Vinteonze: O fim está próximo

Possivelmente o antepenúltimo Vinteonze de todos, falamos sobre uma galera que para no meio, sobre não pagar direito autoral, o fato de que tudo ainda é só ensaio, como aquela lua com a nave no olho, um dos primeiros caras que se liga na arte, o outro voluntariamente internado, um Vinteonze favorito, mudanças sérias, o fato de poder ser uma gravadora, um disco meio dolorido, sem câmera, sobre atuar ou servir café, uma relação particular, sobre deixar pra ler depois e ninguém sair do personagem nunca, os cinco caras que ouvem até o fim, filmes e discos derretidos pra fazer salto alto, sobre uma época em que se escuta muito um determinado disco, clima de paranóia absurdista, apagar memória, uma homenagem ao cinema, a sua Cinecittá, filmar de qualquer lugar, mainstream x nicho – tudo isso ao som do disco de 76 do Zimbo Trio.


Ronaldo Evangelista & Alexandre Matias – “Vinteonze #0030“ (MP3)

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. YCK disse:

    Ouço inteiro.

  2. Duque disse:

    Sempre ouço inteiro também,a té porque o legal dos Anos Vinte é jsutamente isso, um assunto vai puxando o outro, e quando voces vão ver, o disco já acabou. hahaha

  3. PH disse:

    Pô, valeu o debate do Singin’ Alone e mega entendo a sensação do Loki?! ser mais “mal gravado” do q o Singin…
    Valeu tb o lance do Sinédoque, em especial o contraste com Brilho Eterno, muito louco, assim como o esquema do direto russo louco q tá montando a cidade dele… Enfim, mesmo ouvindo atrasado, curti pacas.

  4. Daniel Araujo disse:

    MAs que merda! Perdi esse! Baixando agora.

    Tem gente que não ouve o 20-11 inteiro? O COmentando Lost já ensinava que o mais massa desses podcasts do Trabalho Sujo é ouvi-los até o fim.

  5. fabio disse:

    qualé a reportagem do Synecdoche russo?