilo Penteado, o guitarrista Guilherme Kafé, a cantora Lulina, o trumpetista Guizado, o cantor Samuca, o percussionista Igor Caracas, a cantora Juliana Perdigão, o clarinetista Luca Raele, a cantora Luedji Luna, o cantor Marco Mattoli, a cantora Natália Matos, o tecladista Dudu Tsuda, o percussionista Nereu Gargalo, o cantor Paulo Neto, o guitarrista Rodrigo Campos, o cantor Romulo Fróes e o rapper Zudizilla – multiinstrumentistas, intérpretes e compositores que ajudaram a construir, com suas sensibilidades, um legado que será exposto num repertório composto por canções que construíram estas duas décadas de trajetória. Maurício Tagliari, maestro e sócio do selo, que estará no palco conduzindo este time, me convidou para assinar a direção artística desta apresentação, que acontece nesta sexta-feira, às 21h, no Auditório Ibirapuera (mais informações aqui).

Magnolia Orquestra no CCSP

magnolia-orquestra

Resgatando clássicos da era de ouro do rádio brasileiro de autores como Ary Barroso, Nelson Cavaquinho, Adelino Moreira e Ataulfo Alves, a banda Magnolia Orquestra, que conta com nomes como Bruno Morais, Tika, Pipo Pegoraro, Igor Caracas, Fábio Sá e integrantes da Nomade Orquestra, apresenta-se neste domingo, a partir das 18h, no CCSP (mais informações aqui).

CCSP: Fevereiro de 2019

ccsp-fevereiro-2019

A programação de fevereiro no Centro Cultural São Paulo está quente! Dá uma sacada:

2, às 19h – Young Lights + Oceania, duas bandas indies da nova cena mineira
3, às 18h – Phill Veras, lançando seu disco Alma
7, às 21h – Saulo Duarte, lançando seu disco Avante Delírio
9, às 19h – Hurtmold com o músico Panda Gianfratti e abertura de Philip Somervell
10, às 18h – Magnolia Orquestra, com Bruno Morais e Tika, cantando músicas dos anos 40 e 50
14, às 21h – Síntese e Lucio Maia, juntos no mesmo show
16, às 19h – Maurício Pereira, lançando seu disco Outono no Sudeste
17, às 18h – Mãeana, direto do Rio de Janeiro
21, às 21h – Ava Rocha, lança seu disco Trança com a participação de Tulipa e Gustavo Ruiz
23, às 19h – Karnak apresenta a ópera-rock Nicodemus
24, às 18h – Forgotten Boys, fazendo uma retrospectiva em sua carreira
28, às 21h – Holger e Raça, bandas paulistanas com novos trabalhos

Mais informações lá no site do Centro Cultural São Paulo

Bruno Morais vem chegando…

brunomorais-zemanoel

Quem conhece o trabalho do cantor Bruno Morais sabe que ele não tem pressa para lançar seus discos. O sucessor de seu A Vontade Superstar, de 2012, vem sendo burilado desde então – composto, arranjado, gravado -, tudo na santa paciência que sempre permeou seu trabalho – e agora começa a vir a público. Depois de duas apresentações fechadas para amigos, ele abre para o público o começo de seu novo álbum, que será lançado apenas no ano que vem, em uma série de pequenos shows em que chama convidados para acompanhá-lo ao mostrar as novas canções. A série A Beleza é um Calor começa neste domingo, quando o cantor recebe o músico e compositor Zé Manoel para dividir esta tarefa. “Estou há três anos trabalhando nesse disco e muito feliz por estar na reta final”, me explica Bruno. “Foi um processo que envolveu gente do mundo todo, mas é tudo mistério ainda. O show A Beleza é um Calor revela as canções, mas não revela a sonoridade do disco. É um devir. Esse show já foi apresentado em outros lugares, mas não com o Zé Manoel, ou seja, cada show é único e as entradas servem para financiar o disco. Quem comprar o ingresso, ganhará o CD”. O show também contará com as participações do guitarrista Marcelo Sanches, do baixista Fábio Sá e do técnico Caio Alarcon disparando efeitos e fazendo dub ao vivo e acontece neste domingo, no Pátio Cultural, no Sumaré (mais informações aqui). Bruno e Zé gravaram um vídeo chamando todos para o pequeno show.

