Marechal 2016: “Música não deixa eu mentir”

marechal

Um dos mais sagazes MCs do rap brasileiro, o carioca Marechal vem adiando seu primeiro disco solo desde os tempos em que ainda fazia parte do mítico Quinto Andar, mas aproveitou o primeiro de abril para mostrar a primeira música deste disco. A faixa “Primeiro de Abril” é genialmente apresentada como um clipe de power point tosco, cheio de memes e piadas de internet, mas flui num jazz com refrão soul e é naturalmente autorreferente, mencionando a espera pelo primeiro disco, o trabalho social que desenvolveu nos últimos, além de saudar parte da cena que o viu crescer (leia a letra abaixo).

Os batidão de Jazz
Estilão quinto andar
Quinze anos depois, ó
Onde eu vim me encontrar
Não sou cantor, não
Mas sou de “vim tentar”
Deixa a tinta andar um tantin no tom
Até ter o dom de te encantar, tá?
Primeiro de Abril, dia da mentira agora acabou
Virou do “puta que pariu, tu viu Marecha fez som, gravou e lançou, carai”
Voltou, os rap que inspira, primo, agradece
Pô, vagabundo cansou de ter que parar pra ouvir esses trap de quem nunca trepou, falou
Estúdio próprio, 4 e pouco
Tô canetando até agora e tenho conteúdo pra mais cinco disco pronto
Se eu quiser conteúdo pra mais cinco, pisco, pronto
Enquanto uns quebram a cabeça pra rimar
Eu com esses riscos, monto
Foda-se o número de views
Antigamente nós contava relevância pelo número de Gabriel, D2 e Bills
Speeds e Gustavo Black
Hoje agradece BK, Síntese e Sant
Cês são o futuro, porra
(Fala pra eles que é o RAP!)
E que só existe um tipo de MC
O “foda-se o ego e vamos nos unir”
Dinheiro não tem nada a ver com vencer
Cuidado com isso aí que se não cês faz o plano do FMI
Vão sofrer com o que o banco mundial reserva pra te foder
Uns acreditam em si, outros acreditam em se
E acredito em um só, mas só se você acreditar em você, menor
Se tu se limitar e acreditar no vi pra ver, é capaz da sua imaginação não conseguir deixar isso acontecer

Vou partir
Quando amanhecer
Vou puxar meu bonde daqui
Meu lugar
Venho agradecer
Música não deixa eu mentir

Não pense como eu penso
Ou aja como eu ajo
Apenas reaja ao senso
Seja capaz de sentir
Cuidado legal com novos amigos é no, no, no, no, no
A chapa tá igual chamou, quen te
Não tente me entender
Quero entender o que quer me tentar
O último que tentou nem tá
Não vou mentir
Faço isso pelos meus filhos
Se vierem me matar
Que a mina que eu confio
Possa entregar pra eles
Tipo ó: “papai deixou isso aí”
País feliz onde o povo pouco lê
E busca mais mostrar nas rede como vive que viver
Não consegue aprender que as rede são pra prender
Tudo é facebook e os livro na cara, cadê? Tu não vê
Igual o logo do carrefour que a parte branca é um “C”, pode crer
“Mas peraê, mané, cê diz o povo pouco lê e as lei do segredo vendeu milhões”
Eu sei, e a primeira vez que eu vi isso vender
Pensei, eles deviam editar livros é sobre os segredos da lei
Continuamo sem entender o sistema
E vivemo essa confusão
Ao invés de ações sociais, se discute tamanho de cordão
(?) de evolução, tudo é foda, foda, foda, fodão
Quer ser o melhor, vai pesquisar
Já falei isso em outro som
“(Haha) Pesquisar a onde, rapa? Cê nem tem CD”
Haha, meu disco é piada antes de sair, valeu
Ditado diz quem ri por último..
Depois de sair não reclama se o que virar piada é o seu

Vou partir
Quando amanhecer
Vou puxar meu bonde daqui
Meu lugar
Venho agradecer
Música não deixa eu mentir

Um dia Vamos Voltar A Realidade (cuja abreviatura em hashtag #VVAR também batiza seu projeto de educação, mostrado no clipe) sai, mas por enquanto só temos este primeiro de abril às avessas.

Você pode gostar...