Manifesto Incompleto pelo Crescimento, por Bruce Mau

incomplete

Sente-se e aprecie o Incomplete Manifesto for Growth, proposto pelo designer Bruce Mau, transcrito logo abaixo. Se alguém se dispor a traduzir para o português, basta colar a tradução nos comentários que eu posto aqui.

Allow events to change you.
You have to be willing to grow. Growth is different from something that happens to you. You produce it. You live it. The prerequisites for growth: the openness to experience events and the willingness to be changed by them.

Forget about good.
Good is a known quantity. Good is what we all agree on. Growth is not necessarily good. Growth is an exploration of unlit recesses that may or may not yield to our research. As long as you stick to good you’ll never have real growth.

Process is more important than outcome.
When the outcome drives the process we will only ever go to where we’ve already been. If process drives outcome we may not know where we’re going, but we will know we want to be there.

Love your experiments (as you would an ugly child).
Joy is the engine of growth. Exploit the liberty in casting your work as beautiful experiments, iterations, attempts, trials, and errors. Take the long view and allow yourself the fun of failure every day.

Go deep.
The deeper you go the more likely you will discover something of value.

Capture accidents.
The wrong answer is the right answer in search of a different question. Collect wrong answers as part of the process. Ask different questions.

Study.
A studio is a place of study. Use the necessity of production as an excuse to study. Everyone will benefit.

Drift.
Allow yourself to wander aimlessly. Explore adjacencies. Lack judgment. Postpone criticism.

Begin anywhere.
John Cage tells us that not knowing where to begin is a common form of paralysis. His advice: begin anywhere.

Everyone is a leader.
Growth happens. Whenever it does, allow it to emerge. Learn to follow when it makes sense. Let anyone lead.

Harvest ideas.
Edit applications. Ideas need a dynamic, fluid, generous environment to sustain life. Applications, on the other hand, benefit from critical rigor. Produce a high ratio of ideas to applications.

Keep moving.
The market and its operations have a tendency to reinforce success. Resist it. Allow failure and migration to be part of your practice.

Slow down.
Desynchronize from standard time frames and surprising opportunities may present themselves.

Don’t be cool.
Cool is conservative fear dressed in black. Free yourself from limits of this sort.

Ask stupid questions.
Growth is fueled by desire and innocence. Assess the answer, not the question. Imagine learning throughout your life at the rate of an infant.

Collaborate.
The space between people working together is filled with conflict, friction, strife, exhilaration, delight, and vast creative potential.

____________________.
Intentionally left blank. Allow space for the ideas you haven’t had yet, and for the ideas of others.

Stay up late.
Strange things happen when you’ve gone too far, been up too long, worked too hard, and you’re separated from the rest of the world.

Work the metaphor.
Every object has the capacity to stand for something other than what is apparent. Work on what it stands for.

Be careful to take risks.
Time is genetic. Today is the child of yesterday and the parent of tomorrow. The work you produce today will create your future.

Repeat yourself.
If you like it, do it again. If you don’t like it, do it again.

Make your own tools.
Hybridize your tools in order to build unique things. Even simple tools that are your own can yield entirely new avenues of exploration. Remember, tools amplify our capacities, so even a small tool can make a big difference.

Stand on someone’s shoulders.
You can travel farther carried on the accomplishments of those who came before you. And the view is so much better.

Avoid software.
The problem with software is that everyone has it.

Don’t clean your desk.
You might find something in the morning that you can’t see tonight.

Don’t enter awards competitions.
Just don’t. It’s not good for you.

Read only left-hand pages.
Marshall McLuhan did this. By decreasing the amount of information, we leave room for what he called our “noodle.”

Make new words.
Expand the lexicon. The new conditions demand a new way of thinking. The thinking demands new forms of expression. The expression generates new conditions.

Think with your mind.
Forget technology. Creativity is not device-dependent.

