Vintedoze: Raro estar errado

Alexandre Matias, Ronaldo Evangelista, Lucas Santtana, Kubrick e O Iluminado, o dia em que Fela Kuti conheceu Paul McCartney e o som no cinema de Lucrecia Martel.

Aqui tem o MP3 pra download e aí segue a lista de citações deste programa: • Cigarros PradenseLucrecia Martel: El sonido en la escritura y la puesta en escenaCinemacaosO Iluminado e o mercado financeiro globalSherlockA trilha sonora do Espião Que Sabia Demais, por Alberto IglesiasFela x Paul no Diginois e no GuardianCisne NegroNew World OrderBeleleuO vazamento do disco da CéuO terceiro disco do CuruminSteampunkEl Perseguidor

Você pode gostar...

7 Resultados

  1. Daniel Araujo disse:

    Vixe, “o Perseguidor”!
    Coisa mais linda.
    Nem assisti o programa ainda, só a citação do Cortázar nos links já emocionou :¬)

  2. YCK disse:

    A última faixa do cd da trilha sonora do Pulp Fiction tem o Tarantino explicando como compõem seus roteiros, partindo da trilha sonora para depois criar a história. Isso me lembrou o novo disco da Céu que, por ter sido produzido pelo Amabis, tem muito de trilha de filme ou até de score (ouvi isso de quem ouviu o álbum e que nem sabe quem o Amabis é) e senti isso também.

  3. Mateus disse:

    Foi a primeira vez no Vintedoze que vocês usaram edição para cortar de um take para outro? Tive essa impressão algumas vezes vendo o episódio. Gostava bastante do esquema “ao vivo” do Vinteonze, mas a edição também tem suas vantagens.

    • Sim, foi a primeira vez q editamos, pq o programa estourou mto o tamanho, mas a edicao limpou gordura, a sintese do papo ta na edicao.

      Mas a ideia eh fazer em um take soh, tb preferimos assim.

  4. Cadu Simões disse:

    É interessante como o cyberpunk, que já é um subgênero da ficção científica, fragmentou-se em diversos outros subgêneros. O Matias citou “A Máquina Diferencial”, que pertence ao gênero steampunk, e na minha agulha está uma HQ do Warren Ellis chamada “Captain Swing and the Electrical Pirates of Cindery Island” que, acabei de descobrir, pertence ao gênero teslapunk.

    Pelo que saquei, assim como o steampunk é uma ficção especulativa que extrapola a partir das invenções de Charles Babbage, o teslapunk, como o próprio nome sugere, faz o mesmo a partir das invenções de Nikola Tesla.

    E numa rápida pesquisa na wikipedia já vi que também existem o dieselpunk, nanopunk, biopunk, entre outros. Talvez o cyberpunk (e seus subgêneros) seja uma boa pauta pra um futuro vintedoze. =)

  5. Quando vocês falavam sobre o cigarro, lembrei que acabei de ler a biografia do Serge Gainsbourg que saiu no Brasil em 2004 (Um Punhado de Gitanes) e num trecho no final do livro, quando ele (Gainsbourg) estava muito doente, a autora, Sylvie Simmons, diz que se o Gainsbourg fosse americano ou inglês, teria ido pra reabilitação e voltaria falando maravilhas sobre como é bom parar de fumar e beber, mas não foi o que ele fez, continuou bebendo e fumando como sempre fez. Salve Gainsbourg!
    Legal vocês mencionarem o Everything is a Remix, porque acabou de sair a parte 4 que fala sobre direito autoral, propriedade intelectual e etc. ( https://vimeo.com/36881035 )
    Sobre filmes em que não confiamos no protagonista, assisti Take Shelter (http://www.youtube.com/watch?v=I5U4TtYpKIc) recentemente que segue essa linha e vale a pena para quem gosta desse tipo de filme.