Simony: o fundo do poço it’s not enough

Depois de se candidatar a alguma coisa, ela segue sua franca decadência. Da Monica Bergamo de hoje:

Chapa quente

Uma caminhada pelo shopping Aricanduva, na zona leste de SP, anteontem, ao lado do candidato a governador Celso Russomanno (PP) provocou uma briga entre a cantora Simony, candidata a deputada estadual pelo PP, e Roberta Maia, filha de Reinaldo Maia, candidato ao mesmo cargo pelo PTC. Roberta acusa Simony de a ter “unhado”. No Twitter, Simony escreveu que foi “ameaçada de morte” por assessores de Maia. A assessoria de Celso Russomanno diz que “não está autorizada a falar sobre o episódio”. A coluna conversou com Simony:

Folha – O que aconteceu no shopping Aricanduva? A Roberta diz que você a unhou.
Simony –
É melhor eu te passar pro meu assessor. Mas vou te falar que eu faço várias agendas com vários candidatos, faço direto com o doutor Paulo [Maluf]. E ontem [anteontem] fui chamada pelo Celso. Ele tem meu rádio, meu avô trabalha com ele há 16 anos. No dia anterior eu fui à Festa do Morango de Atibaia com ele e fui bem recebida por outros candidatos, ganhei até caixa de bombom. O Celso me disse que iríamos caminhar eu, ele e Ronaldo Esper [candidato a federal pelo PTC] pelo shopping.
Achei ótimo, porque é um shopping lotado. Eu nasci na zona leste e a Dirce, minha amiga, mora atrás do shopping. Quando cheguei, vi que ele [Reinaldo Maia] era candidato a deputado estadual, mas vou a vários lugares e nunca tive problema. E só vou quando sou solicitada.

Você discutiu com a Roberta?
Ela me disse que eu não podia ficar lá, porque ela tinha fechado o shopping. E eu disse que não iria sair porque o shopping é lugar público.

A Roberta diz que você a agrediu neste momento.
Ela me agrediu, e eu chamei a polícia. Ela apertou o meu braço, e os seguranças deles ameaçaram meu assessor de morte. Ela me apertou, e eu me defendi. Imagina, nunca fiz esse tipo de baixaria. Aí pedi pelo amor de Deus para pararem com aquilo, que era uma campanha. Eu falei pro Celso dizer que ele havia me convidado, e ele falou que havia lugar pra todos. Depois meu assessor chamou a polícia, mas decidimos não fazer B.O. pra não prejudicar o Celso. Eles falaram que “iam pegar o meu assessor e o meu avô lá fora”. Tivemos que andar com quatro seguranças.

A íntegra da “polêmica” aqui.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. raqcozer disse:

    Eu gosto da parte em que a outra conta que ela “saiu até vaiada da Festa do Morango de Atibaia”.