O que acontece no final de A Piada Mortal, a melhor história do Batman, do Alan Moore

, por Alexandre Matias

Desculpa, mas se até hoje você não leu A Piada Mortal, do Alan Moore, pare o que está fazendo e dê um jeito de lê-la. Tudo que vem abaixo da imagem é spoiler, óbvio:

piada-mortal-ultima

A graphic novel foi a curta mas ousada primeira vez de Alan Moore nas rédeas de uma história do Cavaleiro das Trevas. Moore, no meio dos anos 80, já era considerado um dos grandes novos talentos dos quadrinhos daquela década, abandonando a ficção científica distópica na Inglaterra (já havia escrito V de Vingança) para escrever roteiros para super-heróis na DC, nos EUA. Seu primeiro feito foi transformar um herói da terceira divisão – o Monstro do Pântano, criado por Len Wein, o editor que o contratou – em uma das maiores sagas poéticas da história dos quadrinhos, ressuscitando personagens esquecidos da editora numa história de horror sobrenatural de tirar o fôlego (e deixar John Constantine como legado póstumo). Logo em seguida criou a série Watchmen, que fez críticos de literatura começarem a dar atenção àquelas revistinhas coloridas. Quando pôs as mãos sobre Batman, em 1988, havia uma inevitável expectativa por um épico.

Mas em vez disso, Moore optou por uma graphic novel curta centrada no maior vilão do homem-morcego, o Coringa. Não apenas aprofundou-se na natureza de sua insanidade – chegando ao extremo de aleijar Barbara Gordon (aposentando, por tabela, a Batgirl) e mostrar as fotos ao pai da garota, o Comissário Gordon -, como resolveu versar sobre a origem do vilão. O traço de Brian Bolland faz jus à importância que Moore dá à sua versão da história e imortaliza o Coringa de rosto magro e sorriso largo, olhos vivos e corpo comprido como o biotipo arquetípico do personagem.

A história termina com uma briga feia entre o super-herói e o supervilão – quando o Coringa saca uma arma que, ao ser disparada, revela apenas uma bandeira estampada com uma onomatopéia. Cansado, ele diz que aquela situação o lembra de uma piada:

“See, there were these two guys in a lunatic asylum… and one night, one night they decide they don’t like living in an asylum any more. They decide they’re going to escape! So, like, they get up onto the roof, and there, just across the narrow gap, they see the rooftops of the town, stretching away in the moonlight… Now, the first guy, he jumps right across with no problem. But his friend, his friend daredn’t make the leap. Y’see… y’see, he’s afraid of falling. So then, the first guy has an idea…He says “Hey! I have my flashlight with me! I’ll shine it across the gap between the buildings. You can walk along the beam and join me!” B-but the second guy just shakes his head. He suh-says… He says “wh-what do you think I am? CRAZY? You’d turn it off when I was half way across!” Ha Ha Ha Ha Ha! Ha Ha Ha Ha Ha Ha Haa… Fnff oh, do excuse me…Ha Ha Ha Ha Ha!”

Batman não resiste ao ridículo daquela situação e, na chuva, começa a rir. Esta é a última página da história.

piada-mortal-ultima-pagina

Os dois caem na gargalhada, identificando-se com os dois doidos da piada contada pelo Coringa. No penúltimo quadrinho não há mais nenhuma risada nem o som da sirene da polícia, que começa a crescer à medida em que avançamos o olhar pela última página. Uma luz se apaga e, no final, fica apenas a chuva caindo no asfalto. Um final ambíguo, que Alan Moore reforça para não ter “The End” e nenhuma outra sinalização que a história acabou (como dá pra ver pelo roteiro disponibilizado pelo tumblr The Adventures of Mr. Phil):

The-Killing-Joke-Script-Page

O final em aberto, silencioso, foi, por muito tempo, elogiado como sendo um dos grandes trunfos da história, que unia Batman e o Coringa através da loucura. Mas eis que na o Grant Morrison chega na semana passada numa entrevista ao Kevin Smith e tasca que “é óbvio que Batman mata o Coringa” no final de A Piada Mortal. Quê?

Sim, daí ser “a piada mortal”. Morrison diz que este é o motivo do silêncio nos últimos quadrinhos, que Batman teria quebrado o pescoço do Coringa enquanto a polícia chega. Julian Darius, autor de And the Universe so Big: Understanding Batman: The Killing Joke, um livro sobre a história de Moore sobre o Batman, concorda com ele, à exceção da forma como Batman mata seu arquiinimigo. E diz que há diversas pistas no decorrer da história que nos levam a crer não só que a história termina com o assassinato do palhaço como também sobre a forma como Batman mata o Coringa.

