Titãs e Rick Bonadio = lixo

Sim, essa é o resultado da decana banda paulistana com o produtor dos Mamonas Assassinas e do CPM 22. É triste ver esse que já foi um dos grupos mais importantes da história do rock brasileiro chafurdando-se na lama alheia com tanto gosto. Vai tocar no rádio? Claro, porque é música da novela. Os caras vão ganhar dinheiro? Sim, essa é a especialidade da música produzida por Bonadio (não todas, afinal seu toque de Midas – um toque de merda, na minha opinão – funciona na base de atirar pra todos os lados, vai que pega em algum alvo).

Fico pensando no trabalho psicológico que cada titã deve fazer individualmente para continuar tocando músicas desse naipe – algo que deve ter começado na época do deprimente Acústico (lançado há DOZE anos): “A música é uma merda, mas eu estou nessa desde o começo, sou um titã, esse é o meu trabalho, não posso largar isso agora”. E isso bem depois da banda ter lançado um documentário coberto de elogios e tom nostálgico, A Vida Até Parece uma Festa.

Acredito que os Titãs poderiam lançar um disco bom (embora irrelevante – e aí está a chave do problema), mesmo sem Arnaldo, Nando e Frommer – se não fossem tão inseguros como foram ao chamar o Jack Endino para fazer o “disco grunge” dos caras, Titanomaquia. Mas nenhuma música do disco de 93 consegue ser tão deprimente quanto essa música nova. Eles vivem um dilema entre ser uma banda conhecida, rentável, popular e adolescente ao mesmo tempo. Se optassem por um esquema lo-profile, poderiam até lançar algo que preste. Mas, desse jeito, segue a teoria do Vlad de que o Titãs é tipo aquele tio gordo que, nas festas de família, grita “ah, eu tou maluco” e canta “Robocop Gay” no karaokê. Uma espécie de Márcio Canuto do rock.

Vale aquele papo de que um dos problemas do Brasil é que as bandas não sabem a hora de acabar.

Você pode gostar...

18 Resultados

  1. luisandro disse:

    verdade, eita musiquinha nada a ver. ainda tenho pra mim que os caras que traziam o novo pra banda foram os que saíram: arnaldo e nando reis. ambos ótimos letristas. agora tá essa coisa jota quest com guitarras mais pesadas. me admira o baterista, que é produtor, aceitar isso, e acho que ele não precisa disso pra viver, e duvido que esteja se dando bem com seu auto-senso de bom gosto, que sei que ele tem.

  2. Sergio disse:

    Senti um misto de pena com vergonha alheia quando ouvi essa lastima. Tenham um pingo de dignidade e respeitem o passado enquanto é tempo!!

  3. Nobert disse:

    o cara que se presta a fazer uma resenha cheia de referencias musicais sobre Britney Spears ainda quer dizer oq é e oq não é lixo

  4. Nao soh quero, como digo. Se te incomoda, ZARPA.

  5. ian disse:

    caramba, ouvi isso na rádio… jurava que fosse alguma banda nova modinha… e quando o locutor falou titãs, quase rolou uma lágrima…
    e quanto ao comentário anti-britney aí em cima… a mulher pelo menos sabe escolher produtores, músicas e influências boas, apesar da crise pessoal…

  6. Daniel Poeira disse:

    Na minha experiência pessoal, os Titãs estão para a música como Star Wars está para o cinema: eram a coisa mais importante do mundo quando eu era criança, mas ao longo da vida foram tantas decepções que fica difícil lembrar por que diabos eu gostava tanto deles assim. Prova disso é que não tenho nenhum CD deles, apenas vinis, e estão todos empoeirados. Talvez, um dia, eu baixe o Cabeça Dinossauro em mp3.

    Não vou me adaptar.

  7. Rafael disse:

    Que produção bostíssima. Pior que o St. Anger.

  8. Mirdad disse:

    Por favor, alguém extermine as bandas remanescentes dos anos 80! Acabou, chega!!!!!!!!!!!!!

  9. Carlos Garcia disse:

    Engraçada sua postura não em relação ao Bonadio, mas com relação à banda. Ao mesmo tempo que você afirma ter respeito pelos caras consegue detonar praticamente tudo que eles fizeram, de um lado à outro, desde o acústico ao Titanomaquia.

