Vinteonze: Calma, calma, calma, CALMA!

Um ano mágico, um ritmo muito próprio, mil códigos assumidos, a impressão de estar vendo alguém jogar videogame, ultrafuturismo no século 19, um flerte com a música latina, uma situação de guerra num ambiente familiar, um revival da verdadeira época em que não se sabiam quais são os limites do mundo, algo não exatamente teen ou jovem adulto, um mashup muito improvável, o encontro de Locke com ele mesmo, um ensemble piece, a morte de Charlie Haper, aliens superficiais, o tempo inteiro ziguezague, ícone sobre ícone, várias sutilezas da linguagem dos quadrinhos, a baterista Zelda Fitzgerald, o retrato de um público que muda de opinião muito facilmente, uma caricatura do conceito de super-herói, referências de várias culturas, o fato do antagonista ser de ficção científica, um McGuffin e foda-se. Tudo isso ao som do primeiro disco do Quinteto Violado – e, ao contrário do que prometemos, não comentamos os comentários. Mas comentaremos. Continuem comentando.


Ronaldo Evangelista & Alexandre Matias – “Vinteonze #0021“ (MP3)

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Ramon Moreira disse:

    Faltou citar A Tábua de Esmeralda do Jorge Ben.
    Parabens a voces pelo 20-11.

  2. Daniel Araujo disse:

    MAS JÁ

    ainda não acabei de ouvir o anterior.

  3. Daniel Araujo disse:

    Comentando antes de ouvir…
    Achei essa capa de disco SENSACIONAL e fui atrás de quem fez, porque a ilustra não parecia de nenhum artista brasileiro. Aí descobri que não era mesmo: era do Roger Dean, o cara das capas do YES. Olha o rolo que tem por trás dessa capa:

    http://apologo11.blogspot.com/2009/04/o-polemico-caso-das-capas-semelhantes.html

  4. João disse:

    Pior que o “agente secreto” Tom Sawyer na Liga Extraordinária é o Dorian Gray que, não só não envelhece, mas é imortal!

    PS: a tag no .mp3 está como vinteonze #20

  5. Duque disse:

    Esse veio rápido! ( Só fiz esse comentário idiota pra avisar que sempre ouço o Vinteonze).

  6. Luiz Augusto. disse:

    tem duas coisas que vocês podiam voltar alguma hora pra explicar melhor
    (pelo menos pra mim, que não as entendi nos vinteonze passados)

    a primeira é quando vocês falam que amor e ódio são “a mesma coisa”

    e a segunda você Matias falou (se não me engano) naquele dia do papo sobre o ‘Cópia Fiel’, que é sobre existirem APENAS 13 tipos de roteiro.

    valeuu

  7. YCK disse:

    Matias, eu sempre acho que você vai comentar do Firefly quando se aproxima do tema sci-fi. Conhece Firefly?

  8. Lucas disse:

    Pô, retomem isso da genealogia do rock de São Paulo. Ia ser foda.

  1. 15/09/2011

    […] the Block, que eu comentei no último Vinteonze, dá continuidade ao subgênero que mashupa invasão alienígena com outros tipos de filmes, como […]