Organization = Liberty.
Real innovation in design, or any other field, happens in context. That context is usually some form of cooperatively managed enterprise. Frank Gehry, for instance, is only able to realize Bilbao because his studio can deliver it on budget. The myth of a split between “creatives” and “suits” is what Leonard Cohen calls a ‘charming artifact of the past.’

Don’t borrow money.
Once again, Frank Gehry’s advice. By maintaining financial control, we maintain creative control. It’s not exactly rocket science, but it’s surprising how hard it is to maintain this discipline, and how many have failed.

Listen carefully.
Every collaborator who enters our orbit brings with him or her a world more strange and complex than any we could ever hope to imagine. By listening to the details and the subtlety of their needs, desires, or ambitions, we fold their world onto our own. Neither party will ever be the same.

Take field trips.
The bandwidth of the world is greater than that of your TV set, or the Internet, or even a totally immersive, interactive, dynamically rendered, object-oriented, real-time, computer graphic–simulated environment.

Make mistakes faster.
This isn’t my idea — I borrowed it. I think it belongs to Andy Grove.

Imitate.
Don’t be shy about it. Try to get as close as you can. You’ll never get all the way, and the separation might be truly remarkable. We have only to look to Richard Hamilton and his version of Marcel Duchamp’s large glass to see how rich, discredited, and underused imitation is as a technique.

Scat.
When you forget the words, do what Ella did: make up something else … but not words.

Break it, stretch it, bend it, crush it, crack it, fold it.

Explore the other edge.
Great liberty exists when we avoid trying to run with the technological pack. We can’t find the leading edge because it’s trampled underfoot. Try using old-tech equipment made obsolete by an economic cycle but still rich with potential.

Coffee breaks, cab rides, green rooms.
Real growth often happens outside of where we intend it to, in the interstitial spaces — what Dr. Seuss calls “the waiting place.” Hans Ulrich Obrist once organized a science and art conference with all of the infrastructure of a conference — the parties, chats, lunches, airport arrivals — but with no actual conference. Apparently it was hugely successful and spawned many ongoing collaborations.

Avoid fields.
Jump fences. Disciplinary boundaries and regulatory regimes are attempts to control the wilding of creative life. They are often understandable efforts to order what are manifold, complex, evolutionary processes. Our job is to jump the fences and cross the fields.

Laugh.
People visiting the studio often comment on how much we laugh. Since I’ve become aware of this, I use it as a barometer of how comfortably we are expressing ourselves.

Remember.
Growth is only possible as a product of history. Without memory, innovation is merely novelty. History gives growth a direction. But a memory is never perfect. Every memory is a degraded or composite image of a previous moment or event. That’s what makes us aware of its quality as a past and not a present. It means that every memory is new, a partial construct different from its source, and, as such, a potential for growth itself.

Power to the people.
Play can only happen when people feel they have control over their lives. We can’t be free agents if we’re not free.

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Camila disse:

    Traduzi! 😉

    Deixe-se transformar pelos eventos
    Para crescer, é preciso estar querendo. O crescimento é diferente de algo que acontece com você. Você o produz. Você o vive. Os pré-requisitos para o crescimento: estar aberto a experienciar os eventos e a vontade de se deixar transformar por eles.

    Esqueça o bom
    Bom é uma porção conhecida. Bom é aquilo com que todos concordamos. O crescimento não é necessariamente bom. O crescimento é uma exploração das reentrâncias obscuras que podem ou não produzir nossa pesquisa. Enquanto se apegar ao bom, você nunca terá o crescimento real.

    O processo é mais importante que o resultado
    Quando o resultado orienta o processo, nós só podemos ir onde já fomos. Se o processo orienta o resultado, nós podemos até não saber onde estamos indo, mas vamos saber que queremos estar ali.

    Ame seus experimentos (como amaria uma criança feia)
    A alegria é o motor do crescimento. Explore a liberdade de encarar seu trabalho como belas experiências, repetições, tentativas, ensaios e erros. Veja a longo prazo e permita-se a diversão de falhar todos os dias.

    Vá fundo
    Quanto mais fundo você for, maior será a chance de descobrir algo de valor.

