Vida Fodona #075: 1975

Edição especial: em homenagem ao número do programa, vamos para 1975, o ano em que eu nasci e em que localizo a troca de marcha entre duas histórias que chamamos com o mesmo nome, “Rock” (tenho um livro na manga sobre esse assunto). Começo com/sem ironia com “Dinosaur Song” do Cash (tirado de seu disco pra crianças), mas daí assistimos à galvanização dos Beatles como topo do pop, à ascensão do reggae e à consolidação do funk – mas o momento que eu mais gosto é quando “Bohemian Rhapsody” se desfaz sobre “Radioactivity”, uma era de ouro claramente chegando ao fim e outra começando mansa e tensa. Freddie Mercury finaliza colocando-se à disposiçãõ do vento e pulverisa-se aos cliques e beats dos contadores gêigeres do quarteto alemão. A partir dali, tudo mudaria.

– “Dinosaur Song” – Johnny Cash
– “Have a Cigar” – Pink Floyd
– “Kashmir” – Led Zeppelin
– “Love is the Drug” – Roxy Music
– “Lucy in the Sky with Diamonds” – Elton John
– “50 Ways to Leave Your Lover” – Paul Simon
– “Knockin’ On Heaven’s Door” – Eric Clapton
– “Them Belly Full (But We Hungry)” – Bob Marley & the Wailers
– “Redondo Beach” – Patti Smith
– “Jorge da Capadócia” – Jorge Ben
– “Mothership Connection” – Parliament
– “Love to Love You Baby” – Donna Summer
– “Low Rider” – War
– “Rock and Roll All Nite” – Kiss
– “Squeeze Box” – Who
– “Rock Show” – Wings
– “Toc” – Tom Zé
– “Cortez the Killer” – Neil Young
– “Across the Universe” – David Bowie
– “Tangled Up in Blue” – Bob Dylan
– “Tente Outra Vez” – Raul Seixas
– “Wish You Were Here” – Pink Floyd
– “Sarro” – Gilberto Gil & Jorge Ben
– “Bohemian Rhapsody” – Queen
– “Radioactivity” – Kraftwerk

Para o fundo do baú.

Você pode gostar...