Design

Depois do poster do Teenage (que ele imprimiu pra mim, vou por na parede), o Jairo me veio agora com esse setlist da apresentação do Superchunk em Sorocaba. Um dia a gente vai ler resenha de show assim.

Uma viagem do designer inglês Aled Lewis. Todas as montagens podem ser vistas em seu Flickr.

Areias do tempo

Uma camiseta fodaça com estampa do Aled Lewis.

Antes do show tava assim:

Depois ficou assim:

veio o Jairo e deu um trato (além de incluir “Neil Jung”, que não estava prevista):

Curtiu? Dá pra baixar o PDF do poster aqui. E segundo o Jairo, isso é o início de um projeto – outros virão. Aguardemos.

Da pergunta sobre como ilustrar uma notícia importante quase uma semana depois de ela ter acontecido, essa bela caixa do Skype, à la Microsoft, ilustra a página 3 do Link de hoje. A transformação da idéia em imagem ficou a cargo do Asta, que entrou na onda com sua habitual tiração de onda.

E se os anos que aconteceram entre 614 e 911 d.C. nunca tivessem acontecido? E se alguém se confundiu, se historiadores interpretaram errado documentos e datas ou picaretas se aproveitaram das alterações do calendário para que a história avançasse alguns anos sem que ninguém percebesse? Estaríamos em 1713, e não em 2011? A Hipótese do Tempo Fantasma é uma das conspirações mais divertidas que existem, e só o fato de ela ter sido cogitada já é motivo para comemorar sua existência. Acreditar nela são outros 500 (ou 200. Ou 800), mas ela como ficção é um livro do Dan Brown esperando para ser filmado. Enquanto isso não acontece, temos o designer austríaco Michæl Paukner para nos fazer refletir graficamente sobre o tema:

A teoria original(íssima) Did the Early Middle Ages Really Exist? é do alemão Hans-Ulrich Niemitz, que a escreveu em 1995 e a revisou em anos seguintes. O PDF do documento Did the Early Middle Ages Really Exist? em inglês pode ser lido neste link.

E o designer oficial do Radiohead, Stanley Donwood abriu o pacote com a edição completa do King of Limbs para a Creative Review.

“In Rainbows was a great big, solid cardboard thing, if you were determined you could probably kill somebody with it, it was very heavy, and almost like a definitive statement,” he explains. By contrast, Donwood and the band wanted the King of Limbs artwork to express something less conclusive. “It’s not like the news stops when a newspaper comes out,” he continues. “It’s just ‘this is what’s happening today’. So this is released into the world on this day, and this is where this band are right now… it is a continuing thing.”

Tem até LSD!

…um filme de ação?

…uma animação?

…um pornô?

…um curta?

…ou um de terror?

Esses infográficos fazem parte de uma campanha publicitária do Canal + francês. Via Ads of the World.

Toda a criatividade dos designers de cartazes de filmes norte-americanos.

Via Untied Shoes.

4:20