    Guarde os acidentes
    A resposta errada é a resposta certa na busca por uma pergunta diferente. Colecione respostas erradas como parte do processo. Faça diferentes perguntas.

    Estude
    Um estúdio é um lugar para o estudo. Use a necessidade de produzir como uma desculpa para estudar. Todos serão beneficiados.

    Flutue
    Permita-se vagar sem destino. Explore as adjacências. Pare de julgar. Deixe a crítica pra depois.

    Comece em qualquer lugar
    John Cage nos conta que não saber por onde começar é uma forma comum de paralização. Seu conselho: comece em qualquer lugar.

    Todo mundo é um líder
    O crescimento acontece. Onde quer que seja, deixe ele emergir. Aprenda a seguir quando fizer sentido. Deixe qualquer um liderar.

    Colha ideias
    Edite aplicações. Ideias precisam de um ambiente dinâmico, fluido e generoso para manterem-se vivas. As aplicações, por outro lado, se beneficiam com erros graves. Produza uma grande taxa de ideias para aplicações.

    Mova-se
    O mercado e suas operações tem uma tendência a consolidar o sucesso. Resista. Permita que o insucesso e a migração sejam parte de suas práticas.

    Desacelere
    Dessincronize-se dos prazos normais e oportunidades surpreendentes devem se apresentar.

    Não seja cool
    Cool é o medo conservador vestido de preto. Liberte-se desse tipo de limitação.

    Faça perguntas idiotas
    O crescimento se abastece com desejo e inocência. Acesse a resposta, não a pergunta. Imagine como seria aprender durante toda a vida no ritmo de uma criança.

    Colabore
    O espaço entre as pessoas que trabalham juntas é preenchido com conflito, atrito, discussão, alegria, encanto e um vasto potencial criativo.

    ____________________
    Intencionalmente deixado em branco. Dê espaço para as ideias que você ainda não teve e para as ideias dos outros.

    Fique acordado até tarde
    Coisas estranhas acontecem quando você foi longe demais, ficou acordado por tempo demais, trabalhou demais e quando está separado do resto do mundo.

    Trabalhe a metáfora
    Todo objeto tem a capacidade de significar algo mais do que aparenta. Trabalhe em seus significados possíveis.

    Tenha cuidado ao se arriscar
    O tempo é genético. O hoje é o filho do ontem e a mãe do amanhã. O trabalho que você produz hoje criará o seu futuro.

    Repita-se
    Se você gostou, faça de novo. Se não gostou, faça de novo.

    Construa suas próprias ferramentas
    Hibridize seus instrumentos para construir coisas únicas. Até mesmo suas ferramentas mais simples podem produzir caminhos completamente novos a serem explorados. Lembre-se, as ferramentas ampliam nossas capacidades, de modo que até um pequeno instrumento pode fazer uma grande diferença.

    Apoie-se nos ombros de alguém
    Você pode ir mais longe carregado pelas conquistas daqueles que vieram antes de você. E a vista é bem mais bonita.

    Evite softwares.
    O problema com os softwares é que todo mundo tem eles.

    Não limpe sua mesa
    Amanhã de manhã você pode encontrar uma coisa que não consegue enxergar hoje a noite.

    Não participe de competições por prêmios
    Só não participe. Não faz bem.

    Leia só as páginas à esquerda
    Marshall McLuhan fez isso. Diminuindo a quantidade de informação, nós abrimos espaço para o que ele chamou de nosso “miojo”.

    Crie novas palavras
    Expanda o léxico. As novas condições demandam uma nova forma de pensar. O pensamento demanda novas formas de expressão. A expressão gera novas condições.

    Pense com sua cabeça
    Esqueça a tecnologia. A criatividade não depende do dispositivo.

    Organização = liberdade
    As reais inovações em design ou em qualquer outro campo, acontecem em um contexto. O contexto é normalmente algum tipo de empresa gerenciada cooperativamente. Frank Gehry, por exemplo, só é capaz de realizar Bilbao, porque seu estúdio consegue respeitar o orçamento. O mito de uma divisão entre os “criativos” e os “de terno” é o que Leonard Cohen chama de um “charmoso artefato do passado”.

