Terceiro disco: valendo!

Depois do medidor de trilogias, que tal esse gráfico comparativo com carreiras de bandas e seu desempenho nos três primeiros discos?

Como todo tipo de lista, tem seus defeitos – os que me incomodam mais são o Clash (que é uma escada normal), o Oasis (o terceiro disco tá muito no alto), o R.E.M. (que mantém a média nos três primeiros discos) e a presença do Verve e do Bruce Springsteen, que não servem pra nada. Vi na Taís.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Luciano Matos disse:

    Tinham que botar Pixies e Jesus & Mary Chain, iam estourar o teto nos dois primeiros

  2. cadu disse:

    “be here now” é um dos discos mais subestimados dos anos 90. pronto falei.

  3. Helio disse:

    Bruce Springsteen não serve pra nada? ok.

  4. Serve pra fazer umas trilhas sonoras de uns filmes esqueciveis e animar convencoes de partidos americanos – seja qual for. Musicalmente, eh inexpressivo.

  5. Douglas disse:

    Ah Matias. heheheh…. uma dica: baixe “Nebraska” do Springsteen e escute com a mente aberta e um headphone bom! 🙂
    Eu tinha a mesma opinião quando não conhecia direito os discos desse cara… O cara não é The Boss à toa. hehehhe
    []s

    PS: Muito legal esse lance do Philip K Dick por Robert Crumb!!! Não tinha percebido antes! Parabéns!

  6. Tou ligado, Douglas, conheco bem o trabalho do “Boss”, mas nao acho essa cocacola toda, nao… Pra vc ficar mais sossegado, meu “disco” favorito do cara eh a caixa Tracks, q tem mta coisa da epoca do Nebraska (tb curto o disco).

    O problema eh q ele eh essencialmente americano e faz mais sentido pros EUA do q pra qq outra parte do mundo (diferente do Dylan, por exemplo).

    Pra encerrar – “Boss” pra mim eh o Jorge Ben 😛

  7. realista disse:

    A medição do the verve esta totalmente errada. Corrijam este erro inadmissível.

  8. No Woman Yes Marijuana disse:

    “e a presença do Verve e do Bruce Springsteen, que não servem pra nada”

    UHAUAHUAHAUAH pensei a mesma coisa!

  1. 07/04/2009

    […] no Matias que viu na […]