TV Serge Gainsbourg – parte 5

Serge Gainsbourg conheceu Brigitte Bardot como o mundo todo: no cinema. A atriz estava em ascensão por sua simples e inacreditável beleza e, como parte de toda uma geração que ganhou notoriedade mundial graças à popularização da televisão no final dos anos 50/começo dos 60, estava em todo lugar – como Elvis, Marilyn Monroe, os Beatles, os Kennedy, Pelé e dezenas de outras celebridades globais deste período, Bardot cantava, dançava, sapateava, assobiava e chupava cana ao mesmo tempo. Foi inevitável que, mesmo com uma voz limitada, fosse parar no mundo dos discos e foi aí que Gainsbourg conseguiu se aproximar dela. Aos poucos estava compondo músicas exclusivas para ela, antes de iniciar um caso divulgado com alarde pela imprensa francesa da época – ambos casados e célebres, ela impecável, ele horrendo, tinham motivos de sobra para habitar páginas e páginas de fofocas. O affair rendeu não só bons singles como um dos melhores discos da primeira fase da carreira de Gainsbourg (Comic Strip, em que flerta com a cultura anglófona) e o início de uma polêmica monstruosa que daria a Serge seu maior e mais popular feito comercial.


Brigitte Bardot – “L’Appareil a Sous”


Serge Gainsbourg – “Initials B.B.”


Serge Gainsbourg – “Comic Strip”


Serge Gainsbourg – “Bloody Jack”


Brigitte Bardot – “Bubble Gum”


Serge Gainsbourg – “Docteur Jekyll et Monsieur Hyde”


Serge Gainsbourg – “Qui est ‘in’ qui est ‘out'”


Serge Gainsbourg – “Bloody Jack”


Brigitte Bardot & Serge Gainsbourg – “Bonnie & Clyde”


Brigitte Bardot – “Everybody Loves my Baby”


Brigitte Bardot, Sacha Distel & Serge Gainsbourg – “La bise aux hippies”


Brigitte Bardot – “Harley Davidson”

Você pode gostar...