Tumblr do dia: Dicionário Coxês Português

Fazia tempo que não aparecia um desses: um tumblr de texto. O título se autoexplica:

Califa (CA.LI.FA)

s.f. 1. Sin. Califórnia, Estados Unidos 2. Local onde todo coxinha já morou / fez intercâmbio / quer morar. (Ex.: Mêo, meu sonho é morar na Califa. Várias mina, várias onda, várias praia!) 3. Estado mais populoso da América, é também o que que mais exporta matéria-prima coxinha, contribuindo com ícones coxeses como Hollister, The OC, jet bronze, Red Hot Chilli Peppers, pool partys, body shot, spinning e bata com bermuda 4. Não confundir com o outro Califa (aquele que tá de olho no decote dela).

Tem outros exemplos aí embaixo:

Cerva (CER.VA)

S.f. 1. Em português, cerveja. 2. Bebida alcoólica fabricada a partir da fermentação de cereais como o trigo e a cevada, muito popular entre coxinhas de todas as idades e sempre presente em confraternizações coxesas (Ex.: Tô marcando de tomar uma cerva com a galera da facul qualquer dia desses.) 3. Apesar de também ser usado por coxinhas jovens, o termo cerva é mais popular entre os mais experientes da casta coxa. Os mais novos preferem outros termos mais descontraídos, como o popular brêja (Ex.: Mêo, fala pro Caduzêra que precisa levar mais um pack de brêja pro churras, mêo).

Êra (Ê.RA)

Suf. 1. Sufixação do coxês coloquial para se referir a algo ou alguém. 2. É utilizada por meio da condensação de um substantivo com o referido sufixo, juntando-o à palavra a partir da última vogal. 3. Comumente usada em nomes próprios, em sinal de intimidade amistosa (Ex.: E aí Brunêra, baladinha hoje? / Faaaaala, Gustavêra, tudo show de bola?) 4. Também pode ser usada em substantivos comuns (Ex.: Mêo, vamo na Josephine hoje? Vai rolá mó sonzêra! / Saindo da baladinha eu passei no McDonald’s pra comer uns hamburguêras).

UFC (UFC)

S.m. 1. Antigamente, costumava ser a sigla para Universidade Federal do Ceará. No mundo coxinha, no entanto, tem um único significado: Ultimate Fighting Championship. 2. Como o nome diz, em inglês, trata-se de um evento de luta, mais precisamente de um “esporte” conhecido como MMA – sigla para Mixed Martial Arts (não confundir com Ministério do Meio Ambiente). 3. Muito popular, o UFC mobiliza hordas de coxinhas habitualmente aos finais de semana, quando se reunem na casa de outros coxinhas ou em frente a telões de bares na Vila Olímpia para assistir homens suados se engalfinhando enquanto tomam umas cervas (sic). (Ex.: Mein, vai rolar um UFC topíssimo lá em casa hoje. Cê leva as Heineken?) 4. No coxês, o termo UFC muitas vezes é reproduzido em forma de hashtag, quando os coxinhas resolvem comentar as lutas e compartilhar momentos de suas reuniões sociais em torno do evento (Ex.: Galera toda reunida na casa da Fê Alcântara. Vamo pra cima, Minotauro! #UFC #NIGHT #FRIENDS #SATURDAY).

Brasa (BRA.SA)

S.m. 1. Sin. Brasil (país), República Federativa do Brasil. 2. O termo Brasa é usado pelos coxinhas, em algumas situações, para denominar sua pátria-mãe, o Brasil (ex.: Mein, Ibiza tem uma vibe muito legal, mas nada como o nosso velho Brasa. / Ju, avisa a Ná, a Cá, a Li e a Fê Guimarães Porto que logo menos meu intercâmbio acaba e eu tô de volta no Brasa!). 3. Nota: No coxês, o termo Brasa em nada tem a ver com o termo brasa do português (calor; lenha ou carvão ardente, sem a presença de chama). No entanto, alguns coxinhas insistem em afirmar que o Brasa é quente, on fire, hot. Tudo não passa de uma coincidência linguística.

Sirenight (SI.RE.NI.GHT)

s.m. 1. Pron. Sirenaite 2. Denominação coxesa para a casa noturna Sirena, localizada em Maresias, litoral norte de São Paulo 3. Termo pronunciado com ênfase na letra “a” (Ex.: Reveillon é nois no sirenaaaaaaite.) 4. Ambiente agradável aos coxinhas por conter boa parte daquilo que é essencial para sua subsistência (Ex.: Bora pro sirenaaaaite fechar um camaras, várias champa, vários uísque, várias corrente de prata, várias mina) 5. Mais do que uma simples baladinha monstra (sic), lá é o viveiro para onde grande parte da juventude coxa migra no verão, em bando e formação em V. Gola V.

