Planeta Terra 2010: o melhor festival do Brasil


Of Montreal – “Bunny Ain’t No Kind Of Rider” / “Gronlandic Edit”

É, o festival foi tudo isso mesmo. Não consegui ver o Hot Chip (que foi elogiadaço por vários que viram), mas peguei meu quarto show do Pavement esse ano, o melhor do festival disparado. Que guitarra é essa do Stephen Malkmus, dizaê. Depois do Pavement, a melhor apresentação foi o dedo na tomada do pop provocado pelo Girl Talk, que chamou vários conhecidos paulistanos para a algazarra no palco e salvou os que não suportaram a sessão de tortura chinesa que foi o show dos Smashing Pumpkins, uma das coisas mais constrangedoras que já vi num palco. O Phoenix também fez bonito e apesar de um meio de show paradão à toa (quando eles tocaram “Love Like a Sunset”) fez valer com o final apoteótico, quando o senhor Sofia Coppola repetiu seu velho truque de ser carregado pelas mãos do público ao final de “1901”. Não vi nem o Passion Pit e nem o Yeasayer inteiros, mas pelo que vi, são bandas em construção, crescendo ao vivo, ensaiando em público. Ambas têm hits e boa presença de palco, mas falta tutano, falta música. Mika é o showbusiness em pessoa, é inacreditável que ele não seja um nome tão grande a ponto de fechar um estádio apenas para si mesmo e ter de entrar num festival de rock alternativo. Por isso mesmo sua apresentação tem um quê de Glee, de High School Musical, de Cirque de Soleil do rock. “Não que tenha algo de errado com isso”, mas não é para o meu paladar. E o Of Montreal, grupo que vi logo que cheguei no festival, é o mais perto que o indie rock pode chegar do P-Funk, show de psicodelia de banda gringa mais foda no Brasil desde… o Mercury Rev em 2005, em Curitiba. E a estrutura e dimensões do festival, mais uma vez, corresponderam às expectativas. Mas primeiro vou subindo os vídeos e, se der tempo, comento mais tarde. Afinal, hoje tem o Paul.


Yeasayer – “O.N.E.”


Mika – “Love Today”


Passion Pit – “I’ve Got Your Number”


Phoenix – “Lisztomania”


Phoenix – “Long Distance Call”


Phoenix – “Rome”


Phoenix – “If I Ever Feel Better” / “1901”


E o momento que o vocalista do Phoenix nadou pela multidão


Pavement – “Gold Soundz” / “Grounded”


Pavement – “Date w/ IKEA” / “Unfair”


Pavement – “In the Mouth of a Desert”


Pavement – “Stop Breathing”


Pavement – “Box Elder” / “Range Life”


Girl Talk – “Down for the Count”


Girl Talk – “Makes me Wanna”

Você pode gostar...

13 Resultados

  1. Thales disse:

    A má-vontade do Malkmus é todo um capítulo à parte, fico té com pena do resto da banda, eles querendo interagir e ele naquele trabalho burocrático.

  2. letka disse:

    pffffff… chulo, 100% chulé esses vídeos.

  3. victor disse:

    olha, dizer que “love like a sunset” foi algo à toa me soa como uma ofensa. me aponte alguém que não ficou arrepiado nessa música que merece um prêmio por maior falta de sensibilidade do mundo!

  4. arlen disse:

    Pavement foi muito massa e tipo o show do Of Montreal foi algo que nunca esquecerei, podia ter rolado muito mais tempo, nem acredtei quando ele anunciou a ultima musica. Tive meu momento depois do show batendo papo com o Brian o guitarrista mais antigo deles e que já tocou no Elf Power e outras bandas da E6. Emocionante cara simpático pra caramba. Em breve ponho os relatos lá no blogue.
    Gostei do Hurtmold, do Yesaryer mas infelizmente tive que deixar o excelente show do Holger pra ver o OM.
    grande noite
    e, que vergonha alheia que senti nas duas primeiras musicas dos Pumpkins. A todo momento achei que o Corgan ia quebrar a guitarra no palco e sair pra não voltar mais.

  5. Andre disse:

    “E o Of Montreal, grupo que vi logo que chegoui no festival, é o mais perto que o indie rock pode chegar do P-Funk, show de psicodelia de banda gringa mais foda no Brasil desde… o Mercury Rev em 2005, em Curitiba” .. E o Apples in Stereo??

  6. Leonardo disse:

    Fala Matias!
    Concordo totalmente contigo.
    Só para fazer uma propagandinha, segue o link do meu blog – http://lbsshow.blogspot.com/

    acabei escrevendo algo parecido com a sua crítica, sem tanta propriedade, claro!
    Abs.

  7. pedro seiler disse:

    cara, achei bem diferente.
    pra mim foi uma decepcao. depois dos dois primeiros anos impecaveis da vila dos galpoes, essa quarta edicao deixou muito a desejar.
    fila pra tudo. dificil de circular, pessimas opcoes de comida, demora pra comprar bebida, impossivel de comer, caos pra ir embora e line up bem questionavel. empire of the sun foi das piores coisas que eu ja vi na vida, abertura do fantastico com national kid e playback..
    e nenhum dos shows dessa edicao chegou perto do spoon, rapture, breeders das edicoes passadas.
    mas acho que tem salvacao, pelo que entendi o lugar comporta bem 15 mil pessoas e tinham 20 mim sabado!

  8. arlen disse:

    No bar que tinha embaixo da área vip era fácil fácil de comprar bebida pena que fui descobrir tarde demais. Apesar de não ter comido, achei um lixo a comida. O que achei realmente um lixo foi a perseguição a maconha lá dentro, vi um imbecil tirar a maconha de um cara e jogar no chão e pisar em cima. Com todos aqueles esquemas pra jogar cigarro em recipientes e lixos espalhados, vem um imbecil destes e faz isto.

  9. Paulo Torres disse:

    Achei o show do Mika algo sensacional. Enquanto o Phoenix e mesmo o Pavement (minha banda favorita) pareciam pequenos naquele palco enorme, o Mika sozinho tomava conta do palco e da platéia e ainda deixava alguns dos meus amigos naquela onda de “eu gosto dessa música, e nem sabia que era dele”.

  10. Rafael Cormack disse:

    Po, melhor festival do Brasil? Forçou DEMAIS a barra…

  11. Fala o melhor entao.

  12. Lobãozinho disse:

    Melhor que o Planeta Terra no Playcenter, só o Planeta Terra na Vila dos Galpões. O fluxo de pessoas na Vila era bem melhor, não tinha espremeção!

  1. 11/01/2011

    […] a foto acima foi tirada, que teoricamente teriam visto a cena e não perceberam. Minha desculpa: cheguei na hora do Of Montreal. Feliz ano novo, Bracin! « Ashley Tisdale + Nirvana | » Por Alexandre Matias às […]