Os 50 melhores discos de 2008: 25) Britney Spears – Circus

Aos poucos, Britney Spears vem construindo uma discografia considerável – e se afirmando como uma das artistas mais importantes da atualidade. Ponha as aspas no “artista” caso se o seu escárnio queira, mas mesmo que ela não mova um centímetro na concepção estética de sua carreira (o que é mentira), ela tem uma qualidade que funciona sob quaisquer condições, uma espécie de fotogenia tridimensional, que faz com que ela se encaixe em toda paisagem em que é posta, no topo do pop adolescente ou no fundo do poço sensacionalista. Enumere todas as cantoras da recente safra de “novas musas” desta década e só com muita boa vontade todas elas, juntas, podem chegar perto do impacto de Britney – talvez apenas Amy a peite de igual para igual, o que aumenta ainda mais a importância de Ms. Winehouse (dado que, primeiro, ela é uma artista no sentido tradicional do termo e, depois, poir possuir apenas dois discos na carreira e três anos de exposição), mas essa é outra história. Mesmo completamente produzida pelos powers-that-be de uma indústria que insiste em negar a própria derrocada, Britney reúne méritos que vão além de sua futilidade pessoal ou de sua voz de pato – e funciona seja produzida pelo N*E*R*D ou James Murphy, seja num filme adolescente qualquer, mostrando a calcinha, participando de um seriado ou regravando Bobby Brown. Circus, aclamado como “grande volta” por quem só foi ouvir “Gimme More” do começo de 2008, na verdade é a continuação de uma reinvenção iniciada em Blackout, em que Britney sacode a poeira de dois fantasmas do passado – o ícone teen e a biatch pé-na-jaca – e se reveste com a cobertura que provavelmente a acompanhará por toda a carreira, a de diva pop, equiparando-se a Madonna e Kylie Minogue, enquanto deixa para trás Rihannas, Aguilleras, Katy Perrys, Feists, Duffys e Adeles. O único porém é sua insistência em baladas horrorosas – e em Circus elas são “Out from Under” e “My Baby”. O resto, no entanto, desce redondíssimo e funciona em qualquer situação e não apenas na pista de dança.

25) Britney Spears – Circus

Britney Spears – “Circus

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Paulinha disse:

    De fato no quesito “artista” em minha opinião deixa a desejar, mas no “novo” significado dessa palavra… ela é completa. Incrível a habilidade que ela tem de tornar suas músicas iressistíveis, no meu caso, o resto prefiro não comentar!!!

  2. Luciana F. disse:

    Britney Spears não passa de um LIXO fenomenal.

  3. Gustavo disse:

    Luciana F. Britney lixo fenomenal??? Aprenda a criticar sua anta estúpida, esse seu paradoxo é tão patético qto esse seu comentário infundado e sem precedência. Lixo com certeza é vc, mas não fenomenal queridinha hahahaha
    Aprenda a tecer críticas sua ignorante

  4. vanessa disse:

    vc e linda sua maio fam
    vc e muito linda cara eu ti amo