Um papo com a Maria Nanquim

xula

Excelente essa entrevista que o Ramon fez com a Luciana Foraciepe, que é conhecida pela internet como Maria Nanquim. Ela está lançando sua primeira revista – chamada Xula, que pode ser comprada aqui – e na conversa dá uma boa idéia de como andam os quadrinhos no Brasil nestes anos 2010:

Eu acho que o cenário sempre existiu, a duras penas, mas sempre existiu. Agora, com internet, as pessoas conseguem mesmo fazer um trabalho autoral sem depender das editoras. Acho isso bom demais. Mas não sei medir ou dizer se o interesse por quadrinhos aumentou ao longo dos anos, porque eu sempre fui interessada. Posso estar dizendo uma bobagem, mas na minha opinião o cenário sempre existiu, só que antes o acesso era mais complicado. As pessoas tinham que se contentar com o que era publicado. Com o que as editoras publicavam. Hoje, com as publicações independentes e com a internet, dá pra conhecer um monte de gente boa produzindo quadrinhos. Isso é lindo. Também tem muita coisa ruim, mas aí é só não acompanhar o que não te agrada. O que tenho certeza é que ainda é complicado viver de quadrinhos no Brasil. Vejo isso pelos meus amigos quadrinistas que estão sempre duros. Muito triste. Pessoas extremamente talentosas, mas que precisam sambar muito pra pagar as contas no fim do mês.

Leia a entrevista toda no Vitralizado.

Você pode gostar...