Vinteonze: Epitomizai-vos todos

A Banda Mais Bonita da Cidade e Belle & Sebastian, Y: The Last Man, Aldous Huxley, a Marcha da Maconha, bibliotecas e enciclopédias, Gaspard and Lisa, Anelis Assumpção, Paul Thomas Anderson e Darren Aronofsky, Gonçalves Dias, Bob Dylan, Belchior e Odair José, Senhor dos Anéis, Sylvia Plath para crianças, Cachalote, Robert Altman, psicodelia californiana e londrina, Fernando Catatau e o Pessoal do Ceará e até o Big Lebowski: tudo fica em segundo plano quando nós dois nos encontramos com a querida mãe dO Pintinho, Alexandra Moraes, que nos acompanha para um papo ao som do Wild Honey, dos Beach Boys, e do segundo disco do Baiano & Os Novos Caetanos, este escolhido por ela.

Ronaldo Evangelista & Alexandre Matias + Alexandra Moraes – “Vinteonze #0008 (MP3)

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. MAS JÁ! Ainda não acabei de ouvir o anterior!
    No episódio anterior, vocês falaram da abertura do “Era uma vez no Oeste” (Sergio Leone rules, by the way). Lembrei-me desta bela homenagem em quadrinhos ao filme –> http://tinyurl.com/3lp4um5

  2. – O filme dos Doces Bárbaros é sensacional! Gosto de uma entrevista com o policial que prendeu o Gil, quando ele descreve o pití que o Caetano deu quando a polícia chegou:”O elementos passou a se jogar no chão, emitir gritos agudos e impedir os policiais de entrar no quarto”. Vocês devem saber disso melhor que eu, mas dizem que aquela música “Sandra” do Gil é sobre os dias que ele ficou internado em Floripa depois de ser preso por porte de maconha. As cenas do filme parecem uma ilustração da música: o hospício, os laços de fita, etc.
    – “Pet Sounds”, “Smiley Smile”, “Wild Honey”… Beach Boys é foda demais.
    – Coitado do Cisne Negro… Não achei tão ruim quanto o Matias achou, na verdade achei bem bom. Curto quando um diretor chuta o balde e desencana do medo do ridículo, por exemplo como quando colocam a menina prá virar pássaro no meio da dança. Mas assistam “O Lutador”. Filmaço.
    – Legal essa história de convidado!