Lux Aeterna: Parallax

lux-aerterna-centrodaterra

A sessão de terça-feira do Centro da Terra desconecta-se um pouco da temporada de Luedji Luna (donas das terças de abril, que volta nas próximas terças, 17 e 24 deste mês), para abrir espaço para uma única apresentação solo de mais um projeto do líder e fundador do Violeta de Outono, Fábio Golfetti. Neste dia 10 ele apresenta o projeto Lux Aeterna, em que toca guitarra ao lado do filho Gabriel, que assume sintetizadores e teclados. Inspirados pela cena progressiva e psicodélico dos anos 70 de nomes como Ash Ra Tempel, Tangerine Dream, Hawkwind e Amon Düul II, que deu origem ao trance moderno, quanto pela música erudita do compositor húngaro-austríaco György Ligeti (de onde tiraram seu nome) e por trilhas sonoras de videogame, os dois sobem ao palco juntos pela primeira vez para mostrar a obra Parallax, comemorando ainda o aniversário do próprio Fabio (mais informações sobre o espetáculo aqui). Conversei com o Fabio sobre este novo projeto e como ele se relaciona com sua obra psicodélica.

Como surgiu o Lux Aeterna?

Fale um pouco da sua relação musical com seu filho Gabriel.

Como vocês decidiram fazer um grupo juntos?

O que ele acrescentou ao trabalho que você não conhecia?

Quais são as principais influências deste trabalho e como ele conversa com o Violeta de Outono e seus outros projetos?

Há intenção de lançar algum material registrado?

Você pode gostar...