Quem quer ir no show do Toro y Moi?

toro-y-moi-poster

Chaz Bundick se apresenta no fim de semana no Lollapalooza Brasil e também no Beco (o poster acima é da Dani Hasse), na quarta da semana que vem. Já havia falado que os ingressos estão à venda, mas se você quiser ganhar um par de ingressos para a quarta, basta responder nos comentários deste post qual é a sua música favorita do Toro y Moi e porquê. O resultado da promoção sai na terça que vem.

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Thiago Marcelo Ghilardi disse:

    Still Sound sem dúvida!

  2. Andre disse:

    How i know

  3. Natalia Kataoka disse:

    How I know!

  4. José Paulo Renci disse:

    “Rose Quartz” do disco “Anything in Return” por começar calma e ganhar, no seu desenvolvimento, o clima mais gostoso deste discasso!

  5. Erik Jardinovsky Debatin disse:

    Abençoados quem também escolhe Blessa como sua onda favorita! É como estar num dia de verão, lembrando com saudades da boa vida já vivida.

  6. Delfin disse:

    Sempre que dá eu coloco New Beat nas discotecagens, tem um clima retrodisco que me apetece demais.

  7. Leonardo Matsuhei disse:

    How I Know pela melodia linda e caminhante que não se fecha em ciclos até desembocar no refrão que traz a mistura perfeita de harmonias vocais sessentistas ao estilo The Mamas and The Papas / Beach Boys e timbres analógicos a la Stereolab que dão um clima de total good vibrations.

  8. Bruno Maia disse:

    The Oscar goes to “Saturday Love”, do Freaking Out! Pegajosa e dançante, retrata lembranças de um coração partido. De lambuja, reune todos os dias da semana num único refrão.

  9. Jayne disse:

    Harm in change, do Anything in Return, abrindo o disco. Porque foi com ela que comecei a gostar de Toro y Moi, define toda a aura do disco.

  10. Leo disse:

    Ektelon!
    Adoro demais a primeira fase do Toro, mais voltado ao lo-fi, onde o Chad criava e gravava todas as músicas sozinho.

  11. Felipe Caruso disse:

    “Good Hold”, melhor eargasm da história.

  12. Sandro Augusto Conti disse:

    “New Beat”, porque Toro Y Moi sempre inova com suas “new beats”.

  13. Washington Jordano Pereira disse:

    Minha musica preferida do Toro Y Moi seria New Beat do primeiro disco, porque foi quando conheci o som dele e ouvia junto com minha irma que no momento nao mora mais perto de mim! hehe.

  14. Rodrigo Miranda disse:

    “How’s It Wrong” porque me lembra minha última viagem que ficava viajando na melodia da música enquanto via as paisagens passando.

  15. Eduardo disse:

    New Beat é uma deliciosa chuva de verão!

  16. Francisco disse:

    Difícil, hein?!
    “Talamak” é daquelas que quando escuto os primeiros segundos de som, um sorrisão me estampa o rosto.
    Não paro de escutar o “Anything in Return” de cabo a rabo…
    Mas, já que é para citar uma, fico com “I CAN GET LOVE”, do “Freaking Out EP”: quando ele derramou groove certeiro na pista de dança…
    Coisa fina!

  17. Alexandre Duque disse:

    Still Sound, pois aquela linha de baixo e todo o groove dessa música sempre me animam e me fazem dançar!

  18. Fernando disse:

    Vou de You Hid do Causers of This. É o ápice da psicodelia low fi que ele trabalha tão bem: começa com uma bela sequência de acordes no teclado sintetizados de uma forma que a música se torna uma experiência sensorial – ao fundo uma bateria eletrônica bem abafada ajudando a criar o clima. Desde esse primeiro momento a música te impõe uma pressão lisérgica bem envolvente que cumpre o papel de te transportar numa viagem para longe. As letras nesse projeto muitas vezes são preteridas, mas nessa canção se impõe por ser linda e ficar reforçada com o vacal etéreo de Chaz. Na hora do pouso, o desejo é estar deitado na grama com o sol banhando e não sóbrio no sofá de casa.

    Ps: além disso, You Hid é a única música que ele gravou uma versão totalmente não digital (em 2010 no Yours Truly Sessions, tá lá no youtube). Bateria, guitarra, baixo, piano e voz e fez um trabalho absurdo. O psicodelismo da versão do disco dá lugar a um lirismo intenso, construído com harmonia no piano, arranjo de guitarra bem limpa e belíssimo trabalho vocal. Chaz é foda nos sintetizadores, mas ao ver esse vídeo fica um desejo que ele deixe de lado isso por um tempo e se dedique a fazer canções longe do computador.

  19. Mauricio disse:

    How I Know, pelo refrão catchy e fora de lugar e pelo video, que tb é demais!

  20. Paulo Henrique Siqueira Silva disse:

    You Hid porque é o ápice do lirismo de Chaz. Uma música que soa como uma versão chillwave dos Beach Boys. Brian Wilson certamente ficaria orgulhoso.

