The Master, do Jonny Greenwood

E por falar em Radiohead, também vazou a trilha sonora que o guitarrista da banda, Jonny Greenwood, fez para o aguardado novo filme de Paul Thomas Anderson, The Master. Via Nodata.

Greenwood já havia composto e gravado a trilha para o filme anterior do PTA, Sangue Negro (que acho superestimadaço e de ritmo lento até demais, com duas atuações se salvando). A trilha também foi festejada com palmas, mas me pareceu filhote das cordas derretidas que o Michael Giacchino compunha para Lost.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. jorge disse:

    gostei muito da trilha de sangue negro. tem umas passagens q são geniais.

    legal saber q ele continua nessa linha de trilha

  2. putz disse:

    velho, de novo comparando o greenwood com aquele cara de lost? os dois chupinham penderecki, arvo part… sai dessa.

  3. Amigo disse:

    Alexandre, fico besta de ver como vc tem gosto refinado pra caramba com música mas é super limitadinho com cinema. Só curte engôdos bem embalados q não resistem ao tempo (Inception) ou filmes escancaradamente superficiais (Super Heróis). Pra mim são 2 Alexandres diferentes, não é possível!

    • Se vc acha q eu soh curto super-heroi e Inception, nao tem acompanhado o site…

      • Amigo disse:

        foram os únicos exemplos q me vieram a cabeça na hora. acompanho teu blog há anos e sempre q eu considero tal filme um dos top 3 do ano (como Sangue Negro em 2008) a sua opinião sobre o mesmo é “muito lento”, “chato” ou coisa que valha.
        bom, fato é q temos gostos semelhantes quando o assunto é música e opiniões divergentes quanto à cinema.

        • Blz, mas “muito lento” e “chato” nao sao meus criterios pra desgostar de um filme – acabei de elogiar o Cosmopolis essa semana mesmo e o meu cineasta favorito eh o Kubrick. Eu soh acho q tem alguns filmes q sao incensados demais sem merecer e outros q sao festejados soh por meritos comerciais, e nao artisticos. Eu realmente acho q o cinema de acao eh um genero subestimado, por exemplo, com a ficcao cientifica, a comedia e o thriller.

          Cinema pra mim eh uma experiencia sensorial, nao precisa ter comeco, meio e fim, bom roteiro, super producao ou grandes atuacoes. O diretor eh o dono da bola – veja as atuacoes de Baby – O Porquinho Atrapalhado. Hitchcock tinha razao: artista eh gado. Eh soh ver o q o Cronenberg conseguiu fazer com o Vampiro do Crepusculo… 😛

          Saca o link http://www.oesquema.com.br/trabalhosujo/category/cinema e vc vai ver q nao eh soh filme de explosao e super-heroi…

  1. 09/09/2012

    […] A sinopse: um intelectual carismático (Hoffman) lança uma organização religiosa após a Segunda Guerra Mundial. Um andarilho (Phoenix) torna-se seu braço direito, mas como a fé começa a ganhar fervorosos seguidores, o andarilho passa a questionar o sistema de crenças e seu mentor. O trailer não me agradou muito, confesso; muito Oscar-style pro meu gosto. E a quem interessar: Jonny Greenwood (Radiohead) fez a trilha, que já vazou na interwebs. […]