Suave (SU.A.VE)

adv. 1. Tudo bem, tudo certo, tranquilo 2. Interjeição do dialeto coxês para indicar concordância ou entendimento de um jeito descolado, ou ao menos que eles acham que é (Ex.: Suave, mein, a gente se fala depois por BBM) 2. adj. Pode significar elogio, alívio ou felicidade diante de alguma coisa totalmente supérflua (Ex.: Noooooossa, vai ter Grey Goose no open da festa! Suaaave, hein?) 3. Pode indicar facilidade (Ex.: Mein, tirei dez na prova de estatística. Tava suave.) 4. Pode indicar negação ou recusa (Ex.: Tô suave de pegar a Ju Hernandez, ela engordou no intercâmbio) 5. Nota: como é possível perceber, o termo suave tem diversas aplicações, o que demonstra a preocupação dos coxinhas com a sustentabilidade (coisa que eles adoram), visto que economizam palavras e, consequentemente, sinapses cerebrais.

Causar (CA.U.SAR)

v. int. 1. O que os coxinhas acham que é: abalar estruturas, revolucionar, se divertir para valer como se não houvesse amanhã, estar acima do bem e do mal, chutar o pau da barraca e arrebentar a boca do balão (ex.: Vamo causar muito na baladinha, mein! / Mêo, causei horrores na festa da Ju Albuquerque.) 2. O que significa de verdade, no caso dos coxinhas do sexo masculino: puxar cabelo e fungar em cangotes de mulheres na balada, arrumar briga onde só vale empurrão, beber dois uísques e vomitar em seguida, dançar sem camisa e mordendo os lábios e ser expulso por seguranças porque passou a mão na bunda da hostess. 3. No caso das coxinhas mulheres, causar significa arrumar briga porque furou a fila, gritar com voz de gralha, queimar os outros com cigarro, ficar totalmente bêbada com uma sakerita de morango, vomitar e ficar toda estrupiada, no chão, de pernas abertas, com o cabelo grudado no suor da testa e a maquiagem parecendo a do Jigsaw dos Jogos Mortais.

Vai ficar pequena (VAI FI.CAR PE.QUE.NA)

exp. 1. Será legal, será divertido 2. Exprime a alta expectativa coxinha diante de um evento (Mêo, a gente vai causar sábado! A Royal vai ficar pequena pra gente, amiga! / Mein, comprei uma camisa nova na Mandi que as mina vai pirar. Essa festinha da FAAP vai ficar pequena.) 3. Expressão que demonstra soberba; Significa, no linguajar coxês, que algum local ou evento se curvará aos pés dos coxinhas, devidamente calçados com crocs, sapatênis ou saltos (no caso das mulheres) 4. Ao contrário do que podem pensar os pobres mortais, a expressão em nada tem a ver com o tamanho físico das coisas ou com a superlotação dos eventos em questão. 5. Relaciona-se em significado ao termo causar (ver CAUSAR).

E mais outros tantos lá no Tumblr.

Você pode gostar...

11 Resultados

  1. Cadu disse:

    Aqui no Rio temos um verbete q é Night … q significa Balada … Nada mais coxinha do q falar night …

  2. Dogolator disse:

    Suave até passa, o resto faz sangrar meus tímpanos.

    • Fra tura disse:

      Desculpe cara, mas SUAVE é tão coxinha quanto qualquer outro desses dialetos.

  3. Luiz disse:

    Dói cada palavra… e essa dor significa que estou velho.

  4. Jiban disse:

    Esse é um novo dialeto do dialeto paulistano da língua portuguesa.

  5. José disse:

    Então…

    Achei que isso aí tá mais pra “paulistês português”…

    Aqui onde moro ninguém usa essas palavras. Esse lance de “coxinha” tá muito mais ligado ao paulistano…

    • jiban disse:

      É mesmo. Quando eu li isso, tive a nítida impressão de que era o linguajar padrâo do paulistano. Acho que a implicância com o tal coxinha é mais ideológica, o dialeto é o mesmo.

  6. Marcelo disse:

    Coxinha não significa policial?

    Não sabia que paulista rico também era chamado de coxinha…

  7. Fra tura disse:

    cambada é só ver o Luciano Huck falando/atuando/respirando…..

    • José disse:

      Mas aí é que tá, coleguinha! Pra um ENORME grupo de pessoas de fora de SP, ele é, simplesmente, o “típico paulistano”.

      Sabe chinês? Vietnamita? Tu consegue distinguir o “João chinês”, do “Alfredo chinês”, do “Adolfo vietnamita”?

      Pra nós é difícil, né? Pra eles nós também somos todos iguais…

      Então… Aí em SP tá mt na cara quem é “coxinha”. Mas para o resto é tudo “paulista se expressando como paulista”.

      Sabe o Boça?

      Você acha que os cariocas do Hermes e Renato estavam sacaneando um “coxinha” ou a visão que todo mundo de fora tem do “paulistano típico”? E aquelas imitações do Adnet?

      • Jiban disse:

        Cara, sinceramente, pro resto do país, inclusive o interior de SP, TODO paulistano é meio coxudo mesmo.