O dia em que Bruno Morais foi pego de surpresa

brunomorais

“Foi uma abalroação louca!”, ri Bruno Morais, ao lembrar do dia 6 de julho deste ano, quando descobriu, ao mesmo tempo, que a respeitada revista norte-americana Wax Poetics (bíblia dos colecionadores de disco) havia feito uma matéria sobre seu projeto de compactos que começou a lançar logo após trabalhar seu segundo álbum, A Vontade Superstar, entre 2010 e 2015 e que uma das músicas do disco de 2009, “Há de Ventar”, estava na trilha sonora de uma novela da Globo – e isso tudo quando ele estava entrando na reta final da gravação de seu novo disco.

“Eu tinha essa sensanção de que, mesmo que a contagotas, o Vontade Superstar havia realizado seu potencial quase que completamente, e os compactos também”, me explicou por email. “Estava vivendo minha vida massa, feliz e me preparando para a segunda etapa de gravações do meu proximo disco conforme eu havia planejado: álbum – compactos – álbum… Quando de repente, dia 6 de julho – devia ter jogado na mega-sena! – veio a notícia de que a Wax Poetics havia publicado em sua versão online uma segunda review sobre o meu trabalho e dessa vez sobre os compactos e um big artigo! A Wax Poetics é minha revista favorita, coleciono há anos, sempre fui um colecionador de discos antes de mais nada e o trampo de pesquisa deles sempre me interessou muito, então foi uma honra ter o meu trabalho revisitado e super comentado por eles.”

“Alguns dias antes havia sido avisado de que ‘Há de Ventar’ estava na novela”, continua. “Sou noveleiro , já estava seguindo e continuei, pensei que ia tocar uns segundinhos e PAM: tocou praticamente inteira, num episódio catarse e emendou na abertura! E melhor, a audiência começou a reagir super bem e rapidamente entrou para o top 20 de músicas mais procuradas no Shazam no Brasil. E é uma música quase prog, tem quase sete minutos e foi descoberta pelo produtor musical da novela sem intermédio nenhum. Isso tudo, da música mais experimental do álbum se revelar um hit em potencial e o big artigo na Wax, deram uma vitaminada no processo de gravação, uma respaldada, entrei no estúdio com uma vontade ainda maior de fazer, sem medo de experimentar tudo, e essa energia fez com que as sessões de gravação até aqui tivessem uma sabor muito especial, raro, único.”

Bruno também preparou uma versão editada da música e publicou o clipe que dá pra ver aí embaixo, numa versão “Radio Edit”. Pergunto sobre a sensação de ser descoberto por um público completamente diferente do que ele já tinha e, principalmente, bem mais jovem, usando trechos da música como hashtags no Twitter ou fazendo colagens online com fotos e versos da canção. “É uma delicia né? Uma galera muito sincera, descobrindo a vida. Fiquei pensando em como é bonito ver a sua obra sendo devorada, usada, ver as pessoas se apropriando do seu trabalho. É pra isso que serve a música, né? Pra invadir a vida das pessoas, para elas chamarem de sua como eu mesmo sempre faço com as minhas canções favoritas. Fiquei com vontade de ouvir junto com elas, havia um tempo que não ouvia essa gravação e então nasceu o clipe dirigido pela Daniela Cucchiarelli, onde eu ouço a música com o espectador. Fico maravilhado, essa geração que vem por aí é muito livre, tem um acesso e poder de escolha muito maior, então quando eles gostam é muito de verdade.”