    Um cara que consegue achar esses dois CDs deprimentes ao mesmo só pode estar sofrendo de… depressão!!!

    Não gostei da produção da música, embora goste de Titãs. Mas muito me espanta que, como “crítico musical”, você não destacou a produção que foi feita, mais masterização, vocais, instrumentais e afins. Preferiu destacar suas mal construídas ironias e falar sobre o preparo psicológico da banda para gravar um CD como esse.

    Preparo psicológico deve ser necessário também para se expor ao fato de elaborar uma deprimente coluna sobre uma música recém lançada. Ao que tudo indica, ao mesmo tempo em que na mão de Bonadio estão surgindo algumas pseudo-bandas do nada e ganhando espaço, em alguns sites (e a internet permite isso) surgem pseudo-críticos de música que se esquivam do assunto musical para destilar seus preconcentos.

    Repito, não gostei muito da música, mas você poderia ter sido um pouco mais crítico e um pouco menos “modinha”, afinal é moda também criticar tudo que é trabalhado pra fazer sucesso. É o mínino que se espera, uma crítica.

  10. Foi soh um comentario de antigo fan, nao foi uma “critica musical”. Graças a deus nao preciso analisar esse lixo com lupa, por isso posso “construir minhas mal construidas ironias” e falar do q foi perdido apos o Titanomaquia. Poderia ser um pouco mais critico? Claro. Menos “modinha”? Tb. A questao eh: eu quero fazer isso? Eu quero ser o critico musical da geracao internet?

    Procurou no lugar errado, meu caro: isso eh soh um saite. Se vc gosta ou nao dos txts, sao outros quinhentos, mas nao espere “embasamento” num post desses.

    Afinal, vc pode me criticar do mesmo jeito q eu pude criticar os Titas. Ha embasamento aih ou vc mesmo nao tah soh “destilando seus preconceitos”?

    E se vc acha o Trabalho Sujo deprimente… “soh pode estar sofrendo de… depressao!!!”

  11. Carlos Garcia disse:

    Okay, acho que eu exigi demais mesmo, então. Esqueci que a internet abre espaço para fãs escreverem também.

    Apenas não esqueça que não existe fã e crítico de música ao mesmo tempo. Não se auto-intitule assim e tá tudo certo!!!

    Abraço

  12. Nilo disse:

    Pelo que li aqui, essa coluna simplesmente mostrou a opinião pessoal e gosto musical do colunista.

    Em nenhum momento citou a estrutura musical, os arranjos, os famosos backing vocals da nova musica dos TItãs… Pura e simplesmente quis mostrar o quanto não gosta de determinadas bandas e ou pessoas (Mamonas, CPM, Titãs atual, Bonadio…)

    Como criticar musicalmente os Mamonas Assassinas ou os Titãs? O senhor tem conhecimento da música Débil Metal dos Mamonas, um rock progressivo, muito bem elaborado, compassos quebrados 7/8 e em alguns momentos 4/4? O senhor realmente entende de música ou só gosta de fazer uma crítica nada construtiva? (análise de gosto nesse caso)

    Ficaria menos feio simplesmente escrever nesta coluna assim: “Eu não gosto do Bonadio e tudo que ele se envolve. Um exemplo são os Mamonas e o CPM”.

    Para que criticar dessa forma tão baixa? É melhor colocar que têm algo pessoal contra determinadas bandas e pessoas. Não fique deturpando as pessoas que gostam de uma banda ou estilo musical. Como disse em cima, é pura e simplesmente um gosto musical da pessoa. Se você não gosta escreva que não goste e não critique o que não sabe.

    Eu não gosto de Emocore. Mas até ai eu respeito a opinião de quem gosta. Não fico criticando os que aderiram a isso.

    Um contra exemplo dessa situação é sua coluna referente a “cultura do remix” que realmente ficou muito boa! Embasamento excelente nesse texto.

    Portanto, quando for escrever “gostos” pessoais ou “picuinhas”, para o bem geral da nação dos que realmente gostam de uma crítica, guarde-a para si.