    Não pegue dinheiro emprestado
    Mais uma vez, um conselho de Frank Gehry. Mantendo o controle financeiro, nós mantemos o controle. Não é exatamente uma ciência complicada, mas é surpreendente como é difícil manter essa disciplina e quantos fracassaram.

    Ouça cuidadosamente
    Cada colaborador que entra em nossa órbita traz consigo um mundo mais estranho e complexo do que poderíamos sonhar em imaginar. Ao ouvir os detalhes e a fineza de suas necessidades, desejos ou ambições, nós envolvemos seu mundo no nosso. Nenhuma das partes jamais será a mesma.

    Viaje para o campo
    A superfície terrestre é maior do que a sua TV, ou que a Internet, é até mesmo maior que um ambiente simulado graficamente totalmente imersivo, interativo, renderizado dinamicamente, orientado a objetos, operando em tempo real.

    Erre mais rápido
    Esta ideia não é minha ¬— eu a peguei emprestada. Eu acho que ela é do Andy Grove.

    Imite
    Não tenha vergonha. Tente chegar o mais próximo que puder. Você nunca fará idêntico e a diferença pode valer mesmo a pena. Basta olharmos para Richard Hamilton e sua versão do grande vidro de Marcel Duchamp para ver o como a imitação é rica, desacreditada e subutilizada como técnica.

    Bote pra fora
    Quando esquecer as palavras, faça o que Ella fez: crie algo novo … mas não palavras. [http://www.youtube.com/watch?v=PbL9vr4Q2LU]
    Quebre, estique, entorte, moa, rache, dobre

    Explore a outra borda
    A grande liberdade existe quando evitamos usar o pacote tecnológico. Nós não conseguimos encontrar a borda porque estamos pisando nela. Tente utilizar equipamentos com tecnologias antigas e obsoletas num ciclo de economia, mas de rico potencial

    Cafés, viagens de taxi, salas verdes
    O real crescimento acontece fora de onde imaginamos que ele vá acontecer, no interstício — o que Dr. Seuss chama de “o lugar da espera”. Hans Ulrich Obrist uma vez organizou uma conferência de ciência e arte com toda a infraestrutura de uma conferencia — as festas, conversas, almoços, chegadas em aeroportos — mas sem a conferência em si. Aparentemente ela foi muito bem sucedida e gerou muitas colaborações posteriores.

    Evite cercados
    Pule as cercas. Fronteiras disciplinares e regimes regulatórios são tentativas de controlar a feroz vida criativa. Frequentemente são esforços compreensíveis de ordenar os múltiplos e complexos processos evolutivos. Nosso trabalho é pular as cercas e cruzar os campos.

    Ria
    As pessoas que visitam nosso estúdio muitas vezes perguntam o quanto nós rimos. Desde que me dei conta disso, uso como uma medida de quão confortavelmente estamos nos expressando.

    Lembre
    O crescimento só é possível como um produto da história. Sem memória, a inovação é mera novidade. A história direciona o crescimento. Mas a memória nunca é perfeita. Toda memória é uma imagem degradada ou uma combinação de momentos ou eventos anteriores. Isso é o que nos faz cientes de sua qualidade enquanto passado e não presente. Isso significa que cada memória é nova, uma construção parcial diferente da sua fonte, e, dessa maneira, um potencial para o crescimento em si.

    Poder para o povo
    O jogo só pode acontecer quando as pessoas sentem que tem o controle de suas vidas. Nós não podemos ser agentes da liberdade se não formos livres.

  1. 15/05/2013

    […] (Via Trabalho Sujo) […]

  2. 17/05/2013

    […] à Camila, que traduziu o texto pra cá (e a foto saiu daqui). Eu agradeço compartilhando. Ela ainda escolheu o vídeo abaixo para […]