Se voltarmos ao roteiro de Moore, Batman começa a rir logo após perceber que “ele e o Coringa irão acabar se matando algum dia”, única referência à morte no roteiro original. Mas o assassinato do Coringa faria sentido numa história que mostra como o vilão foi criado. E não custa lembrar que, no penúltimo quadrinho, a luz que reflete na poça d’água apaga-se como o facho da lanterna que, na piada contada pelo Coringa, ajudaria o segundo doido a fugir do hospício. O primeiro (Batman), que já conseguiu fugir, apaga a luz. E o segundo, o Coringa, morre.

Mas como disse um comentarista no blog do Ramon, resta saber se alguém entrevistará Alan Moore sobre esta história.

Tags: , , ,

15 thoughts on “O que acontece no final de A Piada Mortal, a melhor história do Batman, do Alan Moore

  1. Pra mim, “The Dark Knight Returns” do Frank Miller ainda é insuperável.

  2. Paulo Rená disse:

    Minha cabeça agora fez PUUFFFF!!!

  3. Daniel Araujo disse:

    Pra mim, essa história só mostra mais uma vez que o Grant Morrison é obcecado pelo Alan Moore e não consegue mudar de assunto.

    Se forem entrevistar o Alan Moore, ele vai mandar aquela que ele sempre manda: “Eles ficam revirando as coisas que eu fiz há 30 anos como guaxinins no lixo.”

  4. Ricardo disse:

    Tava rolando essa discussão no Omelete e um cara chamado X_Cifra deixou um comentário que me pareceu mais que razoável pra resolver essa questão: “Para quem é antigo nos quadrinhos, percebe que a polemica é totalmente infundada. A historia é parte da cronologia regular do Batmam, e portanto, a morte do Coringa nesta edição o excluiria do universo, pelo menos até uma ressurreição, que sabemos, nunca aconteceu. Prova disso? Barbara Gordon, a Batgril, leva um tiro do coringa que afeta sua coluna e a deixa paraplégica na mencionada revista, logo depois, na cronologia regular, ela aparece na cadeira de rodas assumindo a identidade de Oraculo, e em alguns diálogos deixa claro que foi o Coringa que deu o tiro, portanto, a Piada Mortal faz parte da cronologia regular, e o Coringa não morre.” Então tá.

  5. George disse:

    A reflexão e interpretação de Grant Morrison sobre “A piada mortal”, é convincente, só que o fato do Coringa continuar vivo ainda no Universo DC é algo que realmente nos leva a crer que essa interpretação pode até que ser um tanto equivocada, mas pode ser também que mesmo a DC tendo achado a historia boa o suficiente para participar da cronologia das historias do Batman, ela não deve ter achado uma boa tirar o Coringa de cena, e deve ter aproveitado o fato de que poucos tinham feito a interpretação correta da historia e decidiu continuar com o Coringa intacto apenas integrando o fato da Batgirl Barbara Gordon ter ficado paraplégica. Mas essa é só minha opinião, e acho que na verdade essa historia só pode ser esclarecida pelo próprio Alan Moore.

  6. William disse:

    Pelo amor de Deus, isso era óbvio

  7. Evandro disse:

    Óbvio que o Batman mata o Coringa no final…….

  8. Rafael disse:

    Olha só, eu não acredito q Batman tenha matado o coringa, pois depois da história o Batman continua com
    o nome de que não matou ninguém, e também as histórias com o coringa continuam.
    Pode até ser a mesma coisa do Dragon Ball GT, vc que escolhe o final, mas continuo com minha opinião q Batman não matou o coringa.

  9. EU MESMO disse:

    O ÚNICO QUE TEVE CORAGEM DE MATAR O FDP DO CORINGA O SUPERMAN E FIM DE PAPO, BATMAN SEMPRE SEMPRE VAI FICAR NESSE NAMORICO COM CORINGA

  10. Senhor Gib's disse:

    Tbm não acredito que o coringa tenha morrido pois a dc da a continuação com ele na cronologia

    1. Gabriel disse:

      Ue e a história de vários coringas

  11. Eu disse:

    O Batman pode ter matado o coringa, e como recentemente se descobriu que existem outros coringa, tudo parece plausível…

  12. Paulo disse:

    E se o Batman foi morto pelo Coringa?

  13. A. Jorge disse:

    Batman mata o Coringa. Isso está bem evidente ali. Passou despercebido porque aquilo foi obra de gênios. Bolland foi mais genial que o Moore ao deixar esse fato registrado logo após o palhaço ter contado a sua última piada.
    O Coringa foi morto pelo Batman no final de A Piada Mortal, mesmo que a DC, os leitores ou o próprio Alan Moore digam que não – coisa que, por si só, já representaria uma piada. E seria a crença nessa mentira (de que o Coringa não morreu) a piada de que devemos rir

Comentários fechados.