O disco perdido do Velvet Underground

vu-iv

O processo de devassa nos arquivos do Velvet Underground nos tem garantido várias caixas de disco com material inédito além das quatro obras-primas que o grupo lançou em vida e dos vários discos ao vivo lançados posteriormente. O próximo álbum a entrar nessa brincadeira é o terceiro disco da banda, lançado em 1969 com apenas o nome do grupo de título. É o disco que marca a saída de John Cale da banda, trazendo o guitarrista e baixista Doug Yule para a formação, e deixando Lou Reed mais à vontade para compor canções em vez de tratados de estética ou afrontas pop art.

Sussurrando na maioria das música, Reed buscava uma qualidade musical que soasse muito mais íntima que as canções dos anos 60, “como se o disco estivesse sentado contigo em uma mesa”, como disse certa vez. E mesmo que traga arroubos artsy como “The Murder Mystery” e desfile de guitarras em “Beginning to See the Light” e “What Goes On”, o disco de 1969 soa doce e delicado, com faixas como “Candy Says”, “Pale Blue Eyes”, “That’s the Story of My Life” e “After Hours”, esta última a primeira vez que a baterista Mo Tucker assume os vocais. O crítico norte-americano Lester Bangs, um dos primeiros fãs da banda, notou a mudança radical de rumo do grupo ao questionar “como se define um grupo desses, que vai de ‘Heroin’ a ‘Jesus’ em menos de dois anos?”

A gravadora inglesa Polydor irá lançar a caixa The Velvet Underground 45th Anniversary Super Deluxe Edition (já em pré-venda online), com seis CDs que dissecam diversos aspectos do disco. Os três primeiros CDs são variações do mesmo tema: o primeiro traz o disco de 1969 remasterizado pelo técnico da MGM Luis Pastor “Val” Valentin, o segundo traz o mesmo disco no chamado “closet mix” (que soa como se fosse gravado num armário e antecipa em três décadas a estética lo-fi) e o mix promocional em mono (mais as versões mono do single “What Goes On” e “Jesus”) é o terceiro CD.

O filé da caixa, no entanto, é seu quarto disco. Ele é o mais próximo do que poderia ter sido o quarto disco do Velvet Underground caso eles continuassem na MGM. São 14 faixas gravadas no estúdio Record Plant e que veriam a luz do dia em discos seguintes, como o quarto e último disco do Velvet Underground, o Loaded (lançado pela Atlantic) e o disco Transformer de Lou Reed, além de aparecerem remasterizadas em duas coletâneas nos anos 80, V.U. e Another V.U. O disco é tido como um álbum perdido pelos fãs da banda também por não haver consenso histórico sobre se aquele disco teria sido lançado de fato ou não – uns lembram ser apenas demos gravadas mais profissionalmente, outros (Lou Reed, entre eles) falam que de fato havia planos de se lançar esse disco. Muitas das versões originais dessas gravações apareceram também em discos piratas, o que motivou muitos fãs a tentar reconstruir um disco que não tinha nome, capa nem ordem das músicas definidas (como a imagem que ilustra esse post, saído do blog Albums That Never Were.

A ordem definitiva do tal “disco perdido” ficou assim na nova caixa:

“Foggy Notion (original 1969 mix, unreleased)”
“One of These Days (new 2014 mix, unreleased)”
“Lisa Says (new 2014 mix, unreleased)”
“I’m Sticking With You (original 1969 mix, unreleased)”
“Andy’s Chest (original 1969 mix, unreleased)”
“Coney’s Island Steeplechase (new 2014 mix, unreleased)”
“Ocean (original 1969 mix)”
“I Can’t Stand It (new 2014 mix, unreleased)”
“She’s My Best Friend (original 1969 mix, unreleased)”
“We’re Gonna Have a Real Good Time Together (new 2014 mix, unreleased)”
“I’m Gonna Move Right In (original 1969 mix)”
“Ferryboat Bill (original 1969 mix)”
“Rock & Roll (original 1969 mix)”
“Ride Into the Sun (new 2014 mix, unreleased)”

Os discos 5 e 6 que completam a caixa trazem dois shows que a banda fez na casa The Matrix, em San Francisco, nos dias 26 e 27 de novembro daquele ano, que foram remixadas a partir das fitas originais do dono do estabelecimento, Peter Abram. Há, inclusive, uma versão de 37 minutos para “Sister Ray”.

Ótima notícia!

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. 07/11/2014

    […] […]

  2. 29/11/2014

    […] caixa de seis discos que celebra o 45° aniversário do terceiro disco do Velvet Underground, batizado apenas com o nome da banda, aconteceu nesta semana e a gravadora Polydor descolou mais um […]