Sobre o disco novo, ele já está na reta final. “Está sensacional, cada passo que a gente dá é um salto, uma surpresa. Comecei a gravar em abril do ano passado mas já estava levantando o repertório desde dezembro de 2013. Muitos artistas incríveis participando, com certeza é o processo de gravação mais fluído que já vivi até agora. As bases já estão todas gravadas. Gravei 21 bases, escolhi 14 e estamos gravando todos os arranjos de cobertura (Sopros, Synths, Backins, cordas) e vai ser assim até novembro, depois edit e mixamos com o Gran master Victor Rice em fevereiro.” Vamos aguardar.

Como foi a ANALÓGICODIGITAL dos 17 anos do Trabalho Sujo

Quem foi, sabe como foi foda. Eu, Babee, Pattoli e Danilo usamos os 17 anos do Trabalho Sujo como desculpa para executar um velho plano – tocar toda a história da música pop em ordem cronológica desde o aparecimento do rock’n’roll, em 1955. Não precisou nem entrar nos anos 60 para engatarmos uma noite incrível, superlotando a pistinha digital da Trackers numa madrugada antológica, que com certeza terá repeteco. Terminamos às sete da matina, com a Malg registrando o registro de um #CliMatias – as minhas fotos de previsão do tempo no Instagram.

O Dan tirou umas fotos que mostram como foi o sábado passado, sente só aí embaixo:

Continue

ANALÓGICODIGITAL: 17 ANOS DE TRABALHO SUJO

E quando você menos espera, do nada, pinta aquela festa clássica na Trackers em que o Trabalho Sujo e o Veneno Soundsystem juntam forças para criar uma dimensão paralela de delírio sensual arco-íris de prazer e muita acabação feliz.

Desta vez o motivo da festa são os dezessete anos do meio de comunicação de ALEXANDRE MATIAS, que segura a pista digital com uma proposta épica: contar a história da música pop desde a metade do século passado até novembro de 2012 em ordem cronológica. Para isso, ele convocou os novos residentes das Noites Trabalho Sujo BABEE LEAL, LUIZ PATTOLI e DANILO CABRAL para essa maratona histórica. Quem viver, verá!

Do lado analógico, o trio MAURÍCIO FLEURY, RONALDO EVANGELISTA e PEBA TROPIKAL – bastiões dos grooves em vinil desde antes da volta do vinil virar moda – tem dupla participação especial. Pra começar, paulistano radicado em Belim GARRINCHA, especializado no suíngue tropical, traz suas bolachas pra mostrar pra gente como é que ele defende a bossa brasileira na Europa. E o crooner BRUNO MORAIS mostra sua coleção de discos num set cheio de manha.

Um sábado com tudo para ser ÉPICO!

ANALÓGICODIGITAL
SÁBADO 10 DE NOVEMBRO DE 2012
VENENO + TRABALHO SUJO (17 anos)
No som os DJs: Maurício Fleury, Ronaldo Evangelista, Peba Tropikal, Bruno Morais, Garrincha, Alexandre Matias, Luiz Pattoli, Danilo Cabral e Babee Leal.
Trackertower – Rua Dom José de Barros 337, esquina com av. São João
$25 (lista: baile@venenosoundsystem.com – só entra com nome na lista!)

Trabalho Sujo, 17 anos

O aniversário é no fim do mês, mas a comemoração vai ser nesse sábado. Preparem-se.

1972: um outro 1967

A rapeize do Radiola Urbana está lançando um projeto no mês que vem que joga luz sobre o annus mirabilis de 1972, um ano tão importante quanto 1967 quando o assunto é lançamento de discos clássicos. E assim, a partir do dia 12 de maio (quando o projeto Radiola Urbana 1972 estreia com o Bruno Morais cantando Sonhos e Memórias, do Erasmo Carlos), o site realiza uma série de shows sempre no segundo sábado do mês até o outubro, no Centro Cultural da Juventude, na Vila Nova Cachoerinha, sempre de graça. Além do Erasmo via Bruno, ainda haverá shows com Romulo Fróes tocando o Transa, Rodrigo Campos refazendo o Superfly, de Curtis Mayfield, e os Rockers Control junto com o Curumin fazendo a trilha sonora de The Harder They Come, além de uma série de programas sobre a importância do ano que batiza o festival. Mais informações na Radiola mesmo.

