O retorno de Black Alien

hello-hell

O veterano rapper carioca Black Alien volta em grande estilo com seu terceiro disco, Hello Hell, produzido com verniz finíssimo do jovem Papatinho, que equilibra a sonoridade entre a tensão e o sossego para que Gustavo faça o que sabe fazer melhor: rimas afiadas, trocadilhos infames, profecias assustadoras e caôs bem contados, num disco que faz até a gente esquecer do irregular volume 2 de seu Babylon by Gus, lançado há quatro anos. Se não tem mais a velocidade dos tempos áureos do Planet Hemp ou da dupla que fazia com o saudoso Speed, compensa com sabedoria e autocrítica, principalmente à vida louca que levava até poucos anos atrás.

Você pode gostar...