Você pode gostar...

Sem Resultados

  1. Alexandre Duque disse:

    Não gosto do Major Lazer.

    Quanto ao novo do Dirty Projectors, ouvi por stream, achei ótimo. Até pelo número de faixas -12- dá pra perceber que estão mais focados em fazer músicas com ideias fechadas. Ainda experimentando, tem faixas de todo o tipo, coro, afrobeat, Beatles, até umas com pegada soul [!]

  2. Alexandre Duque disse:

    Nem tinha visto, mas saiu o clipe da faixa “soul”:

    http://www.youtube.com/watch?v=o_qFaFl7JVc&feature=player_embedded#!

  3. André disse:

    A música é boa, mas achei uma versão piorada de Paper Planes. Não sei, faltou um punch, uma rima, enfim uma pegada mais pesada.

  4. Raony disse:

    Velho, o novo do Dirty Projectors tá bom demais.

  5. Baltazar disse:

    Eu não sei qual é o problema de vcs. Major Lazer, “hiperestimado”?
    O cara mostra serviço. Não é estima de crítica (tão mais inclinados pra babar o Skrillex), nem de público (eles não vendem ou tocam no rádio) e porra nenhuma.

    Até entendo acharem eles hiperestimados, por algum critério de vcs, mas não entendo nume enxergarem a justificativa disso. Só Santigold, Beyoncé, No Doubt e a citada M.I.A. são pessoas que não entendem bulhufas de programação e tiveram altas coisas ótimas produzidas pelos caras.

    Esse mané do “A música é boa, mas achei uma versão piorada de Paper Planes” como estrume no almoço? Essa Paper Planes, sim, é a coisa mais hiperestimada do mundo. Uma musiquinha de merda alçada a 1º escalão dos anos 2000 … coisa de crítica boboca mesmo.

    O Bruno é que diz bem “Diplo conseguiu sua nova “Paper Planes”, superando-a até (mesmo que não estoure da mesma maneira)”, na questão do sucesso da música, mas tipo com uma grosseira comparação entre algo que é hiphop (Paper Planes) e algo que dancehall/reggae (get free).

    A grande diferença das duas músicas e de alguns ouvintes gostarem ou não é que tem muito indie-ota que precisa de muita crítica NMEníaca ou lucioriberiana pra poder dizer se gosta ou não de algo. Paper Planes é tipo uma grande bostinha que crítica baba.

    Uma coisa é quem gosta e entende de música e reconhece algo com qualidade, por mais que não goste (caso do Bruno que odeia Major Lazer, mas reconhece uma boa música). E outra coisa é gente maria-vai-com-as-outras que precisa checar o que a crítica indie-ota cria hype (ou não) pra poder aderir como gosto (ou desgosto). Só isso.

  1. 25/09/2012

    […] dos Dirty Projectors, já pode ser considerada uma das grandes músicas de 2012 – e depois do tradicional clipe de animação ganhou outro de ambientação jamaicana pesada, dirigido pelo So Me. Sente […]

  2. 12/10/2012

    […] leve mais uma vez, Diplo comete outro grande single de 2012 (o primeiro foi “Born Free”, assinando como Major Lazer, que convidou a dirty projector A…). Desta vez ele assina com seu próprio nome e convida Jahan Lennon para o groove psicodélico de […]