  13. Sandro disse:

    Opa, a gente pode criticar a tua crítica então? Então vou te dizer, por favor passe um revisor ortográfico nos teus textos, afinal ao menos você poderia ter um “embasamento” no dicionário.

  14. Daniel disse:

    Cara, o pior é que, como mais um antigo fã, cada vez que ouço falar de um trabalho novo dos Titãs, ainda fico com uma pontinha de esperança….

    Pena. Deprê esse som. E também acho que os próprios caras são bem conscientes da direção que tomaram.

  15. Ângelo Palmeira disse:

    É no mínimo triste presenciar um acontecimento desses. O TITÃS foi uma banda que moldou meu comportamento. Antes de tudo, pra mim, na época, o TITÃS não era simplesmente uma banda dos anos 80. Tratava-se de um arauto da contestação e do inconformismo, sentimentos esses, por definição, característicos do próprio Rock. Não há rock sem esses ingredientes. E era justamente isso que os caras representavam pra mim na época : Um dos mais originais e extraordinários movimentos(movimento sim, o rock antes de tudo é um movimento) de contestação de toda a hipocrisia e de tudo que há de errado nessa sociedade que eu sou obrigado a me inserir. Diante disso ter que lidar com essa situação hoje revolta. Me lembro de ter passado mal uns dias e meio que por acidente, encontrei um velho DVD do Titãs lá em casa. Meus olhos se encheram de lágrimas ao ouvir que “eu não sei fazer música, mas eu faço”, “eu não sou um bom lugar”,
    “Não é que eu vou fazer igual, eu vou fazer pior”. Hoje em dia, vejo os meus heróis do passado se aliarem a um rapper malsucedido, um aventureiro qualquer, um mercenário que sequer sabe o que é Rock, só pra ter uma musiquinha na novela. Hoje os titãs(não mais, TITÃS) não passam d uma sombra, um vestígio do que um dia foram. Só falta gora, pra completar, eles fazerem um turnê em conjnto com ( dá até nojo de escrever) nxzero e fresno.
    Certo fizeram Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá ao decidir encerrar a lendária Legião Urbana, antes que pensassem em correr o risco de estragar o legado do Grande Renato.

    Não é que eu me arrependi de ter escrito isso, eu tô com vontade de rir, não é que eu me sinta mal, eu posso fazer igual. Não é que eu vou fazer igual, eu vou fazer pior.

    Parabéns pelo post, Alexandre Matias
    Abraço, Ângelo Palmeira

  16. W.B.J disse:

    Bom.. em primeiro lugar nada a ver reclamar dos erros de ortografia, né.. por favor?!?!
    Mas… quanto à crítica, acho que devemos sempre pensar nos 2 lados e se colocar no lugar das pessoas. É sua opnião, e eu respeito. Infelizmente ou não, o mundo se move pelo dinheiro. Rick Bonadio produziu muita gente boa e muita gente ruim… Mas isso, não faz dele nem o melhor, nem o pior produtor. Na minha opinião, está dentro dos melhores empresários e produtores do mercado fonográfico atual. Se ler a história de como ele iniciou a carreira, vai começar lentamente a entender muitas coisas.

    Concordo que a música é ruim. Realmente, não me agradou de fato. Mas, a busca pelo “novo” ou pelo “diferente”, não acaba. Bonadio prioriza muito isso e faz com cautela. Os Titãs estão em nova fase, nova era… coisa boa, se pudessemos voltar a pular no Pogobol, ver Ultraman na tv ou colecionar figurinhas pros albuns do campeonato brasileiro com o mesmo gosto e sentimento que na infância. É passado.. não volta.. fica na memória e na história. Concordo com vc, SIM, que titãs era muito melhor, mas não jogue o erro na mão do Bonadio, até porque, há muita coisa que agente não sabe… quando envolve grana alta… o negócio pega fogo…. Mas, parabens pela iniciativa! Grande Abraço

  17. FRAN disse:

    ESSA musica já me fez perder o sono é muito linda.

  18. Giulia disse:

    Por que a musica nao vou me adaptar é triste?
    se basearam em que para escreve-la?