  21. Pamela B. disse:

    Still sound, e como eu sou melhor visualmente do que com palavras vou deixar meu porque numa imagem que resume o que eu sinto quando ouço essa música. http://25.media.tumblr.com/74f9b0fc0bb56c70ac1f9f5458b90f78/tumblr_mi6f3viLwP1qkccd4o1_500.gif

  22. Gustavo disse:

    Claro que é Say That, pois independente da hora, lugar, estado que tu esteja essa musica vai além da mente.

  23. Vic. disse:

    Say that; é sensorial.

  24. Tamiris disse:

    Say That. Por que, se he`s alright, então I`m alright e no final we can`t go back.

  25. Lucas disse:

    “Say That” – A música tem base no chillwave de Chaz, mas com um pé no eletrônico de Totally Enormous Extinct Dinosaurs.
    Com samples bem encaixados a música é dançante e ao mesmo tempo faz a gente pensar.

  26. Leticia disse:

    How I Know.

  27. Karol disse:

    How I know

  28. Felipe Arruda disse:

    Lissoms, grooves espaciais!! Dançando aqui!

  29. Fábio disse:

    Light Black: chillando ufologicamente nos anos 50!

    How I Know: melhor sem dúvidas.

  30. Suezo Ribeiro disse:

    “Imprint After”, do cd Causers of This que é meu preferido.

  31. Gustavo disse:

    Still sound, porque é aquela que danço como nos anos 80 sem parecer freak! 🙂

  32. Claudia Rossatti disse:

    Eu quase não consigo escolher, tem muito coisa incrível do Toro y Moi! Mas me obrigo a dizer Still Sound, porque quando eu ouço não consigo ficar parada! Ô música boa de dançar!!!!

  33. Blessa. Não tem intro mais linda e bass que massageie melhor os ouvidos que dessa música!

  34. felipe disse:

    dificil dizer só uma… mas Elise é uma viaaagem!

  35. davi disse:

    Há de ser Low Shoulder!
    Chaz, sintetizando o amor, no sintetizador de amores.

  36. maiara disse:

    Minors

  37. Nadja Pereira disse:

    i can get love

  38. Still Sound, por causa do remelexo que me traz

  39. Rafael de Castro disse:

    Low Shoulder
    Porque ela diz assim:
    Don’t mind the sunrise,It weakens, it climbs
    If it gets in your eyes,Just look into mine
    Just look into dreams,And you’ll be alright,I’ll be alright.

  40. Rafael disse:

    Say That. Não sei por que é que mais gosto, mas quando ouvi no shuffle na caminhada da madrugada sem antes ter ouvido nenhuma outra música do disco. Calhou, e ficou gostosa pairando no meu subconsciente por muito tempo até o dia que olhei no mp3 pra saber de quem era a música depois de vários plays cegos.

  41. Laura Latorre disse:

    Comecei ouvindo Toro y Moi ano passado, é difícil escolher uma preferida. So Many Details é a que mais escuto porque acho que minha mente consegue dançar com essa música, mesmo se eu não me mexer.

  42. Paulo Muchon disse:

    “I Can get Love”. Não sei se prefiro ouvir dançando com os olhos fechados ou sonhando de olho aberto…

  43. Julia Regina Berro disse:

    “I Can Get Love” pelo poder de ENFURECER uma pista de dança. Aquele riff no teclado vai e volta em um loop, um ciclo que se repete à exaustão até chegar ao êxtase. E sem respiro recomeça. O estalar de dedos no fundo é detalhe, mas é detalhe fundamental. A letra recalcada é uma delícia. E tudo isso torna a música um parasita, que entra na mente e fica se reproduzindo ao infinito – pelo menos até o final do dia.

  44. felipe disse:

    “Fax Shadow”, talvez uma faixa “menor” dentro do Causers Of This, mas que em seus pouco menos de 3 minutos consegue comprimir R&B, frases de piano, bateria quebrada e uma voz mandando um “feels so good” em loop em algo que parece ser a cartilha do chamado chillwave — ou um elo perdido entre o hip hop e o indie. Apesar das 4 faixas anteriores a essa prepararem o terreno para o lado b do disco , toda vez que chego nela, não consigo não pensar que apertei o shuffle do iPod sem querer e caí em um instrumental obscuro do J Dilla. Talvez seja isso que a torne tão especial: consegue sintetizar um estilo ao mesmo tempo que reimagina tantos outros de uma forma minimalista e despretensiosa. Sem contar que remeter à produção de Dilla de forma tão direta é um mérito e tanto.

  45. Marcelo disse:

    Say That – Só pq é muito boa!

  46. Graciele disse:

    “new beat” because since 2011 this song still lovely blowing my mind

  47. Rafa disse:

    Foi divulgado o ganhador?

  1. 03/04/2013

    […] showzinho de hoje promete – e o Fernando, vencedor da promoção, já foi avisado como deve proceder para assistir à apresentação do jovem […]