#OccupyWallStreet: “Ninguém pode prever o momento da revolução”

A situação começa a ficar tensa nas ocupações em Nova York…

Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. LucasCM disse:

    Matias, voltei hoje de NYC e dei uma passada lá na pracinha onde a galera tá acampada.
    Tá uma bagunça. Mas não no sentido london looters de bagunça.

    Os próprios “revoltados” são uma bagunça.
    Tem nego pedindo a cabeça dos banqueiros, maior contato com a mãe natureza, reclamando da invasão do iraque, comparando o obama ao bush e uns só reclamando do emprego perdido. Sem contar os que tão ali só pra aparecer.

    Não pra sentir que tem uma linha de coerência ligando aquela galera toda.
    Parece aquela turma mais viajandona que no começo da faculdade poderia até parecer romântica mas que no último período só consegue despertar pena.

    Quando eu tava saindo eles começaram a puxar um batuque completamente desencontrado, envolvido em um “hey ho let’s go” (na falta de um grito de guerra ou de reivindicações mais estruturadas…) que era a perfeita representação sonora da desordem dos que questionam a ordem.

    Ah. E o número de “ocupantes” deve equivaler ao número de pessoas que entra por minuto na Century 21, mega loja de pechincha em roupa de marca, que fica do outro lado da rua.

  2. YCK disse:

    Esse é um bom ponto levantado pelo rapaz no final do video. Apesar do Tea Party ter se formado e já até ter se estabelecido no cenário político americano, não surgiu nenhum coffee party ou outro grupo no oposto, uma esquerda ferrenha, que é amedrontada desde McCarthy e Cia (com o perdão do trocadilho).