Vida Fodona #310: As 75 melhores músicas de 2011

Cinco horas de Vida Fodona pra terminar 2011 – em contagem regressiva até a melhor música do ano.

Banda Uó – “O Gosto Amargo do Perfume”
Britney Spears – “Till The World Ends”
Leandro Correa – “One More Avassalador”
Peter Bjorn & John – “Second Chance”
Mitzi – “All I Heard”
Streets – “Trust Me”
Lykke Li – “Youth Knows No Pain”
Blubell + Bruno Morais – “Triz”
Thurston Moore – “Benediction”
Computer Magic – “The End of Time”
Bo$$ in Drama – “Disco Karma”
Kassin – “Quando Você Está Sambando”
Young Galaxy – “We Have Everything”
Work Drugs – “Rolling in the Deep”
Criolo – “Samba Sambei”
Justice – “Audio Video Disco”
AM + Shawn Lee – “Somebody Like You”
Gang Gang Dance – “MindKilla”
Wilco – “Speak Into the Rose”
Domenico Lancelotti – “Cine Privê”
Vetiver – “Can’t You Tell”
Céu + Tulipa + Gui Amabis + Curumin – “Sal e Amor”
Beth Ditto + Simian Mobile Disco – “Open Heart Surgery”
Girls – “Love Like a River”
Cícero – “Pelo Interfone”
Marcelo Camelo + Hurtmold – “Acostumar”
Washed Out – “Eyes Be Closed”
Twin Sister – “Bad Street”
Bonifrate – “Antena a Mirar o Coração de Júpiter”
Weeknd – “What You Need”
SebastiAn + Mayer Hawthorne – “Love in Motion”
Starfucker – “Born”
SBTRKT – “Wildfire”
Foster the People – “Don’t Stop (Color on the Walls)”
Radiohead – “Separator”
Tom Vek – “World of Doubt”
Silva – “Imergir”
Foster the People – “Call It What You Want”
Letuce – “Insoniazinha”
Lana Del Rey – “Kinda Outta Luck”
Shawn Lee’s Ping Pong Orchestra + Curumin – “Não Vacila”
Pickwick – “Blackout”
Karina Buhr – “Cara Palavra”
M83 – “Midnight City”
Chet Faker – “No Diggity”
Junior Boys – “Banana Ripple”
Fabio Góes – “Amor na Lanterna”
Circo Motel – “Sunshine”
Holy Ghost – “Do It Again”
VHS or Beta – “I Found a Reason”
Washed Out – “Echoes”
Breakbot + Ruckazoid – “Fantasy”
Architecture in Helsinki – “Contact High”
Rapture – “How Deep is Your Love?”
Memory Tapes – “Wait in the Dark”
Bonifrate – “A Farsa do Futuro Enquanto Agora”
Foster the People – “Pumped Up Kicks”
Modeselektor + Thom Yorke – “Shipwreck”
Is Tropical – “The Greeks”
Cut Copy – “Take Me Over”
Rapture – “Never Die Again”
Neon Indian – “Polish Girl”
Gorillaz – “Empire Ants (Miami Horror Remix)”
Dorgas – “Loxhanxha”
Destroyer – “Kaputt”
Girls – “Vomit”
Lana Del Rey – “Video Games”
Holy Ghost – “Wait & See”
Washed Out – “Amor Fati”
Metronomy – “The Look”
Toro Y Moi – “I Can Get Love”
Mayer Hawthorne – “A Long Time”
Metronomy – “The Bay”
Maroon 5 + Christina Aguillera – “Moves Like Jagger”
Rocket Juice & the Moon – “Poison”

E até 2012.